sábado, 13 de julho de 2024
Dourados
13ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
BRASIL

Senador do PSDB deixa CPI da JBS após Marun ser escolhido relator

12 setembro 2017 - 17h20

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) deixou nesta terça-feira (12) a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS após o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) ser escolhido relator dos trabalhos da CPMI.
Marun integra a chamada "tropa de choque" do presidente Michel Temer no Congresso Nacional e, na avaliação de Ferraço, a escolha de um aliado de Temer para a relatoria mostra ser "evidente" que a CPI terá investigação "parcial".

"As evidências são de que essa CPI não quer investigar coisa alguma. Essa CPI quer fazer acerto de contas. Existem crimes gravíssimos que precisam ser investigados com firmeza, rigor, mas com imparcialidade e isenção. Na medida que você coloca chefe de tropa de choque para fazer isso ou aquilo, fica evidente que essa será uma investigação parcial e eu não participo disse, por isso pedi o afastamento", disse Ferraço ao explicar a decisão.

A CPMI foi instalada na semana passada e terá como foco investigações sobre empréstimos obtidos pelo grupo J&F, que controla a JBS, junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O que diz Marun

Marun disse não se sentir constrangido em ser o relator da CPMI pelo fato de ser aliado de Michel Temer.

O presidente passou a ser investigado no Supremo Tribunal Federal após os delatores da J&F entregarem informações sobre ele ao Ministério Público Federal - Temer nega todas as acusações.

A jornalistas, Marun afirmou não querer a "espetacularização" da CPI nem a transformação dos trabalhos da comissão em "palanque eleitoral".

"Se a minha nomeação como relator gerou descontentamento, espero que minha atuação não produza descontentamento. A atitude do senador Ferraço é uma atitude tão baixa. O senador Ferraço não me conhece como eu não o conheço. Eu gostaria de saber qual é a atitude que eu tomei fora da legalidade, fora da retidão [...] Se for por questão de honestidade, eu posso dar aula ao senador Ferraço", disse.

"Ele [Ferraço] pode ser no máximo tão honesto quanto eu. Mais honesto que eu ele não é. Sua atitude é indigna de quem se diz democrata [...]. Esse tipo de gente acaba não fazendo falta em uma CPI na qual é exigida coragem", acrescentou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ITAPORÃ

Policial penal é preso com droga escondida sob banco de veículo

Casa pega fogo em sítio e corpo é encontrado dentro dela
TRAGÉDIA

Casa pega fogo em sítio e corpo é encontrado dentro dela

LEGISLATIVO DE MS

Ministério Público Estadual encaminha à Assembleia alteração da própria Lei Orgânica

Quer aproveitar o final de semana para vacinar? Veja locais e doses aplicadas em Dourados
IMUNIZAÇÃO

Quer aproveitar o final de semana para vacinar? Veja locais e doses aplicadas em Dourados

No Dia Mundial do Rock, documentário sobre Bando do Velho Jack estreia em MS
MÚSICA

No Dia Mundial do Rock, documentário sobre Bando do Velho Jack estreia em MS

FUTSAL

CREC/Juventude se despede do Brasileiro no Rio de Janeiro diante do Vasco

BRASIL

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 15 milhões

CLIMA

Ainda em alerta, sábado tem mínima abaixo de 8ºC e domingo deve ser mais 'gelado' em Dourados

FUTEBOL

Copa do Brasil conhece hoje mais dois classificados às oitavas de final 

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Após agredir, homem ameaça matar mulher na frente das filhas em Dourados

Mais Lidas

MS

Inscrições para o Curso de Libras EAD Nível I do 2º Semestre abrem dia 15 de julho

DOURADOS

Ministro admite atraso e prevê projeto de novo terminal do Aeroporto concluído até fim de julho

OPORTUNIDADE

Com recrutamento noturno, indústria abre 400 vagas de trabalho em Dourados

PREVISÃO

Mais frio: Inmet coloca Dourados em alerta para declínio de até 5ºC na temperatura