Menu
Busca sexta, 05 de março de 2021
(67) 99257-3397

CPI dos bingos volta a ser discutida amanhã no Congresso

14 março 2004 - 11h59

Depois da uma semana tensa de negociações em que a bancada governista conseguiu arquivar no Senado dois pedidos de abertura para CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigariam as casas de bingos e o assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, os trabalhos legislativos que serão retomados nesta segunda-feira (15) ainda trarão certa tensão no Senado.Logo após votar três Medidas Provisórias que estão retardando a pauta, impedindo outras votações, os senadores votarão o parecer do senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), aprovado pela CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania), que mantém a decisão do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), de não indicar integrantes para CPI dos bingos, alegando estar impedido regimentalmente de fazê-lo. O parecer de Quintanilha é contrário a dois recursos --do líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM) e da senadora Heloísa Helena (sem partido-AL)-- que solicitam que Sarney faça as indicações no lugar dos líderes da base aliada.A base governista, utilizando uma manobra regimental, decidiu não indicar integrantes para CPI dos bingos, impedindo, na prática, que ela seja instalada. Como uma CPI precisa de 13 integrantes, oito deles indicados pela base aliada devido à proporcionalidade partidária, a comissão parlamentar não pode funcionar sem a indicação por parte da base governista.Depois de um debate intenso na CCJ que se transformou em trocas de acusações entre os senadores na quinta-feira (11), a oposição tentou encaminhar um outro requerimento de CPI. Desta vez para investigar as circunstâncias em que morreu Celso Daniel, em janeiro de 2002. O requerimento foi arquivado pela mesa diretora, depois que dois senadores, Papaléo Paes (PMDB-AP) e Paulo Otávio (PFL-DF) decidiram retirar seu apoio à CPI.A oposição diz que vai recorrer da decisão da CCJ no Supremo Tribunal Federal para garantir as minorias o direito de realizar no Congresso investigações políticas. De acordo com o senador Arthur Virgílio, a estratégia adotada pelo governo até agora visa a impedir a instalação de qualquer CPI no Senado.Além de votar os recursos e as MPs que já estão bloqueando a pauta, o plenário do Senado prepara-se para receber outras 17 Medidas provisórias da Câmara dos Deputados. A Câmara votou na última semana 15 das 19 MPs que estavam trancando a pauta da Casa. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Administrador é multado por derrubada de árvore e exploração de madeira
MEIO AMBIENTE
Administrador é multado por derrubada de árvore e exploração de madeira
Neno Razuk apresenta projeto para dar nome de Adib Massad à sede do DOF
POLÍTICA
Neno Razuk apresenta projeto para dar nome de Adib Massad à sede do DOF
Dourados adere a consórcio para compra de vacinas contra a Covid-19
PANDEMIA 
Dourados adere a consórcio para compra de vacinas contra a Covid-19
Estudo mostra que mulheres ocupam menos de 1/3 de cargos gerenciais e policiais de MS
LEVANTAMENTO
Estudo mostra que mulheres ocupam menos de 1/3 de cargos gerenciais e policiais de MS
Executado na fronteira era publicitário e morador em Dourados
EXECUÇÃO
Executado na fronteira era publicitário e morador em Dourados
JÚRI POPULAR
Homem que matou idoso a cadeiradas em Dourados é condenado a 7 anos de prisão
SIDROLÂNDIA
Empresário morre em acidente que deixou outros três feridos
SAÚDE & BEM-ESTAR
Unimed Dourados apresenta sua nova estrutura
INFORME PUBLICITÁRIO
CD CorteDobra: uma empresa focada em qualidade e atendimento personalizado
DOURADOS
Alerta de chuva intensa segue ativo, mas volume acumulado ainda é baixo

Mais Lidas

DOURADOS 
Vídeo mostra momento da colisão entre veículos em Dourados
PONTA PORÃ
Casal é assassinado na fronteira e corpos são deixados um ao lado do outro
NOVA DOURADOS
Colisão entre veículos deixa pessoa gravemente ferida em Dourados
PANDEMIA 
Secretário alerta para nova variante do coronavírus na região da Grande Dourados