Menu
Busca domingo, 09 de agosto de 2020
(67) 99659-5905

Continua greve silenciosa de médicos do INSS na capital

05 janeiro 2004 - 17h46

Há mais de um mês, os médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão em greve por tempo indeterminado em Campo Grande. A paralisação já está prejudicando cerca de 1,5 mil trabalhadores que foram vítimas de acidente de trânsito, de trabalho e doentes. Eles estão afastados das empresas onde trabalham, mas ainda não estão recebendo os benefícios do INSS porque não foram submetidos a perícia médica.A paralisação dos peritos não prejudica os trabalhadores que já recebem por estar afastados do serviço. O órgão determinou a prorrogação da validade das perícias que vencerão durante a greve. No entanto, a paralisação castiga quem ainda não foi incluído no sistema, que fica na pendência do atestado do perito para obter o beneficio. Em novembro, segundo o INSS, 2.542 trabalhadores solicitaram no Estado pedido para receber o benefício por incapacidade. 816 tiveram os pedidos indeferidos e 582 aguardam a perícia médica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPEONATO BRASILEIRO
Santos sai na frente, mas vê Bragantino empatar nos acréscimos
TRÁFICO DE DROGAS
Após perseguição, polícia apreende 300 quilos de maconha
INTERNACIONAL
Polícia entra em confronto com manifestantes em Beirute
CULTURA
Mostra traz 98 filmes de 24 países sobre questões ambientais e sociais
CORONAVÍRUS
Itália tem 463 novos casos de Covid-19 e duas mortes em 24 horas
OPINIÃO
Autossuficiência que almejamos
PANDEMIA
Brasil registra 3 milhões de casos de coronavírus e 101 mil mortes
BRASILEIRÃO
Flamengo é derrotado pelo Atlético-MG com gol contra de Filipe Luís
FUTEBOL
STJD aceita pedido do Goiás e partida contra o São Paulo é adiada
INTERNACIONAL
Doadores prometem ajuda humanitária “importante” ao Líbano

Mais Lidas

DOURADOS
Homicídio ocorreu após madrugada de farra e confusões na Jaguapiru
PANDEMIA
Paciente internado em Dourados morre de coronavírus
DOURADOS
Equipe do Samu se desloca para atender vítima de facadas em bairro
PANDEMIA
Cerca de 90% douradenses diagnosticados com Covid estão recuperados