Menu
Busca domingo, 24 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
CORREIOS

Tarifas postais têm recomposição autorizada e sofrem reajuste

10 dezembro 2015 - 15h35

O Ministério da Fazenda autorizou nesta quinta-feira (10) a revisão das tarifas postais nacionais e internacionais dos Correios, sob forma de recomposição. Serão atualizados os preços de serviços como carta, telegrama, FAC (contas e boletos bancários) e malote. As tarifas acumulavam, desde 2012, defasagem em relação à inflação. A medida foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, por meio da portaria n.º 934.

A recomposição autorizada pela Fazenda é de 8,898% e será implementada nos próximos dias, depois da publicação de uma portaria do Ministério das Comunicações que oficializará os novos valores dos serviços. Com a atualização nos preços, o envio de uma carta não comercial, que hoje custa R$ 0,95, passará para R$ 1,05. Já a carta comercial, que hoje custa R$ 1,40, passará para R$ 1,50. A carta social, voltada aos beneficiários do programa Bolsa Família, permanecerá com tarifa de R$ 0,01.

Com o realinhamento, a expectativa é de crescimento de R$ 780 milhões por ano nas receitas da empresa. “Atualizamos as tarifas dos serviços postais, como cartas e telegramas, que estavam defasadas. A recomposição é de centavos, não onerando a população nem impactando a inflação, mas de grande importância para nosso equilíbrio fiscal”, afirma o presidente da estatal, Giovanni Queiroz. A tarifa dos Correios do Brasil é a quinta mais barata do mundo em pesquisa realizada com 37 operadores postais.

As tarifas são atualizadas com base nos custos repassados à empresa, como aumento dos preços dos combustíveis, contratos de aluguel, transportes, vigilância, limpeza e salários dos empregados. A revisão não se aplica ao segmento de encomendas, como o Sedex, por exemplo.

Força-tarefa — O pedido de recomposição das tarifas integra uma série de medidas da nova gestão dos Correios que visa reduzir o déficit e aumentar as receitas. Esta semana foi criada força-tarefa, com a participação dos trabalhadores, que tem prazo até o dia 29 de janeiro de 2016 para definir cortes e otimizar recursos, tais como revisão e renegociação de contratos de aluguel de imóveis; diminuição dos valores de patrocínios e publicidade; extensão do prazo de renovação da frota de veículos e de mobiliário; entre outros. As entregas matutina e alternada de correspondências também estão previstas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TV UFAL passa a integrar a Rede Nacional de Comunicação Pública
BRASIL
TV UFAL passa a integrar a Rede Nacional de Comunicação Pública
Exposição gratuita retrata condições degradantes do trabalho escravo em MS
CAPITAL
Exposição gratuita retrata condições degradantes do trabalho escravo em MS
Especial Caiu no Enem realiza correção das provas neste domingo
BRASIL
Especial Caiu no Enem realiza correção das provas neste domingo
Empresário é multado em R$ 10 mil por retomar obra embargada
MS
Empresário é multado em R$ 10 mil por retomar obra embargada
BRASIL
MPT alerta para risco de fragilização e precarização do instituto da aprendizagem profissional
COVID-19
Estados brasileiros começam a receber vacina de Oxford
PANDEMIA
Covid-19 mantém 258 sul-mato-grossenses em leitos de UTI
PANDEMIA
Estado aguarda atualização de 4,7 mil possíveis casos de Covid-19 nos municípios
BRASIL
Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para obras inéditas
DOURADOS
Pré-matrículas na rede municipal vão de segunda a sexta-feira

Mais Lidas

CENTRO
Primeiro acidente de trânsito com vítima fatal neste ano é registrado em Dourados
TRAGÉDIA
Segundo acidente de trânsito com vítima fatal é registrado em Dourados
TRAGÉDIA
Vídeo mostra momento exato de acidente com vítima fatal em Dourados
DOURADOS
Motociclista que morreu após colisão em cruzamento invadiu via preferencial