terça, 09 de agosto de 2022
Dourados
16°max
12°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Decreto amortiza impacto financeiro da seca no setor elétrico

14 janeiro 2022 - 09h09Por Redação com Agência Brasil

O decreto presidencial que regulamenta mecanismos para enfrentar os impactos financeiros causados pela escassez hídrica no setor elétrico foi publicado na edição de hoje (14) do Diário Oficial da União. Esses mecanismos foram criados pela Medida Provisória nº 1.078, publicada em dezembro do ano passado. 

A MP publicada em dezembro previa o uso de recursos que seriam arrecadados por meio de encargo tarifário, para lidar com os gastos a mais do setor elétrico. Por meio desses recursos buscou-se amortizar os impactos financeiros no setor.

Já o decreto publicado hoje (14) cria a Conta Escassez Hídrica, pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Ela receberá os recursos necessários para cobrir, “total ou parcialmente, os custos adicionais decorrentes da situação de escassez hídrica para as concessionárias e permissionárias de serviço público de distribuição de energia elétrica”.

Segundo a Secretaria-Geral da Presidência da República, a MP possibilitou a estruturação de operações financeiras garantidas pela Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), de forma a mitigar os efeitos do aumento de custos de geração de energia elétrica sobre as distribuidoras e os consumidores de energia elétrica.

E para evitar que os consumidores que migrassem para o Ambiente de Contratação Livre se furtassem de arcar com os custos adicionais suportados pelas distribuidoras, a MP previu instituir encargo tarifário para os casos de migração.

“Dada a natureza sistêmica dos referidos custos adicionais, o encargo será suportado por todos os consumidores atendidos pelas distribuidoras impactadas, exceto na parcela dos diferimentos, os quais recairão sobre os consumidores de cada distribuidora que obtiver financiamento para esse componente”, justificou a Secretaria.

A expectativa é de que, com o novo decreto, se garanta a “higidez de todo o sistema elétrico, de forma a permitir a célere injeção de recursos nas distribuidoras”. Ao mesmo tempo, acrescenta, busca-se possibilitar que o repasse aos consumidores dos custos adicionais observados na geração de energia elétrica se faça “de forma suave e diluída no tempo”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem é preso com maconha que seria entregue em Dourados
TRÁFICO

Homem é preso com maconha que seria entregue em Dourados

Socorrido após acidente na MS-162 morre em hospital
SIDROLÂNDIA

Socorrido após acidente na MS-162 morre em hospital

Relações humanas: a ressignificação do conceito de RH
GESTÃO DE PESSOAS

Relações humanas: a ressignificação do conceito de RH

Polícia captura líder de facção que fugiu de penitenciária paraguaia
PARAGUAI

Polícia captura líder de facção que fugiu de penitenciária paraguaia

Jovem morre no Hospital da Vida após ser baleado na cabeça
POLÍCIA

Jovem morre no Hospital da Vida após ser baleado na cabeça

COTAÇÃO

Frigoríficos testam preços menores para o boi

DOURADOS

Após denunciar furto, homem volta para casa e encontra ladrão dormindo

REGIÃO

Bandidos invadem agência bancária e furtam dinheiro de caixa eletrônico

REGIÃO

PMA autua 26 infratores e aplica mais de R$ 600 mil em multas por incêndios

DOURADOS

Abelhas sem ferrão compartilham o campus com a comunidade universitária na UFGD

Mais Lidas

BR-376

Lutador de MMA douradense é preso com mais de 40 quilos de cocaína

TRAPALHADA

Ladrão esquece mochila aberta e dinheiro roubado voa durante fuga

Adolescente fica gravemente ferido após caminhonete capotar na MS-141

COXIM

Casal de idosos foi morto por menores que levaram R$ 20