Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Dólar fecha quase estável após BC reduzir intervenção no câmbio

18 junho 2015 - 18h15

G1

O dólar fechou em leve alta após oscilar entre altas e baixas em relação ao real nesta quinta-feira (18), com as expectativas de que o Federal Reserve seja gradual ao elevar os juros nos Estados Unidos e compensando o impacto da sinalização de que o Banco Central deve reduzir ainda mais o ritmo de intervenção no câmbio.

A moeda norte-americana subiu 0,03%, negociada a R$ 3, 0588 na venda. Na semana, o dólar acumula queda de 1,9% e no mês, de 4,03%. No ano, há valorização de 15,05%.

"O BC repetiu a dose e aproveitou o momento de bom humor nos mercados externos para reduzir a rolagem (de swaps), o que não é tão surpreendente. A fraqueza da moeda norte-americana no exterior prevalece", afirmou à Reuters o operador da corretora SLW João Paulo de Gracia Correa.

Na véspera, o Fed indicou que a economia dos Estados Unidos provavelmente está forte o suficiente para alta de juros neste ano, mas reduziu sua projeção de crescimento econômico. A manobra foi interpretada por investidores como uma sinalização de que "ele quer subir juros, mas ainda não está confortável para isso", disse Correa.

A reação do mercado foi reduzir as cotações do dólar globalmente, uma vez que postura mais gradual do Fed manteria a atratividade de ativos de outros países. Operadores esperam, de forma geral, que o aperto monetário tenha início em setembro nos EUA. No Brasil, ajudou ainda a expectativa de ingresso de recursos diante da perspectiva de mais altas da Selic.

Menos intervenção do BC
Após o fechamento do mercado na quarta-feira (17), o BC anunciou para esta sessão leilão de até 5,2 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólar, para rolagem do lote que vence em julho. Até a véspera, a autoridade monetária vinha ofertando até 6,3 mil contratos e, antes disso, até 7 mil.

O BC vendeu a oferta total no leilão de rolagem nesta manhã. Com isso, repôs o equivalente a US$ 4,187 bilhões ao todo, ou por volta de 48% do lote total, que corresponde a US$ 8,742 bilhões.

Se mantivesse as ofertas de até 6,3 mil contratos por dia até o penúltimo pregão do mês, como de praxe, o BC rolaria cerca de 74% do lote de julho. Com a oferta menor, essa proporção cairia para por volta de 69%.

"Não muda a tendência do câmbio, que deve ficar um pouco acima de R$ 3 em função da fraqueza do dólar no mundo. No máximo, suaviza um pouco as quedas, porque adiciona um pouco de risco a quem quer especular na baixa", disse à Reuters o gestor de um importante banco internacional, que pediu anonimato.

Na semana passada, quando aconteceu a primeira redução, analistas interpretaram que o BC indicou que está disposto a tolerar um dólar mais valorizado para incentivar a atividade econômica, via exportações, em um momento em que eleva os juros para domar a inflação.

Desde agosto de 2013, o órgão trabalha com o compromisso de recompra da moeda, para conter o avanço do dólar frente ao real. Os leilões diários de "swaps cambiais" funcionam como venda de divisas no mercado futuro, além de venda de dólares com compromisso de recompra. O objetivo é fornecer "hedge" (proteção contra a flutuação cambial) e evitar maiores pressões sobre o câmbio.

O BNP Paribas elogiou em nota a clientes a decisão de reduzir novamente a rolagem, ressaltando que o momento atual é a "melhor oportunidade" para reduzir o estoque de swaps e compensar uma política monetária apertada sem gerar volatilidade, segundo a Reuters. Além disso, o banco destacou que a postura cautelosa do Fed contribui para atrair recursos para o Brasil, o que permite que o BC seja mais agressivo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Marco Aurélio, do STF, recebe alta após passar por cirurgia no joelho
CNJ
Definidos os integrantes do Observatório da Justiça sobre direitos humanos
JARDIM
Homem leva multa por transporte de motosserra sem documentação
ECONOMIA
Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
INTERNACIONAL
Milhares de pessoas participam de protesto contra monarquia na Tailândia
NO FLAGRA
PMA pega infrator colocando fogo em pastagem e apaga incêndio
PANDEMIA
Dourados registra mais 49 casos de Covid e começa semana com 23 pacientes em UTIs
TRAGÉDIA
Batida frontal entre caminhão e van deixa 12 mortos e um ferido em Minas Gerais
FUTEBOL
Palmeiras e Grêmio se enfrentam pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro
REGIÃO
Adolescente fica ferida em acidente envolvendo carro e moto em Sonora

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher estaciona em vaga preferencial e é xingada por médico
RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
DOURADOS
GM flagra aglomeração no centro e três são presos
POLÍCIA
Braço direito de "Marcelo Piloto" é preso no Paraguai