Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
(67) 99659-5905
CAPITAL

Diarista cai em buraco na calçada, machuca perna e fica sem trabalhar

20 fevereiro 2020 - 22h05Por G 1

A diarista Marlene da Costa Pereira vive um drama neste semana. Na última segunda-feira, dia 17 de fevereiro, ela caiu em um buraco aberto em uma obra de uma casa, em Campo Grande, machucou o rosto, braço e a perna, e desde então, não pôde trabalhar.

"Eu estava na rua, só que estava com muito movimento, aí fui pra calçada. Dei poucos passos e de repente me deparei com um buraco. Quando eu vi, eu já estava dentro dele, bem machucada. Era um buraco estreito, que não tinha como eu ver e ainda estava sem sinalização", conta Marlene

De acordo com a diarista, ela ficou com metade do corpo dentro do buraco e se machucou bastante, especialmente na perna esquerda. Marlene disse que pediu ajuda a pessoas que estavam na rua e também ao morador da casa, que chegou a vê-la no buraco, possivelmente uma obra para ligação de esgoto na residência. No entanto, ele disse que não tinha o que colocar para sinalizar a obra e pediu desculpas, segundo ela.

Conforme a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano (Semadur) de Campo Grande, a responsabilidade da obra, neste caso, é do proprietário da casa. "Toda obra é uma armadilha. O responsável precisa entender que ele tem que prezar pela segurança da própria obra e também de terceiros. Neste caso, é claro que a responsabilidade era do proprietário, mas em uma obra que a infraestrutura fosse maior, seria do município", afirma o secretário da Semadur, Luis Eduardo Costa.

Nesta quinta-feira (20), a equipe da TV Morena passou no local do acidente e percebeu que o buraco, agora, está tampado. Por telefone, o morador da casa, que é alugada, disse que a responsabilidade é do proprietário do imóvel e que irá ajudar a diarista nos gastos com remédios e na recuperação dela. O homem, que não quis se identificar, contou ainda que o pedreiro da obra tinha colocado uma sinalização, mas não soube dizer exatamente o que era.

Segundo o advogado Matheus Tedesco, Marlene pode entrar com um processo de danos materiais pelo acidente. "Ela precisa comprovar essa culpa do proprietário e identificar o culpado para entrar com processo. Com isso, se ela sofreu dano de ordem material, como foi o caso de não poder trabalhar, ela pode pleitear isso na justiça, por meio de advogado ou servidor público", explica.

Para fazer obras na calçada, a prefeitura de Campo Grande esclarece que é necessário o cumprimento de normas de obras e sinalização. Para denunciar possíveis irregularidades, a prefeitura disponibiliza o telefone 156, já que o descumprimento das normas é passível de multa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEÃO
Entrega do Imposto de Renda com atraso tem multa a partir de hoje
MATO GROSSO DO SUL
Hotel deve indenizar pais de vítima que morreu afogada
DOURADOS
Aced distribui informativo, máscaras e cartazes de incentivo ao comércio
BRASIL
Plano Safra terá mais recursos e menos juros
MATO GROSSO DO SUL
Decreto reconhece crédito extraordinário aberto pelo Poder Executivo
BELA VISTA
Assentado é multado por exploração ilegal de madeira e desmatamento
ECONOMIA
Dólar tem forte queda e fecha a R$ 5,31 no 1º pregão de julho
PONTA PORÃ
Homem é encontrado morto embaixo de árvore e suspeita é que ventania gerou acidente
TRÁFICO DE DROGAS
Homem é preso ao transportar 260 kg de maconha em “mocó” de caminhão
POLÍCIA
DOF bate recorde de apreensões de droga no 1° semestre do ano com 109 t

Mais Lidas

REGIÃO
'Ciclone bomba' traz ventos fortes e alertas de granizo, chuvas e queda de temperatura a Dourados
PANDEMIA
MS soma mais cinco mortes de coronavírus; morador de rua douradense é uma das vítimas
POLÍCIA
Dupla é presa por tráfico de drogas no Dioclécio Artuzi
PANDEMIA
Dourados tem quatro mortes por Covid em 24 horas, uma das vítimas médico