Menu
Busca segunda, 21 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
EDUCAÇÃO

Seminário Interno na Unigran traz novas metodologias ativas

04 fevereiro 2020 - 06h57Por Da Redação

Com a era da informação e surgimento de novas tecnologias, o mundo da educação está a cada dia mais dinâmico. As metodologias ativas surgiram como um processo de aprendizado que busca incentivar os estudantes a aprender de maneira autônoma e participativa. Como a cada semestre a Unigran realiza um Seminário Interno de Ensino e Extensão para início das atividades letivas, neste ano o tema foi “Flipped classroom e metodologias ativas de aprendizagem”.

As atividades letivas de 2020 iniciaram com a 15ª edição do seminário voltado para o corpo docente, gestores pedagógicos e administrativos, que contou com palestra e oficinas ministradas pela professora Paula Moiana da Costa. O objetivo das atividades é promover a formação continuada da equipe de todos os cursos. 

Durante as oficinas, foram apresentadas novas metodologias ativas que ainda não foram implementadas. “Praticamos com os professores a aplicação direta de como trabalhar as competências e habilidades. Os professores da Unigran têm diversas metodologias e muitas coisas eles trabalham com a intenção de desenvolver competências que pode não ser uma metodologia registrada, mas são metodologias próprias que têm uma qualidade pedagógica”, menciona Costa.

Foram abordados principalmente os métodos Problem-Based Learning (PBL), Aprendizagem Baseada em Problemas e Project-Based Learning, Aprendizagem Baseada em Projetos. E ainda, a professora trouxe outras metodologias para serem utilizadas de forma mais rápida e dinâmica na sala de aula para aproveitar-se as oportunidades, como o Peer Instruction (Instrução aos Pares, em uma tradução literal) na forma de avaliação, o debate regulado, a busca por aplicações, método aquário, entre outras. 

“O principal é que essas metodologias são a única forma que existe para se trabalhar habilidades e competências. O que faz você ser um professor é a sensibilidade de entender a necessidade do aluno, de decodificar a linguagem que o aluno entenda, o jogo de cintura, que são habilidades e competências que são desenvolvidas na carreira e não na academia. Então, o diferencial dessas metodologias é que conseguimos desenvolver um pouco dessas competências e habilidades”, ressalta a professora Paula. 

A professora destaca que, de forma resumida, “para se tornar um bom profissional é preciso se formar, ‘apanhar’ da vida e do mercado”. Então, antes que isso aconteça, o educador pode “mimetizar isso na faculdade”, pois o recém-formado “vai apanhar, sim, mas com a orientação de um professor, com uma condução e uma resolução de um problema que talvez não consiga resolver de imediato lá fora, preparamos, mesmo, o estudante para o mercado de trabalho. As metodologias ativas são um plus, uma adição. Não é possível comparar aula expositiva com metodologia ativa, são métodos com objetivos diferentes”, enfatiza professora Paula Moiana da Costa.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TACURU
Motorista morre após capotar e ser arremessado para fora do veículo
SAÚDE & BEM-ESTAR
Como anda os seus cuidados com a sua Saúde Bucal?
CLIMA
Inverno se despede com chuva e queda de temperatura em Dourados
OPORTUNIDADE
Semana começa com quase 150 vagas de trabalho em Dourados
DOURADOS
Após bebedeira, homem é assassinado por “dar em cima” de esposa do acusado
SIDROLÂNDIA
Briga generalizada após bebedeira acaba com homem morto a facadas
CONGRESSO
Após 6 meses de sessões remotas, Senado retoma votações presenciais
DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
TRÁFICO
Mais de 130 quilos de maconha são apreendidos em residência abandonada
QUEIMADAS
PMA aguarda laudo para autuar fazendas por crime ambiental no Pantanal

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita