Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397

Dívida de MS gera polêmica na Assembléia Legislativa

15 outubro 2003 - 07h09

A dívida estadual atingiu 5 bilhões e 444 milhões de reais, sendo que aumentou R$ 65 mi entre os meses de maio e agosto, segundo o relatório apresentando pelo Executivo na audiência pública sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal. O valor causou polêmica na Assembléia Legislativa. O deputado Antônio Carlos Arroyo (PL) se disse preocupado com a situação macroeconômica de Mato Grosso do Sul, durante pronunciamento na sessão da Assembléia Legislativa de ontem.Arroyo afirmou que a dívida do Estado é impagável. "Mato Grosso do Sul paga quase R$ 20 mi por mês e a dívida continua aumentando. O Estado não tem mais condições de pagar." O deputado Pedro Teruel (PT) informou que vai protocolar um requerimento de informações sobre o perfil da dívida estadual, juntamente com o deputado Arroyo. O objetivo é saber qual o montante principal e discutir e questionar os acréscimos, como juros, correção monetária e empréstimos para investimentos em obras que deveriam ser realizadas pelo Governo Federal. Arroyo lembrou que grande parte da dívida originou-se em empréstimos utilizados para pavimentação de estradas e a União ainda não efetuou o ressarcimento pela manutenção dessas rodovias. Ou seja, o Governo do Estado fez empréstimos junto à União para realizar obras que deveriam ter sido feitas com recursos federais e agora está pagando estes empréstimos com juros. O deputado citou como exemplo a construção da ponte sobre o Rio Paraguai, que liga duas BRs e, portanto, é competência do Governo Federal.O líder do Governo na Assembléia Legislativa, deputado Ary Rigo (PDT), usou a tribuna para destacar o desempenho do governador Zeca do PT que conseguiu sanar as finanças de Mato Grosso do Sul, mantendo em dia o pagamento da dívida com a União e, ainda, entregando obras por todo o estado, principalmente as de asfaltamento de rodovias através dos recursos arrecadados pelo Fundersul (fundo viabilizado junto à Assembléia Legislativa). Para o líder do Governo, se nesses 57 meses de governo de Zeca do PT, o Estado não pagasse a dívida que tem com a União, poderia ter asfaltado cerca de 2.280 quilômetros, ou seja, 40 quilômetros por mês. “O tratamento da União com Mato Grosso do Sul é injusto, quanto mais pagamos mais aumenta o nosso débito”, lamentou o deputado Rigo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UNIVERSIDADE
Laboratório de universidade federal analisa mais de 4 mil testes de Covid-19 em 2020
LEGISLATIVO
Deputados entregam a candidatos à Presidência da Câmara carta com prioridades para a educação
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto prevê punição para o repasse indevido de salário de funcionários de agentes políticos
BRASIL
Anac divulga aéreas que podem transportar cilindros de oxigênio
OPINIÃO
Como as alterações nos benefícios previdenciários podem te impactar
PANDEMIA
Mato Grosso do Sul realiza primeira vacinação contra o coronavírus
SISTEMA DE SAÚDE
Governo foi informado dia 8 sobre escassez de oxigênio em Manaus
TRAGÉDIA
Criança de seis anos morre em acidente entre Bonito e Bodoquena
CLÁSSICO
Palmeiras goleia Corinthians e segue sonhando com título brasileiro
REGIÃO
Bombeiros são acionados para buscas após populares verem corpo boiando em rio

Mais Lidas

DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
DOURADOS
Comitê alerta para crescente da Covid e prefeito expede decreto com novas regras
DOURADOS
Em ação conjunta, polícia deflagra operação para investigar crimes