Menu
Busca terça, 19 de janeiro de 2021
(67) 99257-3397
ACORDO

Sindicato alega que lojistas vêm desrespeitando horário especial do comércio na Capital

15 dezembro 2015 - 15h35

Alguns lojistas da área central de Campo Grande estão sendo acusados de desrespeitar o horário especial de trabalho de funcionários. Esta semana, quando o setor passou a ficar aberto ao consumidor até às 22 horas, muitos funcionários são conseguem deixar a empresa depois de mais de hora de trabalhos internos, colocando em risco a segurança de homens e mulheres no retorno para casa tardiamente.

Diante das denúncias, o Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande – SECCG passou a intensificar a fiscalização, principalmente no horário de fechamento do comércio, para evitar a exploração do trabalho dos comerciários.

Ontem à noite a diretoria da entidade partiu, em peso, para as ruas centrais do comércio para conversar com trabalhadores e gerentes de lojas para reafirmar o compromisso assumido e assinado em Convenção Coletiva de Trabalho – CCT estabelecendo horário de abertura e fechamento do comércio.

“Diante de toda denúncia que recebemos, fazemos contatos imediatos com a direção da empresa para contornar o problema. Se não conseguirmos no diálogo, partimos para ação de descumprimento de acordo, na justiça”, informa Idelmar da Mota Lima, presidente do SECCG e coordenador regional da Força Sindical Mato Grosso do Sul.

O comerciário A.L.M, que trabalha numa grande rede de departamentos, afirma que tem sido comum para muitos funcionários ficarem entre 1 e 2 horas a mais na loja, depois do horário previsto e acordado para o fechamento. Ele foi um dos que denunciou o fato ao sindicato.

A comerciária J.F.A.O, de uma loja de calçados na área central, contou ao sindicato que a maioria dos empregados é obrigada a ficar na loja para deixar tudo arrumado para o dia seguinte. Antes disso, não podem ir embora da loja.

O sindicato preferiu não divulgar, num primeiro momento, os nomes das lojas que tiveram problema para liberar os funcionários em tempo hábil depois do fechamento da loja, mas, se insistirem na irregularidade, serão denunciadas ao Ministério do Trabalho e Emprego - MTE e Ministério Público do Trabalho – MPT.

Todas as denúncias foram apuradas e levadas a conhecimento da direção da empresa. O sindicato pediu que o horário de liberação dos empregados fosse respeitado.

A diretoria do sindicato aproveita a oportunidade também, no comércio, de informar os comerciários sobre a obrigatoriedade que as empresas têm de pagar toda hora extra trabalhada durante o mês de dezembro. Quem não receber, ou tiver qualquer tipo de problema com a empresa sobre esse assunto, segundo Idelmar, deve denunciar ao sindicato (3348-3232) para que as devidas providências sejam tomadas.

HORÁRIOS - O sindicato também reforça o acordo para abertura especial do comércio neste final de ano. Desde ontem (14), até dia 23, o comércio central abre até às 22 horas e nos próximos domingos, dias 20 e 27, das 9h às 18h.

No dia 24, o comércio central abre somente até às 18 horas e no dia 31, às 16 horas. Nos shoppings e centros comerciais localizados nos hipercenters, o comério no dia 24 vai das 9h às 19 e no dia 31, até às 18 horas.
Os shopping centers permanecerão abertos até às 23 horas no período de 17 a 23 de dezembro, informa o Sindicato dos Comerciários de Campo Grande.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTES
Brasil sofre primeira derrota, mas avança no Mundial de Handebol
IMUNIZAÇÃO
Confira a distribuição das doses de vacina contra a Covid-19 por município em MS
Brasil tem 1,1 mil mortes por Covid-19 registradas em 24 horas
PANDEMIA
Brasil tem 1,1 mil mortes por Covid-19 registradas em 24 horas
REGIÃO
Homem é preso após descumprir medidas protetivas em Bataguassu
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Maia reafirma preocupação com a compra de vacinas pelo governo
ESPORTES
São Paulo acerta retorno de artilheira do último Brasileirão Feminino
ECONOMIA
Acordos especiais renegociaram R$ 81,9 bi da dívida ativa na pandemia
CRIME ORGANIZADO
Operação cumpre oito mandados em MS e em outros dois estados
SAÚDE
Farmacêuticos e farmácias podem ser estratégicos na vacinação contra a Covid
ECONOMIA
Dólar sobe pela terceira sessão seguida e fecha a R$ 5,34

Mais Lidas

DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados
DOURADOS
Comitê alerta para crescente da Covid e prefeito expede decreto com novas regras
DOURADOS
Em ação conjunta, polícia deflagra operação para investigar crimes