Menu
Busca quinta, 06 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Construção de escola no Pantanal começa sexta-feira

16 agosto 2004 - 10h34

O Governo de Mato Grosso do Sul, através da Agência de Gestão de Empreendimentos (Agesul), vinculada à Secretaria de Infra-Estrutura e Habitação, e da Secretaria de Estado de Educação (SED), começa a construir na sexta-feira, dia 20 de agosto, a escola que vai atender a comunidade que vive na região do rio Paraguai Mirim (afluente do rio Paraguai), no município de Corumbá. O processo licitatório foi homologado nesta segunda-feira pelo secretário de Infra-Estrutura e Habitação, Paulo Duarte. Serão destinados R$ 213 mil do Fundo de Investimento Social (FIS) na obra que, conforme projeto elaborado pela SED, terá duas salas de aula, alojamento com 28 vagas para alunos e outro para professores, refeitório, cozinha e sanitários. A escola Paraguai Mirim será construída em uma área da fazenda Ilha Verde, em local elevado, para não ser atingida pela cheia do Pantanal, e de fácil acesso aos estudantes e professores, pelo rio e por terra. “Assim como aconteceu com a comunidade guató, que é bem mais distante (10 horas de barco de Corumbá), na ilha Ínsua, nós também vamos garantir educação e inclusão social a essas comunidades do Paraguai Mirim”, garantiu o secretário de Estado de Educação, Hélio de Lima. Expedições realizadas em junho por equipes do governo cadastraram 78 famílias de catadores de iscas e pescadores vivendo na região, a 224 quilômetros de Corumbá. A gestora de processos da SED, Ivone Nemer de Arruda, que participou da missão, constatou que 85% dos ribeirinhos não são alfabetizados. A nova unidade será construída em quatro meses e vai beneficiar cerca de 60 alunos em regime de alternância: 15 dias de aula e outros 15 de folga. Os professores, gestores e funcionários que vão atuar na escola serão contratados pela SED, que contará com apoio do Instituto Parque do Pantanal (IPP). A construção só começa agora porque diversas dificuldades foram encontradas. A principal delas foi dispor de uma área elevada e de acesso facilitado à comunidade. O local ideal foi escolhido após viagens de levantamentos feitas pelo coordenador da Rede Física da SED, Horácio de Almeida Liberato. Barreiras como a cheia do Pantanal e a distância do local até Corumbá, que dificultam a logística de transporte de materiais e pessoal, também contribuíram para adiamento do início da obra. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem é preso com caminhonete e pistola na MS-164 logo após assalto
POLÍTICA
Senado Federal aprova penas mais duras contra crimes cibernéticos
APARECIDA DO TABOADO
Homem é esfaqueado ao tentar impedir mulher de sair para comprar drogas
IMUNIZANTE
Mais 628 mil vacinas da Pfizer chegam ao Brasil nesta quarta-feira
RIBAS DO RIO PARDO
Detetive particular já condenado é preso por dirigir embriagado após acidente
JUDICIÁRIO
Justiça Federal absolve ex-presidente Temer de envolvimento em 'quadrilhão'
COXIM
Homem agride filho e nora de vereador, quebra viatura e danifica loja
SELEÇÃO
Ibama é autorizado a contratar 1,6 mil funcionários temporários
NAVIRAÍ
Ambiental apreende armadilha de caça de animais silvestres de grande porte 
BRASIL
Bolsonaro veta prorrogação para entrega de declaração do Imposto de Renda

Mais Lidas

PANDEMIA
Decreto reduz toque de recolher em Dourados na semana do Dia das Mães
DOURADOS
Pancadaria em motel termina na delegacia com três pessoas detidas
REGIÃO
Mãe e filha são executadas em locais diferentes na fronteira
PONTA PORÃ
Vítima de execução na fronteira registrou boletim de ocorrência contra o namorado