Menu
Busca quarta, 08 de julho de 2020
(67) 99659-5905
ELEIÇÕES 2020

Sensatez em adiarmos as eleições para dezembro

25 maio 2020 - 09h52Por Noemir Felipetto

Tudo indica que as eleições de 2020 serão realizadas em dezembro. O adiamento se dará em virtude da crescente evolução dos casos provocados pela pandemia do coronavírus. Nesta segunda-feira, 25, o ministro do STF – Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, tomará posse como presidente do TSE – Tribunal Superior Eleitoral. Barroso deverá em seu discurso, durante sessão remota, abordar este assunto, bem como falar dos desafios da Justiça Eleitoral no próximo biênio a qual estará à frente da Corte Eleitoral.

Na semana passada, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), veio a público e afirmou que está sendo construída uma agenda conjunta com o Senado para materializar essas mudanças a serem implementadas através de uma PEC – Proposta de Emenda Constitucional, votando-a com rapidez. Para ser aprovada pelas duas casas legislativas, tem que haver uma aceitação de 3/5 de deputados federais e senadores. A PEC mudaria basicamente na data das eleições. Com relação ao Calendário Eleitoral, o TSE deverá revisar as datas, como exemplo as convenções marcadas para ocorrer entre 20 de julho a 5 de agosto deverão ocorrer em data posterior.

Recentemente o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) apresentou uma proposta no Senado, transferindo a data da eleição para 06 de dezembro e 20 de dezembro, respectivamente (primeiro e segundo turnos). Também há outra PEC protocolada por 27 senadores que querem a unificação do pleito, com as eleições ocorrendo em 2022. Por ora, a proposta de Randolfe Rodrigues é mais coerente, segundo parlamentares e especialistas em Direito Eleitoral.

O ministro Barroso deixou claro que seu posicionamento é manter as eleições para outubro, mas todos sabem que essa vontade é praticamente impossível de se concretizar. Barroso defende eleições a cada dois anos, posicionando-se contrário a quem quer a unificação dos pleitos. Justifica que as eleições bianuais estão enraizadas há mais de 30 anos no Brasil e uma eleição unificada com mandatos de seis anos traria enormes desafios e problemas logísticos para a Justiça Eleitoral. O eleitor teria que votar e escolher de vereador a presidente num único pleito. 

A unificação, na ótica de muita gente, a qual me encaixo, causaria tremenda confusão, pois assuntos locais se confundiriam com temas nacionais. Outro fato: o Brasil tem dimensões continentais, somos diferentes de países europeus, por exemplo, estes menores territorialmente , com menos eleitores e democraticamente mais enraizados que nós brasileiros. 

Também uma eventual mudança sem uma discussão ampla não seria benéfica para o Brasil. Daí a necessidade de se chegar a uma decisão conjunta e definir logo os caminhos das eleições. 

Com o adiamento, caberá aos pré-candidatos se adaptarem a esta nova sistemática, ou seja, ter um contato cada vez mais virtual com o eleitor e se preparar para mais dois meses de busca do voto.

*Jornalista e especialista em Direito Eleitoral

Deixe seu Comentário

Leia Também

BENEFÍCIO
Nascidos em março podem sacar auxílio emergencial do 3º lote
TRÁFICO DE DROGAS
Mulheres são flagradas transportando drogas em ônibus, uma delas com a filha de cinco anos
TRÁFICO
Dupla é presa em ação conjunta com maconha e cocaína
LEGISLATIVO DE MS
Deputados devem apreciar cinco matérias na sessão ordinária desta quarta-feira
DOURADOS
MPE cita gestão municipal precária e intervém na entrega de EPIs doados a profissionais de saúde
MS-379
Veículo com ocorrência de furto é apreendido com mais de 700 kg de maconha
CAMPO GRANDE
Jiboia de quase 3m é capturada em obra do Aquário do Pantanal
PRAÇA ANTÔNIO JOÃO
Irmãos são abordados por trio e perdem celular e dinheiro
DOURADOS
Mulher tem carro furtado na Vila Cuiabá
PANDEMIA
Idosa morre no HU e Dourados chega ao 38º óbito por coronavírus

Mais Lidas

DOURADOS
Acusado de matar secretário pode ter tido surto de esquizofrenia
BR-163
Casal que morreu ao bater em carreta morava em Campo Grande
PANDEMIA
Dourados confirma mais três óbitos por coronavírus e ultrapassa 3 mil casos
PANDEMIA
Comerciante de 45 anos é a 37ª vítima do coronavírus em Dourados