quarta, 19 de janeiro de 2022
Dourados
37°max
25°min
Campo Grande
34°max
24°min
Três Lagoas
36°max
23°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Conar proíbe jovens e cenas eróticas em anúncio de bebidas

13 setembro 2003 - 11h09

O consumidor brasileiro pode ir se acostumando: a partir do próximo verão, os anúncios de bebidas alcoólicas devem mudar bastante em relação ao que se tem visto há muitos e muitos anos. O Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) aprovou nesta sexta-feira uma ampla revisão das normas éticas que regulam a publicidade de bebidas no país. Pelas novas regras, o órgão recomenda que não se use "animais humanizados, bonecos ou animações, que possam despertar a curiosidade ou a atenção de menores", bem como "cenas, fotos, ilustrações e sons que apresentem a ingestão do produto (bebida)".Além disso, qualquer pessoa que figure em anúncios do setor deverá ser e parecer maior de 25 anos. Especificamente para as cervejas e o vinho, o novo código recomenda que, em peças publicitárias em TVs abertas ou por assinatura, evite-se a exploração do erotismo.O Conar criou também uma regulamentação específica para o segmento de bebidas ice, misturas já prontas do tipo coquetel. Estabelece que, sempre que essas bebidas forem apresentadas em peças publicitárias junto com as marcas-mães (do uísque de que são compostas, por exemplo), os anúncios terão de respeitar as normas para a publicidade de bebidas destiladas.As novas regras começam a vigorar em 90 dias.- A idéia é que haja uma grande mudança no padrão dos anúncios do setor. A publicidade brasileira, que é das mais criativas do mundo, quer também ser das mais éticas - disse o presidente do Conar, Gilberto Leifert.As novas regras para a publicidade de bebidas alcoólicas foram aprovadas ontem pelo Conselho Superior do Conar, o órgão máximo da entidade e que reúne 21 profissionais de agências, veículos de comunicação e anunciantes.- As mudanças são fruto de uma ampla discussão com fabricantes, agências de publicidade e veículos de comunicação, além de consultas a especialistas em saúde pública e a pesquisas sobre o assunto realizadas ao longo dos últimos dois anos - afirmou Leifert.O presidente da Associação Brasileira de Propaganda (ABP) e membro do Conselho Superior do Conar, Armando Strozemberg, afirmou que as novas medidas são melhores do que correr o risco de sanções previstas em projetos de lei que estão no Senado e na Câmara dos Deputados, em Brasília. Na maioria das vezes, eles sugerem a retirada das propagandas de bebidas dos meios de comunicação, assim como foi feito com a indústria de cigarros.- Nossa autocrítica e o fato de o próprio mercado regulamentar o trabalho que faz, quando esse trabalho se transforma em instrumento de comunicação de massa, evitam que fiquemos sujeitos a sanções de políticos que não conhecem o mercado. São grupos que diariamente enviam projetos de lei para retirar a propaganda de bebidas do ar, seja por caráter religioso, seja para aparecer mesmo, jogar para a platéia - disse Strozemberg, que também é presidente da agência de publicidade Contemporânea.Segundo ele, as medidas tomadas ontem pelo Conar foram resultado de pesquisas e queixas recorrentes em relação a normas éticas.Antônio Fadiga, sócio-diretor do Grupo Total, do qual faz parte a agência Fischer América (que tem entre seus clientes a cervejaria Schincariol), também aplaudiu a decisão do Conar pelos mesmos motivos apresentados por Strozemberg.- A decisão evita ações exclusivamente de cunho político por parte de quem não vive o mercado publicitário. E não limita o nosso trabalho. As agências terão que usar ainda mais da criatividade e vão conseguir - afirmou.Entre os publicitários, o consenso é mesmo de que o Conar tenha se antecipado aos poderes Executivo e Legislativo, que vêm discutindo novo tratamento legal para as bebidas alcoólicas. A lei atual deve ser alterada, por tratar de um produto cujo consumo exagerado hoje é visto também como um problema de saúde pública. Segundo o presidente do Conar, dados do Ministério da Saúde dão conta de que 10% dos brasileiros consomem álcool de forma inadequada, colocando em risco a própria saúde e a comunidade em que vivem. O ministro da Saúde, Humberto Costa, coordena um grupo interministerial que discute o consumo de álcool no país.Na prática, o Conar se alinha a uma tendência que já vem sendo seguida por alguns anunciantes do setor. A Skol, por exemplo, marca que pertence à AmBev, já veicula uma campanha que recomenda aos seus consumidores que, depois de beber, usem um táxi em vez de dirigir. Os fabricantes de bebidas em geral (alcoólicas e não alcoólicas) investiram R$ 373,15 milhões em propaganda em 2002, enquanto todo o setor de publicidade movimentou R$ 13 bilhões. A AmBev, dona das três marcas de cerveja mais consumidas no país, investiu R$ 122,8 milhões em publicidade no ano passado, tornando-se o terceiro maior anunciante do país.- O que o Conar decide é lei, não se discute. E se o Conar decidiu alterar as regras para a publicidade de bebidas alcoólicas, o mercado deve acatá-las e segui-las imediatamente - disse o presidente da Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap), Dalton Pastore.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGRESSÃO

Dois são presos por violência doméstica em Itaporã

Segunda remessa prevê 1,3 mil doses de vacinas para crianças em Dourados
COVID-19

Segunda remessa prevê 1,3 mil doses de vacinas para crianças em Dourados

Homem é preso ao tentar entrar no Semiaberto com cocaína
DOURADOS

Homem é preso ao tentar entrar no Semiaberto com cocaína

Inmet alerta para risco de chuvas intensas e rajadas de ventos em Dourados
CLIMA

Inmet alerta para risco de chuvas intensas e rajadas de ventos em Dourados

CAPITAL

Mulher é presa após esfaquear marido várias vezes no abdômen

IMUNIZAÇÃO

Em um ano, quase nove a cada 10 douradenses receberam vacina contra Covid-19

NEGÓCIOS & CIA

Sex Shop Luxurya: Por que quem é casado(a) transa menos?

SAÚDE & BEM-ESTAR

A Contribuição da Psicopedagogia na Dificuldade de Aprendizagem

MS

Nível do Rio Paraguai sobe e transporte hidroviário será retomado

AJUDA

Caixa paga hoje Auxílio Brasil para cadastrados com NIS terminado em 2

Mais Lidas

GRIPE

Influenza H3N2 mata douradense de 25 anos sem comorbidades

DOURADOS

Idoso é flagrado mantendo relações sexuais com cadela e vai para a delegacia

DOURADOS

Mulher 'ostenta' pistola em bairro e acaba presa por porte ilegal

DOURADOS

Após perturbação de sossego, idosa registra queixa contra vizinho