Menu
Busca sábado, 25 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Decreto amplia Reintegra para celulose, açúcar e etanol

15 setembro 2014 - 18h00

Agência Brasil

Os exportadores de açúcar, etanol e celulose poderão pedir à Receita Federal a devolução de parte dos valores das vendas para o exterior. Decreto publicado hoje (15), no Diário Oficial da União, incluiu os três setores no Reintegra, regime especial de restituição a exportadores.

O decreto regulamenta a medida provisória que reinstituiu o programa, encerrado no fim do ano passado. Entretanto, para entrar em vigor novamente, o Reintegra ainda depende da edição de uma portaria do Ministério da Fazenda, estabelecendo percentual de devolução dos valores exportados.

Semana passada, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, havia confirmado a ampliação do Reintegra aos exportadores de açúcar e de etanol. Ele também havia dito que, este ano, 0,3% dos valores das mercadorias vendidas ao exterior seriam ressarcidos. A partir de 2015, o valor sobe para 3%. De acordo com a Receita Federal, a portaria com as alíquotas será editada ainda este mês.

Para incluir os novos setores no programa, o decreto mudou a definição de abrangência do Reintegra, de produtos manufaturados para industrializados. O novo termo permite que produtos semimanufaturados – como celulose, açúcar e etanol – possam fazer parte do regime.

O decreto também estabeleceu que, somente a partir de janeiro, os exportadores poderão requerer ressarcimento referente às mercadorias negociadas entre setembro e dezembro. Dessa forma, o Reintegra só terá impacto no caixa do governo a partir do próximo ano. Tradicionalmente, a devolução das mercadorias exportadas até setembro poderia ser pedida no trimestre seguinte, outubro a dezembro.

Segundo o coordenador-geral de Tributação da Receita Federal, Fernando Mombelli, a ampliação do regime especial fez o governo rever a estimativa de quanto vai deixar de arrecadar com o retorno do Reintegra. A projeção só será divulgada após a publicação da portaria.

Regime especial de restituição a exportadores industriais, o Reintegra devolve parte do faturamento das mercadorias exportadas por meio de créditos tributários pedidos à Receita Federal. O programa vigorou de 2011 a 2013. Em junho, o governo anunciou que retomaria o regime especial de forma permanente, como medida para estimular a competitividade da indústria nacional. A alíquota será definida ano a ano, mas ficará entre 0,1% e 3% do valor das mercadorias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prefeitura empenha R$ 1 milhão para asfalto no Jardim das Primaveras
DOURADOS
Prefeitura empenha R$ 1 milhão para asfalto no Jardim das Primaveras
Duas mulheres morrem por Covid-19 em Dourados
PANDEMIA
Duas mulheres morrem por Covid-19 em Dourados
Secretário de Estado de Saúde recebe dose de reforço contra Covid-19
VACINA
Secretário de Estado de Saúde recebe dose de reforço contra Covid-19
NA RÚSSIA
Bia Ferreira atropela rival e garante ouro no Mundial Militar de Boxe
Em nove meses, multas do CCZ superam R$ 1,3 milhão
DOURADOS
Em nove meses, multas do CCZ superam R$ 1,3 milhão
União deve fornecer medicamento de alto custo à criança portadora de Amiotrofia Espinhal Progressiva
TRT-MS
Juiz Tomás Bawden toma posse como desembargador do Trabalho na segunda-feira 
FLAGRANTE
Médico denunciado por cobrar cirurgia no SUS tem HC negado no STF
ESTADO
Comitê de Saúde discute uso do pregão eletrônico para compra de medicamentos pelo SUS
JUSTIÇA DO TRABALHO
MS tem mais de 350 audiências em três dias de conciliação e execução trabalhista

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é encontrado morto em casa por funcionária na Vila São Brás
RACISMO
Em SP, DJ Alok recorda exclusão de integrantes do 'Brô MCs' durante show em Dourados 
TRAGÉDIA 
Motociclista morre na BR-163 em Dourados após bater em uma capivara 
DOURADOS
Júri condena jovem que matou amiga com tiro na nuca e alegou 'acidente'