Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(67) 99659-5905

Dilma destacará luta contra ditadura para conquistar militantes do PT

06 fevereiro 2010 - 09h13

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) concentra-se, nos bastidores, na elaboração do discurso que fará no 4º Congresso Nacional do PT, dia 20, quando a sigla oficialmente a reconhecerá como pré-candidata e iniciará os movimentos mais concretos de campanha.


O núcleo que integra a pré-campanha considera fundamental a ministra acertar o tom para envolver a militância petista na campanha e fornecer as ideias centrais que adotará no embate eleitoral.

Para os petistas que atuam na pré-campanha, a ministra, que só ingressou no partido em 2001, deve mostrar vínculos com lutas históricas do PT na tentativa de sensibilizar os militantes e 1,3 milhão de filiados. Por isso ela foi aconselhada a incluir no discurso partes em que enfatiza sua militância de esquerda na luta contra a ditadura militar no país.

Uma espécie de versão bruta foi preparada pelo marqueteiro João Santana, mas Dilma já a modificou várias vezes.

A ministra tem discutido com poucos a sua fala, pois quer adotar uma retórica própria, que a diferencie do presidente Lula aos olhos do público interno. Ela pretende mostrar ao presidente o texto final, segundo disseram interlocutores da ministra à Folha.

Apesar de enfatizar o que considera avanços no atual governo, a ênfase do discurso da ministra deve ser o futuro, elegendo a educação e a saúde como compromissos e temas centrais que deve abordar na campanha como candidata do PT à Presidência.

Em relação à política externa, a ministra sinalizou a interlocutores que quer abordar a necessidade de inserção do Brasil no primeiro mundo. Neste quesito, ela pretende listar as ações nos dois mandatos do governo Lula, que para o PT destoam das gestões de Fernando Henrique Cardoso.

O núcleo que atua na pré-campanha da ministra acha que o tom plebiscitário da eleição de outubro --o confronto entre os governos FHC e Lula-- pode funcionar para a militância, mas não pode ser predominante nos debates eleitorais. "Isso motiva parte do eleitorado mais à esquerda, mais identificado com o PT, mas não mais que 20%", avalia um aliado da ministra.

Dilma pretende tocar ainda num tema que mexe com o imaginário petista: o papel do Estado como indutor de um projeto de desenvolvimento. Os coordenadores da pré-campanha avaliam que o tema precisa ser abordado com cautela para não ser confundido com um projeto estatizante, o que causaria reações no mercado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Polícia Militar flagra dupla armada na região do Parque das Nações
AVANÇO DA COVID-9
Brasil passa a Itália e se torna 3º país com mais vítimas do coronavírus
PONTA PORÃ
Veículos com maconha que seguiam para MG e SP são apreendidos
LIVE SEMANAL
Bolsonaro diz que manifestantes contrários são "terroristas"
CAPITAL
Motorista bêbada oferece R$ 500 a PMs após atropelar entregador
JUSTIÇA
Incorporadora deve rescindir contrato e devolver 75% pago por terreno
BATAGUASSU
Homem tenta entrar em presídio com droga em creme dental e acaba preso
FACADA
MPF conclui que Adélio agiu sozinho em ataque contra Bolsonaro
SETE QUEDAS
Polícia apreende veículo com quase 400 quilos de maconha na MS-160
CORONAVÍRUS
Em uma semana, laboratório da UFGD realiza 129 exames de covid-19

Mais Lidas

EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Novo epicentro, Dourados é a cidade com mais casos de coronavírus em MS
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
TRÁFICO DE DROGAS
Casal é preso após entreposto da droga ser fechado em Dourados