Menu
Busca terça, 18 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Cigarro atrapalha a digestão e pode causar doenças gastrointestinais

05 fevereiro 2011 - 09h48

Quem é fumante, ou conhece um, sabe que assim que a comida do prato acaba, é um cigarro que vai à boca.

"Após as refeições, pelo aumento da taxa de açúcar no sangue, todos nós temos uma sensação de moleza.

Uma vez que a nicotina, assim como a cafeína, é um estimulante do Sistema Nervoso Central, ajuda a eliminar essa sonolência", explica a psiquiatra da Associação Brasileira de Estudo do Álcool e outras Drogas (Abead), Analice Gigliotti.

A especialista diz que, depois de ter repetido o ato várias vezes, ficamos condicionados e passamos a não saber mais como fazer uma refeição sem dar uma tragada em seguida. Será, então, que fumar após as refeições torna a digestão mais eficiente?

A resposta é não. A nicotina no sistema digestivo provoca a diminuição da contração do estômago, justamente dificultando a digestão. Entre ele e o esôfago há uma válvula muscular que impede que o líquido estomacal volte para o órgão anterior, o chamado refluxo. Esse músculo é enfraquecido pelo uso contínuo do cigarro, aumentando o contato do ácido gástrico com a mucosa esofágica.

Além disso, o tabaco altera o paladar e induz a produção de ácido clorídrico e facilita a infecção pelas bactérias Helicobacter pylori, causadores da úlcera gástrica. O cigarro ainda estimula a ida de sais biliares do intestino para o estômago, tornando suco gástrico mais nocivo.

Sendo assim, o aparelho digestivo é um dos afetados por algumas das 50 doenças diferentes que o consumo de derivados de tabaco provoca, de acordo com o Ministério da Saúde.

Já a Organização Mundial da Saúde (OMS), considera o tabagismo a principal causa de morte evitável no mundo. São 4,9 milhões de óbitos anuais, ou seja, mais de 10 mil por dia.

Segundo a OMS, cerca de um terço da população mundial adulta, o equivalente a 1,2 bilhão, é fumante.

No Brasil, de acordo com a Pesquisa Especial do Tabagismo, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em torno de 24,6 milhões de brasileiros são fumantes e, deste número, 52,1% deseja parar de fumar.

Substituir o hábito de acender um cigarro depois do almoço por outra técnica que desvie a atenção é um bom começo. "Uma boa dica é o fumante levantar imediatamente da mesa e escovar os dentes", sugere a psiquiatra

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Denúncia anônima leva a polícia prender a 'Baronesa do Tráfico' e a filha
Assassino de secretário municipal é condenado a 14 anos de prisão
DOURADOS
Assassino de secretário municipal é condenado a 14 anos de prisão
TRANSPORTE DE CARGAS
Governo Federal anuncia novas regras que beneficiam os caminhoneiros
Decreto prorroga medidas restritivas e mantém parques fechados em Dourados
PANDEMIA
Decreto prorroga medidas restritivas e mantém parques fechados em Dourados
COXIM
Idoso que estuprou mais de 10 crianças é preso por abusar da neta de 5 anos
JUDICIÁRIO
Ministro do STF nega pedido da 'capitã cloroquina' para evitar perguntas da CPI
CHAPADÃO DO SUL
'Lágrima' é assassinado com tiros na cabeça e no abdômen por dupla armada
NÚMEROS DA PANDEMIA
Brasil se aproxima de 440 mil mortos por Covid, com média de 1.953 por dia
Casal de MS é preso por tráfico internacional com carregamento de crack
PRAZO
Depen prorroga inscrições de concurso com 1.177 vagas; salários de R$ 8,3 mil

Mais Lidas

POLÍCIA
'Apaixonado', rapaz furta objetos na PED para ser preso e reencontrar marido
CLIMA
Frio mais intenso do ano é previsto para esta semana em Dourados
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS
FEMINICÍDIO
Mulher é encontrada morta com golpe de faca no pescoço na região do João Paulo II