Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021
(67) 99659-5905

Delcídio recebe apoio de senadores do Sudeste e Nordeste

31 outubro 2003 - 16h27

O Senador Delcidio do Amaral (PT/MS) afirmou nesta sexta-feira que o projeto de Reforma Tributária, do jeito que foi aprovado na Câmara dos Deputados, não reverte o processo de concentração de renda e investimentos nas Regiões Sul e Sudeste, agrava as desigualdades regionais, não estimula a interiorização e prejudica sensivelmente o Centro-Oeste.O parlamentar sul-mato-grossense ocupou a tribuna para enumerar  uma série de prejuízos que os estados da região vão sofrer caso seja aprovado o relatório do Senador Romero Jucá (PMDB/RR), entre eles a queda  de 20 % na arrecadação do ICMS em conseqüência da redução em 2/3 da alíquota que incide sobre as matérias primas da cesta básica, a fixação de 30 de abril como limite para concessão de incentivos fiscais, o aumento de impostos sobre máquinas e implementos agrícolas, a diminuição do repasse de recursos arrecadados com a contribuição sobre combustíveis(CIDE) e a descaracterização  dos Fundos de Desenvolvimento Regional, em cuja partilha foram incluídos estados ricos como o Rio de Janeiro.Durante o discurso, Delcídio recebeu apartes de apoio de senadores do Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Ney Suassuna (PMDB/PB) disse que a desigualdade regional no Brasil é uma injustiça que se perpetua, pois a Constituição  reza uma coisa e a realidade é outra. Gerson Camata (sem partido/ES) saudou o empenho de Delcídio e afirmou que o Espírito Santo também está engajado na luta para mudar a Reforma Tributária. Ramez Tebet (PMDB/MS) destacou que a reforma, em vez de oferecer benefícios, está tirando recursos do Centro-Oeste. Serys Slhessarenko (PT/MT) pediu o apoio dos demais senadores para aprovar as emendas da bancada  e  Rodolpho Tourinho (PFL/BA) disse sentir nas palavras de Delcídio que os estados do Nordeste e do Centro-Oeste estão falando a mesma linguagem.No final do discurso, Delcídio convocou os senadores a fazer uma "profunda reflexão" sobre o relatório aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, sobretudo em relação aos impactos que a Reforma Tributária pode trazer para as "combalidas economias das regiões menos favorecidas do Brasil", e advertiu que os parlamentares de Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso e o Distrito Federal "não vão se omitir em restabelecer a isonomia econômica e social entre as regiões, para promover o desenvolvimento e o crescimento de um Brasil mais justo, solidário e fraterno". A bancada do Centro-Oeste apresentou 32 emendas ao projeto, que serão discutidas em reunião marcada para a próxima terça-feira em Brasília, da qual vão participar governadores, senadores e o relator Romero Jucá.Delcídio lembrou que desde o Brasil Império, as Regiões Sul e Sudeste vem concentrando a maior parte dos investimentos públicos. Esses investimentos dotaram essas regiões de infra-estrutura que, somada aos incentivos fiscais do passado, criaram as condições necessárias para a atração do capital privado e para o crescimento da produção. -  Com relação aos financiamentos do BNDES, dos R$ 37,4 bilhões aplicados em 2002, 78% foram direcionados para as Regiões Sul e Sudeste e dos R$ 8,2 bilhões aplicados no restante do País, somente R$ 2,5 bilhões foram destinados à Região Centro-Oeste, o que representa menos de 7% dos investimentos do BNDES no ano passado.Assim como acontece com os recursos do BNDES, os benefícios tributários federais também são direcionados para o Sul e Sudeste. Dos R$ 24 bilhões de renúncia tributária prevista para 2003, R$ 14 bilhões e 700  milhões (61,4%) ficarão para o Sul/Sudeste. O restante do País recebe apenas R$ 9  bilhões e 250 milhões em benefícios tributários, e isso porque a Zona Franca de Manaus recebe cerca de R$ 3,5 bilhões. Excluída a Zona Franca, o Norte, o Nordeste e o Centro-Oeste recebem pouco mais de 1/3 dos benefícios tributários concedidos ao Sul/Sudeste - revelou o senador. Em relação as transferências da União para os Estados e Municípios, Delcídio disse que o Centro-Oeste é a região mais prejudicada do País.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SISTEMA DE SAÚDE
Pacientes de Manaus continuam sendo transferidos para hospitais universitários federais
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto altera requisitos exigidos para o cargo de diretor de presídio
SAÚDE
Lesão de continuidade na pele pode ser porta de entrada para bactérias
EDUCAÇÃO
Fapec seleciona profissionais para atuarem em projetos coordenados pela fundação
FUTEBOL
Com eleição adiada, Barcelona não deve ir ao mercado em janeiro
BRASIL
Ciclistas protestam contra morte de colega por motorista bêbado no Rio de Janeiro
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Projeto concede incentivo fiscal para quem patrocinar cirurgias no SUS
ESPORTES
Australian Open: tenistas são isolados após contatos com infectados
SAÚDE
Covid-19: entidade orienta sobre vacinação em pacientes reumáticos
FRONTEIRA
Homem é preso portando arma de fogo e munições em Ponta Porã

Mais Lidas

DOURADOS 
Jovem cai de moto e pede ajuda após levar facada
PANDEMIA 
Dourados tem oito mortes por Covid em 24 horas  
OPERAÇÃO
Polícia fecha "boca de fumo" comandada por família no Canaã IV
DOURADOS 
Prefeitura anula 75 das exonerações anunciadas no meio da semana