Menu
Busca segunda, 30 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Exportações de carnes renderam US$ 1 bilhão para MS

24 janeiro 2020 - 08h59Por Redação

Dados do Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul) mostram que as exportações de carnes renderam US$ 1 bilhão para a economia estadual ao longo do ano passado.

O levantamento completo indica que os grupos “Celulose e Papel” e “Complexo Frigorífico” alavancaram as exportações de industrializados sul-mato-grossenses em 2019, que fecharam em US$ 3,59 bilhões, um crescimento de 1,5% em relação a 2018, quando alcançou US$ 3,54 bilhões.

“De janeiro a dezembro de 2019, os dois grupos juntos foram responsáveis por uma receita de US$ 3,03 bilhões, ou seja, 84,4% do total comercializado para o exterior pelo setor industrial do Estado”, informou a entidade.

Principal fonte de receitas ao Estado no mercado internacional, o grupo “Celulose e Papel”, sozinho, obteve receita de US$ 2 bilhões. Já o grupo “Complexo Frigorífico” chegou a US$ 1 bilhão. Esses dois responderam, respectivamente, por 56% e 28% do total exportado pelas indústrias sul-mato-grossenses.

Coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende explicou que o bom desempenho da balança comercial sul-mato-grossense em 2019 mais uma vez foi obtido graças aos grupos “Celulose e Papel” e “Complexo Frigorífico”.

Segundo ele, o grupo “Celulose e Papel” registrou receita de US$ 2 bilhões, um aumento de 4% em relação a 2018, que foram obtidos quase que na totalidade com a venda da celulose (US$ 1,98 bilhão).

“Os principais compradores foram China, com US$ 1,19 bilhão, Estados Unidos, com US$ 204,47 milhões, Itália, com US$ 165,26 milhões, Holanda, com US$ 143,59 milhões, Reino Unido, com US$ 49,90 milhões, Coreia do Sul, com US$ 45,18 milhões, Espanha, com US$ 36,30 milhões, Emirados Árabes, com US$ 21,75 milhões, Argentina (1%), com US$ 16,15 milhões, Turquia, com US$ 12,43 milhões, Peru, com US$ 11,96 milhões, e Egito, com US$ 11,24 milhões”, enumerou o economista.

Já no grupo “Complexo Frigorífico” a receita conseguida de janeiro a dezembro de 2019 foi de US$ 1 bilhão, um aumento de 17% em relação ao mesmo período de 2018, sendo que 42,7% do total alcançado é oriundo das carnes desossadas congeladas de bovino, que totalizaram US$ 431 milhões. Os principais compradores foram Hong Kong, com US$ 168,24 milhões, Chile, com US$ 143,91 milhões, Emirados Árabes Unidos, com US$ 84,19 milhões, China, com US$ 81,91 milhões, e Egito, com US$ 52,46 milhões. (Com informações da Fiems)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Pecuarista é multado após tirar foto de tucano abatido
CRIME AMBIENTAL
Pecuarista é multado após tirar foto de tucano abatido
IGUATEMI
Tiro acidental mata homem durante pescaria no Sul do Estado
Bolsonaro e Fernández, da Argentina, têm primeira reunião bilateral
DIA DA AMIZADE
Bolsonaro e Fernández, da Argentina, têm primeira reunião bilateral
Novembro fecha com 1,3 mil casos de Covid, dobro de internações e 12 óbitos em Dourados
PANDEMIA
Novembro fecha com 1,3 mil casos de Covid, dobro de internações e 12 óbitos em Dourados
ECONOMIA
Dourados tem a 6ª maior arrecadação de ISS do Centro Oeste
UFGD
Pesquisadores criam alternativas no combate ao Aedes aegypti
BENEFÍCIO
Governo estadual paga 13° salário nesta terça-feira
CONGRESSO NACIONAL
Parlamento Amazônico será reativado no próximo dia 21
PANDEMIA
Covid-19: média dos últimos sete dias é de 521 mortes, segundo Fiocruz
CRIME AMBIENTAL
Criação ilegal de ave silvestre resulta em multa de R$ 5 mil para infrator

Mais Lidas

DOURADOS
Primeira noite com novo toque de recolher tem flagrante de festa com 119 adolescentes
DOURADOS
Decreto é republicado por incorreção, agora com brechas para esporte coletivo e boliche
DOURADOS
Homem é preso com arma após ex-namorada correr até viatura da PM e denunciar ameaça
POLICIAL
Criminoso imita abordagem de polícia para cometer roubo em Dourados