Menu
Busca sexta, 17 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Fenabrave aposta em recuperação do setor no último trimestre do ano

02 setembro 2014 - 18h10

Apesar de já registrar este ano recuo de 8,62% nas vendas, a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) aposta na recuperação do setor no último trimestre do ano. Segundo a Fenabrave, um dos motivos para esse otimismo foi a proposta feita no último dia 20 pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, de regulação do sistema de crédito para aumentar a segurança jurídica das instituições bancárias.

Na avaliação da Fenabrave, a perspectiva do fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em 2015 também pode impulsionar as vendas em novembro e dezembro.

“Os bancos sinalizam que, se a legislação for modernizada, poderão aumentar em 20% o nível de aprovação de crédito, o que daria, talvez, umas 30 mil unidades adicionais. Multiplicado por 12, seria um número muito forte”, disse o presidente da Fenabrave, Flávio Meneghetti.

Ele destacou que, até julho, a média do volume de crédito para carros novos ficou em 150 mil contratos por mês. Em 2012, esse volume ultrapassava 200 mil por mês. A federação, que só deve divulgar nova projeção de crescimento após as eleições, estima que o segmento feche o ano com queda de 6,48%.

Hoje (2), a Fenabrave apresentou os resultados do segmento relativos a agosto. Os números mostram que houve queda de 7,43% na venda de veículos no país. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve recuo de 16,05% na comercialização. No total, foram vendidos 404.217 veículos em agosto, com 3,333 milhões no acumulado do ano. Em igual período de 2013, os números chegaram a 481.524 e 3,647 milhões, respectivamente. Em julho deste ano, a comercialização ficou em 436.674 veículos.

Sobre a queda de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país), Meneghetti disse não esperar grande impacto desse resultado nas vendas do setor. “Pode alterar um pouco o humor do mercado, mas as consequências desse PIB fraco já estavam acontecendo. Não é o fato de ser anunciado que vai piorar, porque já era uma realidade corrente”, ressaltou .

De acordo com a Fenabrave, a indústria automobilística representa 25% do PIB industrial brasileiro e cerca de 6% do PIB nacional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
OPORTUNIDADE
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
CAMPINAS
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
DOURADOS
Faculdade Intercultural Indígena publica moção contra o marco temporal
FOGO AMIGO
Militar baleado ao defender mulher na rua recebe alta de hospital
Dourados enfrenta Miranda na semifinal da Copa Morena neste sábado
ESPORTE
Dourados enfrenta Miranda na semifinal da Copa Morena neste sábado
PARAGUAI
Com mandado de prisão em abertos, brasileiro é expulso do Paraguai
EDUCAÇÃO
UEMS regulamenta retomada gradual das atividades presenciais
FÁTIMA DO SUL
Homem grava vídeo para inocentar esposa: "Erro meu, bebi demais"
IMUNIZANTE
Sociedade Brasileira de Pediatria defende vacinação em adolescentes
MEIO AMBIENTE
Ambiental desmonta acampamento de caçadores às margens do Apa 

Mais Lidas

DOURADOS
Após denúncias, casal é preso por tráfico no Jardim Guaicurus
24 HORAS DE VACINA
Dourados terá 'viradão' da vacina para aplicar doses em cinco grupos
DOURADOS
'Trevo do DOF' terá viaduto de 40m e ficará pronto em oito meses
DOURADOS
Homem morre no hospital depois de ser atropelado na área central