Menu
Busca quinta, 02 de dezembro de 2021
Dourados
33°max
20°min
Campo Grande
30°max
22°min
Três Lagoas
35°max
22°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Conservação da vida silvestre no pantanal é tema de evento

05 dezembro 2003 - 17h01

Durante toda essa semana, no período de 1º a 5 de dezembro, foi realizado na Embrapa Pantanal uma série de reuniões técnicas, seminários e workshops internacionais sobre as “espécies de paisagem” do Pantanal (landscape species) . As atividades tiveram como objetivo definir as espécies prioritárias para a conservação e, com base nos resultados, dar início a novos projetos de pesquisa e programas de conservação. Os encontros reuniram pesquisadores de várias regiões do mundo e foram realizados através de uma iniciativa da Wildlife Conservation Society (WCS). A WCS é uma organização não governamental, que desenvolve três programas no Brasil, dois na Amazônia e um no Pantanal. Para o coordenador do Programa Pantanal da WCS, Silvio Marchini, os encontros alcançaram seus objetivos e contribuíram com a organização de uma série de informações. “Durante essa semana pudemos analisar as ameaças que envolvem o ecossistema pantaneiro e identificar as lacunas de pesquisa sobre as espécies de fauna do Pantanal. Essas informações servirão de referência para a comunidade cientifica, norteando os caminhos que devemos seguir”, afirmou Silvio. Ele explicou ainda que o conceito de “espécies de paisagem” está relacionado a cinco critérios, que são: área de distribuição, heterogeneidade do habitat, vulnerabilidade as ações humanas, papel ecológico e valor sócio cultural. Cada uma das espécies de animais identificadas, ao longo da semana, foi avaliada de acordo com esses cinco critérios. “No final dos trabalhos um software específico analisa os dados e relaciona as espécies que mais se destacam em termos de complementaridade, ou seja, animais que de forma conjunta abrangem todos os ambientes e ameaças que compõem a paisagem”, salientou. Silvio também destacou a importância da parceria com a Embrapa Pantanal. “Acredito que qualquer organização ou instituição que pretenda pesquisar o ecossistema pantaneiro deve levar em consideração os conhecimentos científicos dessa instituição que atua aqui há muitos anos e detêm amplo conhecimento regional, além de operacionalizar as etapas de realização dos eventos”, completou. Para o pesquisador da Embrapa Pantanal, Guilherme Mourão, esses eventos são relevantes para a conservação das espécies de fauna pantaneira, pois servem de diretrizes para as pesquisas a longo prazo. “As pesquisas ficam fortalecidas na região, pois a comunidade científica passa a contar com informações agrupadas que mostram novos cenários e perspectivas para a conservação da fauna local”, ressaltou Guilherme

Deixe seu Comentário

Leia Também

UEMS
Inscrições para submissão em seleção de bolsa de extensão são prorrogadas 
Traficante foge e abandona veículo abarrotado de maconha na BR-060
JARDIM
Traficante foge e abandona veículo abarrotado de maconha na BR-060
JUDICIÁRIO
Nomeação de André Mendonça para o STF é publicada no Diário Oficial
AQUIDAUANA
Pastor é detido após ser flagrado por câmera furtando celular em lotérica
INSS: veja calendário de pagamento de benefícios em 2022
BRASIL
INSS: veja calendário de pagamento de benefícios em 2022
BAIRRO AMAMBAÍ
Homem é morto a facadas ao pedir dinheiro para usuário de drogas
NÚMEROS DA PANDEMIA
Brasil registra mais 205 mortes por Covid; media móvel é de 218 por dia
FUTEBOL
Atlético-MG vira sobre o Bahia e conquista o Brasileirão após 50 anos
CAPITAL
Perícia não identificou tiro em PRF morto após tentar assassinar ex em motel
RECURSOS
Nova Caravana da Saúde tem R$ 120 milhões para exames e cirurgias

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Caminhoneiro que morreu em acidente na Serra de Maracaju era douradense
PONTA PORÃ
Morre agente de saúde alvo de atentado a tiros na fronteira
DARK CARD
Operação que apura desvios de recursos públicos feitos por servidores mira oficina em Dourados
DOURADOS
Homem persegue trio que invadiu o comércio dele e consegue recuperar celulares