Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
(67) 99257-3397

Desocupação: índios ameaçam usar homens-bomba

07 abril 2008 - 15h18

Os índios contrários à desocupação da terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, pretendem usar até mesmo homens-bomba. Um indígena, usando máscara e pedindo para não ser identificado, mostrou como manipulará os artefatos. "Estou preparado para matar ou morrer. Tenho um cinto de bombas e vou me jogar em cima dos policiais explodindo todo mundo", ameaçou.

Além dessas armas, indígenas das comunidades vizeu, contão, flexal e taxi se uniram aos manifestantes e levaram arcos, flechas e cacetetes. Até sábado, 420 índios haviam chegado à vila Surumu, distrito de Pacaraima, para se unir aos cerca de 400 manifestantes.

Mulheres indígenas estão sendo usadas como escudos para proteger a desocupação da terra indígena Raposa Serra do Sol. Com bombas de fabricação caseira, arcos, flechas e cacetetes, elas patrulham a região montadas em cavalos e pretendem se defender dos policiais federais destacados para executar a Operação Upatakon 3.

Elas também mantêm os rostos cobertos com máscaras artesanais. Nas suas buscas, o alvo são os policiais federais, que consideram inimigos. Elas garantem que estão prontas para a guerra.

Os acessos à vila Surumu estão bloqueados por vias terrestre, fluvial e aérea. Na via terrestre, duas pontes foram incendiadas e outra permanece bloqueada. Pelo rio Uraricuera, a balsa foi retida e pela via área, os manifestantes colocaram diversos tambores na pista de pouso.

O outro caminho à terra indígena, pelo Município de Normandia (161 km de Boa Vista), também foi fechado. Os manifestantes queimaram a cabeceira da ponte de madeira Conceição de Maú, que era a entrada principal da cidade, deixando mais de 7 mil habitantes isolados.

O novo superintendente da Polícia Federal em Roraima, delegado José Maria Fonseca, classificou a resistência dos produtores de arroz em deixar a terra indígena Raposa Serra do Sol como um ato de insubordinação.

O delegado Fonseca, que ainda aguarda a publicação da portaria de nomeação, disse ainda que o movimento consiste em "desobediência civil, incitação à prática de crimes, uso de incapazes como escudos, cerceamento do direito constitucional do cidadão de ir e vir e danos causados ao patrimônio público".

Deixe seu Comentário

Leia Também

Destelhamento apavorou funcionários que fechavam churrascaria
CLIMA
Destelhamento apavorou funcionários que fechavam churrascaria
Jovem é preso por disparos e porte ilegal de pistola
MUNDO NOVO
Jovem é preso por disparos e porte ilegal de pistola
Veículo roubado é recuperado e 506 quilos de maconha apreendidos
TRÊS LAGOAS
Veículo roubado é recuperado e 506 quilos de maconha apreendidos
PMA resgata Anta em fossa de posto de combustível e mais animais em residências
MEIO AMBIENTE
PMA resgata Anta em fossa de posto de combustível e mais animais em residências
Democratas se reúnem e estabelecem controle do União Brasil em MS
POLÍTICA
Democratas se reúnem e estabelecem controle do União Brasil em MS
POLÍTICA
Comissão aprova direito do jovem a ter informações sobre mecanismos de participação política
PANDEMIA
Estudo aponta redução de atendimentos de saúde mental durante pandemia
DOURADOS
Nas últimas horas cinco são presos por embriaguez ao volante
DOURADOS
Carro batido é abandonado no Jardim América
PANDEMIA
UTI Covid segue com seis internações em Dourados

Mais Lidas

PRESIDENTE VARGAS
Escola dispensa alunos em Dourados após mensagens de ameaças
CÁRCERE PRIVADO
Tentativa de sequestro a criança termina com jovem preso em Dourados
DOURADOS
Print tirado de conversa entre alunos resultou em mal-entendido e levou pânico a escola
DOURADOS
Homem é removido de grupo de whats e procura a delegacia