Menu
Busca quinta, 02 de abril de 2020
(67) 9860-3221
BRASIL

Estados Unidos reabrem mercado para a carne bovina in natura do Brasil

21 fevereiro 2020 - 18h20

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciou nesta sexta-feira, dia 21 de fevereiro, que os Estados Unidos decidiram reabrir mercado para a carne bovina in natura produzida pelo Brasil. As vendas deste produto estavam suspensas desde junho de 2017.

"Hoje recebemos com muita satisfação uma notícia esperada há muito tempo: a reabertura do mercado de carne bovina in natura do Brasil para os Estados Unidos", disse a ministra Tereza Cristina em postagem em uma rede social.

O governo dos Estados Unidos confirmou a informação. Segundo o Serviço de Inspeção e Segurança de Alimentos (FSIS, na sigla em inglês), o Brasil cumpriu os requisitos para a reabertura de mercado.

"O Brasil implementou as ações corretivas necessárias (...) Portanto, o FSIS está interrompendo a suspensão da exportação de produtos de carne bovina crua para os EUA a partir de 21 de fevereiro de 2020", disse um porta-voz do FSIS.
De acordo com o governo brasileiro, os frigoríficos poderão enviar o produto derivado de animais abatidos a partir desta sexta. Antes da primeira remessa, o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do ministério (Dipoa) deve enviar uma lista atualizada de estabelecimentos certificados.

Em contato com o G1, o presidente da associação que representa os exportadores do setor (Abiec), Antônio Jorge Camardelli, comemorou a decisão e disse que agora é preciso avaliar em que condições se dará essa reabertura.

"Quando o mercado foi fechado, nós tínhamos 15 plantas frigoríficas habilitadas [para exportar], agora precisamos saber quais vão ser as características desta reabertura, o volume que podemos vender", disse.

Os Estados Unidos compraram em 2018 o equivalente a US$ 5 bilhões em carne bovina in natura.

Entre janeiro e junho de 2017, último semestre em que o Brasil podia vender para os americanos, os frigoríficos brasileiros negociaram US$ 56,3 milhões do produto para os EUA.

O mercado americano é considerado um "selo de qualidade" para a carne. Isso significa que, ao atender aos requisitos dos Estados Unidos, o produto consegue uma entrada mais fácil em outros países.

"Isso traz o reconhecimento da qualidade da carne brasileira por um mercado tão importante como o americano", afirmou Tereza Cristina.

Idas e vindas

As exportações estavam suspensas desde junho de 2017, quando os americanos encontraram reações (abcessos) provocadas no rebanho pela vacina contra a febre aftosa, o que não é permitido.

A autorização para venda de carne in natura para os Estados Unidos havia sido obtida em 2015 após 15 anos se limitando a vender apenas carne cozida.

Desde o último embargo, o Ministério da Agricultura vem tomando medidas para acessar novamente o mercado americano, como mudar a composição da vacina.

Em março de 2019, durante visita do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, o governo brasileiro estava animado com a possibilidade de reabertura.

Em junho, uma missão veterinária dos Estados Unidos esteve no Brasil para inspecionar frigoríficos de bovinos e suínos. Mas, em novembro, os americanos decidiram manter o veto à carne bovina in natura brasileira. A missão dos EUA retornou em janeiro deste ano e fez nova avaliação.

Agora, no comunicado encaminhado ao Ministério do Agricultura, o serviço de inspeção sanitária dos Estados Unidos disse que o Brasil corrigiu os problemas sistêmicos que levaram à suspensão e está restabelecendo a elegibilidade das exportações de carne bovina in natura para o país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Rapaz é espancado por trio após ser acusado de ‘ficar’ com adolescente
JUDICIÁRIO
STF dá 48 horas para Bolsonaro listar ações tomadas contra a Covid-19
CAMPO GRANDE
Polícia resgata duas pessoas que ficaram presas em carro sob forte sol
SOLIDARIEDADE
Campanha Online da UEMS irá ajudar alunos durante a Covid-19
COXIM
Socorrida por bombeiros, mulher arromba armário e furta morfina de hospital
MEIO AMBIENTE
Ambiental captura jiboia com mais de dois metros em residência de Coxim
RECURSOS
MPT destinou R$ 124 milhões para prevenção e combate à Covid-19
BENEFÍCIO
UFGD mantém assistência a estudantes durante suspensão do calendário
CORONAVÍRUS
Câmara aprova projeto de lei que libera remédios sem aval da Anvisa
DOURADINA
Polícia apreende meia tonelada de agrotóxicos na região da Grande Dourados

Mais Lidas

REGIÃO
Ex-assessor de Mandetta é encontrado morto em apartamento na Capital
COVID-19
Primeiro óbito por coronavírus do Estado é registrado em Dourados
DOURADOS
Homem leva surra de populares e é detido por furtar dois veículos em Dourados
COVID-19
MS tem oito confirmações de coronavírus em 24h e suspeitos chegam a 51