Menu
Busca sábado, 31 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Corinthians vota polêmica parceria nesta terça-feira

23 novembro 2004 - 12h51

Os dois órgãos mais importantes do Corinthians decidirão nesta terça-feira, à noite, o futuro da parceria com a MSI (Media Sports Investments). Às 17 horas, o texto do novo contrato será avaliado pelos 25 integrantes do Cori (Conselho de Orientação). Um parecer será enviado ao Conselho Deliberativo, que se reunirá às 19 horas, no salão nobre do Parque São Jorge. Ao todo, 380 conselheiros têm direito a voto: 185 vitalícios e 195 quadrienais. Na última reunião, dia 5 deste mês, o contrato não passou. O Cori e o CD fizeram quatro adendos ao texto original. A MSI queria criar uma S/A; o Cori e o Conselho exigiram uma associação de licenciamento. A MSI elegeu o Fórum de Londres para decidir eventuais questões; o Cori e o Conselho querem o de São Paulo; a MSI não dava garantias ao dinheiro que será investido no clube; o Cori e o Conselho querem um aval bancário de um grande banco internacional (JP Morgan, Chase Manhattam, Citibanck, Barclays, Credit Suisse ou HSBC). Além disso, o Cori e o Conselho querem saber a origem do dinheiro. O clube está dividido. Com o caixa a zero e sem perspectivas para quitar uma dívida de R$ 22 milhões, criada só na última etapa da administração Alberto Dualib, a diretoria vê a parceria como a única solução para zerar o déficit (não estão incluídas nesses R$ 22 milhões as pendências com a Justiça do Trabalho. Se o clube perder todos os processos movidos por ex-funcionários e atletas, a dívida pode chegar aos R$ 60 milhões). Se o contrato for aprovado, a MSI dará ao Corinthians, de luvas, U$ 35 milhões - U$ 20 milhões para quitar as dívidas e U$ 15 milhões que serão investidos em grandes contratações. Além disso, compromete-se a pagar para o departamento Social U$ 200 mil mensais no primeiro ano e R$ 200 mil mensais no segundo. A empresa assumirá todas as despesas e a receitas do departamento de Futebol profissional e amador nos próximos 10 anos. E terá preferência para renová-los por outros 10, de acordo com o texto do contrato. É impossível garantir que o contrato será assinado. Há um grande equilíbrio entre o grupo favorável e o contra. A MSI provocou uma racha nas lideranças políticas. Juntos, o presidente Alberto Dualib, o vice Nesi Curi e o cardeal Wadih Helou sempre foram imbatíveis. Como Helou não vê a parceria como um bom negócio a partir do segundo ano de contrato, resolveu mudar de lado, provocando um racha no grupo.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Pessoas com 20 anos ou mais podem se vacinar em três unidades básicas de saúde
IMUNIZAÇÃO
Pessoas com 20 anos ou mais podem se vacinar em três unidades básicas de saúde
Traficantes abandonam caminhão com quase 700 quilos de maconha na BR-163
DOURADOS
Traficantes abandonam caminhão com quase 700 quilos de maconha na BR-163
TEMPO
Sábado de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
PARAGUAI
Corpos de militares foram destroçados por bomba enterrada na estrada
CORONAVAC
Butantan pede autorização para vacinar público entre 3 e 17 anos
CAPITAL
Acusado de matar homem com tiro na cabeça presta depoimento
ENERGIA MAIS CARA
Conta de energia continuará com taxa extra mais elevada em agosto
COSTA RICA
Corpo de trabalhador rural é encontrado em barco no Rio Taquari
IMUNIZAÇÂO
Brasil chega aos 100 milhões de vacinados com 1ª dose
CAPITAL
Após confusão, policial penal que atirou é preso e PM liberado

Mais Lidas

ACIDENTE DOMÉSTICO
Após discussão com entregador jovem acaba ferido
PARAGUAI
Militares executados na fronteira eram sargentos da FTC
PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos
CLIMA
Dourados bate recorde de frio no ano com geada forte