Menu
Busca domingo, 19 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ECONOMIA

Analistas preveem dólar a R$ 2,50 no fim de 2015

31 agosto 2014 - 20h21

oglobo.com

Há um consenso entre analistas, empresários e até entre técnicos do governo: 2015 deve ser um ano de ajuste na economia que passará por uma alta do dólar. Enquanto a média da cotação da moeda americana deve ficar em R$ 2,29 este ano, no ano que vem deve saltar para R$ 2,44, estimam economistas. No fim de 2015, chegaria a R$ 2,50.

Os números podem mudar ao sabor das eleições, mas, independentemente de saber quanto a cotação aumentará de fato, a esperança é que essa alta surta bons efeitos na estimulação da atividade econômica. Um setor que aguarda com ansiedade essa mudança no câmbio é a indústria. No segundo trimestre, a indústria recuou 3,4% em relação a igual período do ano passado, a maior queda desde o primeiro trimestre de 2009. Para as empresas exportadoras, quanto maior o dólar, melhor.

Representante de um dos setores mais prejudicados com a valorização cambial, o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (Abit), Fernando Pimentel, reclama que o câmbio voltou a ser utilizado pelo governo como fator de contenção de inflação. E alerta que, ao contrário do mercado mundial e nossos concorrentes, o Brasil está com a moeda apreciada há três anos.

"O que dá para dizer é que o câmbio está fora do lugar. Qualquer estratégia que vise a trabalhar de maneira estruturada para resgate de produtividade passa também pelo câmbio", destaca Pimentel.

O presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, vê a alta do dólar mais como positiva do que negativa. Para ele, as exportações passarão a ter fôlego novo, o processo de desindustrialização poderá ser interrompido e empregos serão gerados, com a recuperação da balança comercial. Sobre o fato de parte dos componentes e matérias-primas ser importada, ele diz:

"Isso estimula a produção de componentes nacionais. É bom lembrar que matéria-prima é componente, e não produto final. Mas o mais importante é que precisamos ter previsibilidade. O que temos hoje, claramente, é que o câmbio não é flutuante, e sim administrado".

Defasagem entre 15% e 20%

Analistas do mercado e técnicos da equipe econômica esperam que o dólar fique mais caro já no fim do ano. No governo, há expectativa de que o Banco Central (BC) segure a defasagem atual — entre 15% e 20% — até o segundo turno, mas, passado o período eleitoral, segundo fontes da equipe econômica, o BC deixaria o dólar flutuar mais livremente.

"A desvalorização do real será inevitável", disse um técnico do governo.

Para o economista-chefe da corretora NGO, Sidney Nehme, 2015 será um ano de arrumação independentemente do presidente que assumir. Ele ressalta que o próximo governo terá de lidar com uma situação que não é simples porque passa por todo o debate de competitividade da economia, que tem diminuído nos últimos anos.

Nehme lembra que, para atrair dólares, é preciso credibilidade. Para ele, o BC teve de vender proteção (em contratos de swap, clássico instrumento para fugir da variação cambial) porque o real não tem credibilidade. Para mudar, é preciso tempo:

"Se fizermos a lição correta, gastaremos 2015 para deixar o câmbio normal. Teremos de desfazer o que foi feito. O país não tem fluxo suficiente, temos um problema sério nessa área. A economia tem de ganhar credibilidade para não ter de recorrer à proteção cambial como em 2013 e 2014. Com o crescimento atual, ninguém atrai investidores".

O efeito colateral da alta seria o aumento da inflação, o que é amenizado nas discussões do governo, porque os alimentos estão com preço mais baixo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CIDADES
Prazo para pagar licenciamento de veículos com final 9 termina no dia 30 deste mês
POLÍCIA
Ao defender a mãe, jovem é agredido em bar e fica inconsciente
POLÍCIA
Mulher é atropelada e arrastada por motorista embriagado que não tinha CNH
Mato Grosso do Sul recebe mais 167.530 doses de vacina contra a Covid-19
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul recebe mais 167.530 doses de vacina contra a Covid-19
Criança de 5 anos morre após pais pararem para ajudar motorista em rodovia
POLÍCIA
Criança de 5 anos morre após pais pararem para ajudar motorista em rodovia
BRASIL
Vulcão nas Ilhas Canárias poderia provocar tsunami no Brasil
POLÍTICA
CPI da Covid deve fechar relatório com pedido de indiciamento de Bolsonaro por prevaricação
BRASIL
Presidente Jair Bolsonaro viaja aos Estados Unidos para assembleia da ONU
ESPORTE
Jardim e Nioaque são campeões da região Oeste da Liga MS de vôlei
DOURADOS
Instabilidade no E-SUS impede atualização de dados da Covid-19 do município

Mais Lidas

DOURADOS
Morto durante o trabalho em fazenda tinha 26 anos
ACIDENTE DE TRABALHO
Maquinário cai e mata trabalhador em fazenda entre Dourados e Itahum
'AMIGÃO'
Bêbado bate carro e deixa amigo ferido em canteiro
REGIÃO
Casal precisa ser socorrido após carro quase ser "engolido" pela chuva