Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021
(67) 99659-5905

Cunha e Catilina; Dilma e Cícero

16 dezembro 2015 - 07h25

Nada mais apropriado para estampar a nova ação desencadeada pela Polícia Federal no âmbito da Operação Lava-Jato na manhã de terça-feira do que o nome dado a ela: “Catilinárias”, fazendo referencia ao senador Lúcio Sérgio Catilina, que tentou derrubar o governo Republicano defendido pelo cônsul romano, Marco Túlio Cícero, em 63 a.c.

Agora, quase 2.100 anos depois, no Brasil, a situação se torna parecida diante do embate existente entre o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), e a presidente da República, Dilma Rousseff (PT).

Comparando as datas e a história e guardando as devidas proporções, Cunha estaria para Catilina, como Dilma para Cícero.

Ou seja, o parlamentar tenta desde o início do ano derrubar o governo boicotando projetos e fazendo oposição ‘fria e calculada’ numa clara intenção de quem sabe, comandar o país. Porém, como no papel de Catilina no passado, não consegue atrair a confiança de pessoas próximas a ele devido a dúvidas em relação ao seu caráter.

Contra Eduardo Cunha, recai as contas existentes na Suíça e investigações contra a sua pessoa que podem resultar até na cassação de mandato, o comprometem nesta bagunça que se transformou o país. Sem contar as buscas e apreensões realizadas ontem em suas casas no Rio de Janeiro e Brasília.

Já Dilma através de sua base tenta de toda forma desmascarar o deputado, como no famoso discurso versado por Cícero, questionando de forma ameaçadora o seu opositor, caso continue com seu rito.

A afirmação do cônsul romano, é claro, não se alinha ao trabalho desencadeado pela presidente até o momento, que é péssimo e se prova nas recentes pesquisas de popularidade, mas sim, na intenção de intimidar e mostrar possíveis consequências contra ele.

Isso vem se tornando cada vez mais do que evidente, até porque, a caixa-preta aberta pelo poder contra o deputado é sabida de tempos e vem sendo usada aos poucos como uma forma de desmoralizar o já desmoralizado parlamentar diante de sua tentativa de sair como herói de um processo corrupto que se mostra sem fim.

Cabe agora à Justiça e organismos independentes de qualquer ação politiqueira não deixar a ‘peteca’ cair para que mais pessoas possam ser ‘derrubadas’ nessas ações e que respondam pelas mazelas deixadas no Brasil.
Que a Lava-Jato vá até o fundo, que se vasculhe e coloque atrás das grades, todos os que de alguma forma surrupiaram o país ao longo de anos e décadas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SEU BOLSO
Órgãos de proteção alertam consumidor sobre compra de material escolar
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
Permanece alta taxa de ocupação de leitos UTI Covid-19 em Dourados
PANDEMIA
Permanece alta taxa de ocupação de leitos UTI Covid-19 em Dourados
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
Primeira etapa de pré-matrícula da Reme vai até quinta-feira
DOURADOS
Primeira etapa de pré-matrícula da Reme vai até quinta-feira
MS
Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes
SIDROLÂNDIA
Homem leva facadas pelas costas e é socorrido em estado grave
CAPITAL
Jovem é baleado e homem preso é suspeito de ser mandante do crime
BRASIL
Enfermeira de São Paulo é a primeira a receber vacina contra covid no Brasil
MS
Ocupação de leitos em UTI Covid continua alta nas cinco macrorregiões do Estado

Mais Lidas

DOURADOS 
Jovem cai de moto e pede ajuda após levar facada
PANDEMIA 
Dourados tem oito mortes por Covid em 24 horas  
OPERAÇÃO
Polícia fecha "boca de fumo" comandada por família no Canaã IV
DOURADOS 
Prefeitura anula 75 das exonerações anunciadas no meio da semana