Menu
Busca sexta, 03 de abril de 2020
(67) 9860-3221
CAPITAL

Diarista cai em buraco na calçada, machuca perna e fica sem trabalhar

20 fevereiro 2020 - 22h05Por G 1

A diarista Marlene da Costa Pereira vive um drama neste semana. Na última segunda-feira, dia 17 de fevereiro, ela caiu em um buraco aberto em uma obra de uma casa, em Campo Grande, machucou o rosto, braço e a perna, e desde então, não pôde trabalhar.

"Eu estava na rua, só que estava com muito movimento, aí fui pra calçada. Dei poucos passos e de repente me deparei com um buraco. Quando eu vi, eu já estava dentro dele, bem machucada. Era um buraco estreito, que não tinha como eu ver e ainda estava sem sinalização", conta Marlene

De acordo com a diarista, ela ficou com metade do corpo dentro do buraco e se machucou bastante, especialmente na perna esquerda. Marlene disse que pediu ajuda a pessoas que estavam na rua e também ao morador da casa, que chegou a vê-la no buraco, possivelmente uma obra para ligação de esgoto na residência. No entanto, ele disse que não tinha o que colocar para sinalizar a obra e pediu desculpas, segundo ela.

Conforme a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano (Semadur) de Campo Grande, a responsabilidade da obra, neste caso, é do proprietário da casa. "Toda obra é uma armadilha. O responsável precisa entender que ele tem que prezar pela segurança da própria obra e também de terceiros. Neste caso, é claro que a responsabilidade era do proprietário, mas em uma obra que a infraestrutura fosse maior, seria do município", afirma o secretário da Semadur, Luis Eduardo Costa.

Nesta quinta-feira (20), a equipe da TV Morena passou no local do acidente e percebeu que o buraco, agora, está tampado. Por telefone, o morador da casa, que é alugada, disse que a responsabilidade é do proprietário do imóvel e que irá ajudar a diarista nos gastos com remédios e na recuperação dela. O homem, que não quis se identificar, contou ainda que o pedreiro da obra tinha colocado uma sinalização, mas não soube dizer exatamente o que era.

Segundo o advogado Matheus Tedesco, Marlene pode entrar com um processo de danos materiais pelo acidente. "Ela precisa comprovar essa culpa do proprietário e identificar o culpado para entrar com processo. Com isso, se ela sofreu dano de ordem material, como foi o caso de não poder trabalhar, ela pode pleitear isso na justiça, por meio de advogado ou servidor público", explica.

Para fazer obras na calçada, a prefeitura de Campo Grande esclarece que é necessário o cumprimento de normas de obras e sinalização. Para denunciar possíveis irregularidades, a prefeitura disponibiliza o telefone 156, já que o descumprimento das normas é passível de multa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Idoso de 60 anos pode ser a primeira morte por coronavírus em Três Lagoas
INFORMAIS
Lei que cria auxílio de R$ 600 é publicada no 'Diário Oficial da União'
SIDROLÂNDIA
Bandidos invadem escola, furtam botijões de gás e alimentos
IMUNIZAÇÃO
Caminhoneiros serão incluídos na campanha de vacinação contra gripe
JUSTIÇA
Pedido de exoneração feita por servidor incapaz é considerado nulo
CONVOCAÇÃO
Governo fará cadastro não obrigatório de profissionais de saúde para o SUS
CAMPO GRANDE
Justiça mantém prisão de suspeito de furtar várias vezes mesmo atacadista
BANCO DO BRASIL
Servidores estaduais podem renovar empréstimos consignados com carência
PROCURADO
Identificado chefe de quadrilha que cavou túnel para roubar banco na Capital
LEÃO
Mais de 9,1 milhões de contribuintes entregaram declaração do IR

Mais Lidas

NOVA ANDRADINA
Hospital confirma três profissionais com coronavírus em unidade que atendeu idosa
CRIME AMBIENTAL
Pescador é flagrado com barco, motor de popa e petrecho de pesca
COVID-19
Familiares de casal que testou positivo para coronavírus em Dourados são monitorados
BOLETIM DA SES
Dourados registra mais um caso de coronavírus e MS tem 51 confirmações