Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
REGIÃO

Turma da Unei em Dourados recebe certificação em curso profissionalizante

15 setembro 2020 - 06h35Por Da Redação

Paulo Freire já dizia que “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”. É com esse entendimento que, no último dia 4, o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS) e instituições ligadas às áreas de segurança e assistência social concluíram mais uma formatura de adolescentes que tiveram a oportunidade de se qualificar enquanto cumprem medidas socioeducativas, preparando para o mercado de trabalho de maneira regular e decente após a liberdade.

Onze adolescentes que se encontram na Unidade Educacional de Internação (Unei) Laranja Doce, em Dourados, receberam a certificação no curso Ocupações Administrativas, que teve duração de dez meses, com 20 horas semanais. As aulas começaram em outubro do ano passado e foram ministradas pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), de segunda a sexta-feira, no contraturno do ensino regular, que também acontece na Unei. No entanto, por causa da pandemia de Covid-19, o cronograma dos encontros, que até então eram presenciais, precisou ser adaptado para atividades a distância e novos conceitos de aula foram introduzidos.

“Eu me lembro quando começamos a estruturar o projeto, fiquei muito empenhada para que fosse efetivamente implementado. Foram pelo menos três anos de trabalho para que a gente pudesse chegar até ao dia da formatura. Acredito no impacto que tem, não só para a vida dos adolescentes, mas para a comunidade como um todo”, recordou a procuradora-chefe do MPT-MS, Cândice Gabriela Arosio, durante a cerimônia de formatura.

Por meio de aulas teóricas e práticas, os jovens aprenderam noções do mundo do trabalho, desde como se comportar diante de uma entrevista, até planejamento estratégico, plano de carreira e gestão financeira, além de conceitos associados a princípios éticos, morais e cidadania, que contribuem para uma reintegração social efetiva.

Ao longo do curso, os adolescentes tiveram a carteira de trabalho assinada e receberam meio salário mínimo por mês, 13º salário proporcional ao período das aulas e outros direitos trabalhistas como descanso semanal remunerado e recolhimentos previdenciários e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Os valores ficam depositados em uma conta judicial e podem ser resgatados após a saída da unidade de internação. O contrato de trabalho foi firmado com a empresa Fátima do Sul Agro-energética S/A - Álcool e Açúcar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Mulher que dá cerveja a "boi" é localizada e vai responder por maus-tratos
POLÍCIA
Apreensão de carga milionária de maconha aconteceu próximo ao rio Dourados
PRORROGAÇÃO
Auxílio emergencial: 5,7 milhões não vão receber as parcelas de R$ 300
MS convoca policiais militares da reserva para reforçar segurança nas ruas
EDUCAÇÃO
Uems realiza primeira formatura virtual durante pandemia da Covid
COTAÇÃO
Em dia de volatilidade, dólar fecha perto da estabilidade a R$ 5,64
DOURADOS
Sensação térmica passa de 37º e 'calorão' deve continuar até sábado
TRÁFICO
Mais de 4t de maconha a caminho do litoral paulista é apreendida em Dourados
REGIÃO
Carro com mais de 140 quilos de maconha e 'skunk' é apreendido
TRÊS LAGOAS
Paciente atendida em rede particular deve arcar com despesas da internação

Mais Lidas

POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
REGIÃO
Homem que disse ter encontrado mulher morta volta atrás e confessa feminicídio
LAGUNA CARAPÃ
Homem sente falta de esposa, vai procurar e a encontra morta em poço
DOURADOS
Festa com mais de cem pessoas é encerrada no Novo Horizonte