Menu
Busca sexta, 16 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Crea-MS faz alerta sobre cursos ilegais

06 julho 2005 - 16h59

O vice-presidente do Crea-MS (Conselho Regional de Engenharia , Arquitetura e Agronomia) de Mato Grosso do Sul, Abrahão Malulei Neto, fez um novo alerta esta semana sobre o mercado de trabalho para os profissionais que atuam no ramo da agronomia. Segundo Neto, curso em andamento em universidade particular do Estado pode representar dor de cabeça para o esse tipo de profissional.De acordo com ele, o curso de Tecnólogo em Agronomia, por exemplo, pode significar problemas para o aluno que freqüentá-lo. “Com certeza essa pessoa terá dificuldades de se empregar porque não é nem um técnico agrícola de nível médio nem um engenheiro agrônomo, aliás, deverá trabalhar sob a orientação de um profissional superior. Não poderá nem prescrever a receita agronômica”, ressaltou.Um parecer do Crea-MS já foi divulgado sobre o assunto. No documento, o Conselho afirma que as instituições de ensino devem elaborar os plano ou projetos pedagógicos respeitando o que está previsto na lei. Portanto, as denominações “Curso Superior de Tecnologia em Agronomia” ou “Tecnólogo em Agronomia” estão sendo indevidamente usadas pelas faculdades, já tendo se manifestado desta forma, inclusive, até o Conselho Federal. “Esse profissional não terá atribuição no mercado e sofrerá as conseqüências por isso”, frisou Neto.O vice-presidente lembra que no final do ano passado, a Câmara Especializada de Agronomia sugeriu a adequação do nome do curso, o que foi aprovado por unanimidade pelo plenário do Crea-MS, caso contrário, as instituições estariam enganando o aluno ao afirmar que trata-se de um curso superior em agronomia, criando, inclusive, falsas expectativas quanto às atribuições legais e até mesmo sobre o título profissional.Segundo o Crea-MS, o parecer do conselho está fundamentado num outro parecer do CNE (Conselho Nacional de Educação), aprovado em 2002, que dispõe sobre os cursos superiores não plenos de tecnologia e formação de tecnólogos. Tais cursos de tecnologia já existiram em um passado recente em MS, terminando por absoluta falta de mercado aos seus egressos, que trataram de fazer outro curso para poder ter um lugar ao sol. Assim os riscos de uma frustração profissional estão na escolha de cursos não reconhecidos, ou, se reconhecidos, de má qualidade e de número reduzido de horas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Carga com 25 mil maços de cigarros contrabandeados é apreendida na BR-419
NIOAQUE
Carga com 25 mil maços de cigarros contrabandeados é apreendida na BR-419
Previsão indica que estiagem pode acabar hoje em Dourados
CLIMA
Previsão indica que estiagem pode acabar hoje em Dourados
Unidades educacionais tem espaço ideal para divulgar serviços no caderno "Educação" do Dourados News
EDUCAÇÃO
Unidades educacionais tem espaço ideal para divulgar serviços no caderno "Educação" do Dourados News
Polícia apreende comboio com quase 7 mil pacotes de cigarros do Paraguai
CONTRABANDO
Polícia apreende comboio com quase 7 mil pacotes de cigarros do Paraguai
Sem câmeras, prefeitura avalia instalação de equipamentos após invasão e furto
POLÍCIA
Sem câmeras, prefeitura avalia instalação de equipamentos após invasão e furto
TRÁFICO DE DROGAS
Veículo é apreendido com mais de 270 kg de drogas na BR-463
DOURADOS
Projeto da UFGD esclarece dúvidas sobre declaração de Imposto de Renda
RIO BRILHANTE
Autor de homicídio estava bebendo com a vítima antes de cometer crime
NEGÓCIOS & CIA
Criptomoedas devem enfrentar rodada "drástica" de supervisão
CAPITAL
Ensanguentado, homem pede ajuda e é socorrido para hospital

Mais Lidas

DOURADOS
Veículo usado para transportar corpo de colombiano passará por perícia
CRIME AMBIENTAL
Goiano preso com minhocas terá que pagar multa de quase meio milhão de reais
AMEAÇA DE EXTINÇÃO
Após passar por MS, homem é preso com mudas raras que seriam vendidas na Bolívia
DOURADOS
Funsaud oficializa saída de diretor médico da UPA após denúncia de escala sem plantonista