Menu
Busca quinta, 16 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
EM DOURADOS

Delcídio diz vencer no 1º turno e questiona “velha política”

16 agosto 2014 - 11h15

O senador e candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Delcídio do Amaral (PT), disse estar confiante na vitória no pleito de outubro e questionou, segundo ele, a ‘velha maneira’ de se fazer política no Estado. Em Dourados, onde realiza campanha durante todo o sábado (16), ele atendeu a imprensa num aeroporto particular e conversou sobre vários assuntos.

“Estamos preparados para vencer no primeiro turno, porque, dizem os especialistas, se nós começarmos a rodar com 47%, 48%, já foi. O Ibope [instituto de pesquisa] fala até em 45%”, disse.

Durante a semana, a Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) junto do Ibrape, divulgou a segunda rodada da pesquisa para o governo que aponta o senador com 44%, seguido por Reinaldo Azambuja (PSDB), 21% e Nelsinho Trad (PMDB), que tem 20%. Evander Vendramini, professor Monje e Sidney Melo aparecem respectivamente com 2%, 1% e 1%.

Apesar da vantagem, o petista teve uma ligeira queda entre a primeira rodada, divulgada em julho. Na época, ele aparecia com 46% das intenções de voto.

Questionado, disse não se preocupar com os números. “Não, está dentro da margem. Vamos continuar trabalhando e no meio do povo. Vamos trabalhar duro para fechar a conta no 1º turno”, afirmou.

VELHA POLÍTICA

Delcídio voltou a falar sobre fazer uma campanha voltada para propostas, sem ataques pessoais, mas acabou alfinetando o que chama de ‘velha política’ no Estado.

“Essa velha política de achar que esse tipo de coisa funciona [ataques]. No início do ano era a minha identificação com Alcides Bernal [prefeito cassado de Campo Grande e candidato ao senado] e vocês estão vendo o que ele representa nas pesquisas (...), tanto é que a operação é tentar tirá-lo na Justiça, porque se não segurar... vocês estão vendo os números dele”, disse acompanhado pelo também candidato ao Senado em sua coligação, Ricardo Ayache (PT).

Na mesma pesquisa divulgada pela Fiems, Bernal aparece muito próximo de Simone Tebet (PMDB) na estimulada e à frente dela na espontânea.

Sobre o envolvimento na compra por parte da Petrobrás, da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, ele disse que todos os assuntos com relação à energia terão seu nome vinculado.

“Sai da Petrobrás há anos e tentam confundir, misturam. Até pela minha relação com a empresa, trabalhei lá, como não vou conhecer o pessoal? Qualquer assunto que envolver o setor energético terá meu nome envolvido. Mas não dessa forma que a Veja [revista que divulgou um vídeo onde o nome do senador aparece, junto outras pessoas numa suposta combinação de perguntas e respostas para a CPI da Petrobrás] tentou me envolver no processo. Cita o meu nome e qual a relação do que aconteceu?”, e continua: “mas a turma explora. A confusão é só aqui, tanto que na semana passada nem citaram o meu nome na revista. O MP (Ministério Público) agora investiga quem levou a ‘canetinha’ para apurar como na sala da diretoria da Petrobrás se grava uma conversa entre gerentes, agora eu quero ver”, finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Mesa da Câmara confirma cassação do deputado Boca Aberta
Ambiental surpreende infratores pescando na Cachoeira do Apa 
CRIME AMBIENTAL
Ambiental surpreende infratores pescando na Cachoeira do Apa 
PUBLICAÇÃO
Prazo para envio de trabalhos da Revista da PGE termina amanhã
Acusado de assassinato, homem é flagrado levando foragido ao Paraguai
Números da pandemia
Média móvel de mortes por Covid fica acima de 500 pelo 3º dia
CAMPO GRANDE
Homem armado invade residência e estupra adolescente de 15 anos
MS
Tribunal de Justiça inicia curso de formação dos novos juízes substitutos
ACIDENTE
Funcionário morre esmagado por égua em fazenda do Pantanal
SAÚDE
Justiça pede transparência nos reajustes de planos de saúde coletivos
JUSTIÇA
PM's de São Paulo presos com drogas no MS são condenados a 6 anos em regime semiaberto

Mais Lidas

DOURADOS
Após denúncias, casal é preso por tráfico no Jardim Guaicurus
TRAGÉDIA EM SP
Sócio de usina em MS e mais 6 pessoas morrem em acidente com aeronave
DOURADOS
Embriagado, dono de bar agride e ameaça funcionária
DOURADOS
Para desafogar 'avenida da morte', obra em trevo da BR-163 começa no próximo mês