Menu
Busca domingo, 28 de fevereiro de 2021
(67) 99257-3397
DOURADOS

Doação de terreno para o Lar Ebenezer atende TAC firmado em 2019

26 janeiro 2021 - 12h24Por André Bento

A doação de um terreno para construção da nova unidade do Lar Ebenezer, formalizada pela Prefeitura de Dourados na segunda-feira (25), atende um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado em 1º de outubro de 2019 entre o município, entidades que atuam no acolhimento de crianças e adolescentes, e o MPE-MS (Ministério Público Estadual).

O documento obtido pelo Dourados News aponta que todos atendimentos feitos pelo Lar Renascer deveriam ser transferidos, no prazo de 30 dias, após autorização judicial, para o Lar Ebenezer e para o Serviço de Família Acolhedora.

Aquele mesmo prazo foi estabelecido para o Lar Ebenezer mudar o estatuto, no intuito de poder acolher até 20 crianças e adolescentes do sexo feminino entre 8 e 18 incompletos. Já a criação da unidade 2, voltada ao acolhimento para o sexo masculino, mas em outro prédio, foi estabelecida em 60 dias.

Coube ao município de Dourados o compromisso de, pelo período de dois anos, repassar R$ 3 mil ao Lar Ebenezer II, masculino, e em um ano doar imóvel urbano para estruturação definitiva do espaço, localizado em área residencial, sem distanciar-se, excessivamente do ponto de vista geográfico e socioeconômico, da realidade de origem das crianças e adolescentes acolhidos.

Também no prazo de dois meses da assinatura do TAC, Lar Ebenezer e Família Acolhedora deveriam passar a acolher crianças e adolescentes atendidos pelo Instituto Agrícola do Menor, o Iame.

Além disso, havia sido estabelecido um ano para o município criar o segundo Serviço de Família Acolhedora. “A constituição e implantação de mais um Serviço de Família Acolhedora ficará condicionada ao repasse de recursos federais e estaduais destinados ao pagamento da bolsa auxílio às famílias acolhedoras, sendo que, na hipótese do Município de Dourados não conseguir arcar com a implantação desse segundo Serviço, o mesmo comprovará, ao Ministério Público e ao Poder Judiciário, de maneira idônea, a impossibilidade de implanta-lo”, ressalva o documento.

O TAC definiu que também em um ano, através do Serviço de Família Acolhedora, o município deveria cadastrar e habilitar, no mínimo, 30 famílias, entre elas famílias indígenas em número suficiente para os acolhimentos de crianças e adolescentes indígenas, salvo devidamente comprovada a impossibilidade.

Esse documento também foi assinado pelo Lar Santa Rita, que assumiu o compromisso de alterar estatuto no prazo de 30 dias, para poder acolher crianças de ambos os sexos entre 0 e 12 anos, que lá poderão permanecer até os 14 anos, além de adolescentes com seus filhos recém-nascidos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Como descobrir se seus dados pessoais estão sendo utilizados por terceiros?
UTILIDADE PÚBLICA
Como descobrir se seus dados pessoais estão sendo utilizados por terceiros?
Jovem colide moto e embriagado tenta fugir do hospital, mas é detido
DOURADOS
Jovem colide moto e embriagado tenta fugir do hospital, mas é detido
TRÁFICO DE DROGAS
Homem é preso com droga que levaria para PR
ESPORTES
Vasco anuncia Marcelo Cabo como seu novo técnico
Mega-Sena: aposta do Rio leva sozinha prêmio de R$ 49 milhões
LOTERIA
Mega-Sena: aposta do Rio leva sozinha prêmio de R$ 49 milhões
TEMPO
Domingo tem previsão de temperatura elevada e não chove
CAMPEONATO ESTADUAL
Focado em se manter na elite, Dourados estreia hoje contra o Aquidauanense
JUSTIÇA FEDERAL
Contribuinte não pode mudar declaração de IR simplificada para completa após prazo de entrega
BRASIL
Ceará lança lista inédita de animais encontrados no estado
PANDEMIA
Ampliados setores que vão abrir durante lockdown no Distrito Federal

Mais Lidas

DOURADOS 
Mulher é esfaqueada na região central e encaminhada ao HV em estado grave
DOURADOS 
Mulher que esfaqueou rival é autuada em flagrante por tentativa de homicídio
DOURADOS 
Mulher é presa após furtar residência no Altos do Indaiá
ITAQUIRAÍ
Acusado de matar homem com tiro na nuca diz que vítima ameaçava ex