Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99659-5905
REUNIÃO

Reinaldo cobra socorro imediato a estados e municípios em videoconferência com o presidente Bolsonaro

23 maio 2020 - 11h15Por Da Redação

O governador Reinaldo Azambuja foi um dos protagonistas da reunião virtual com o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe econômica na última quinta-feira (21), ao se posicionar, com firmeza e clareza, sobre os pontos considerados cruciais pelos 27 estados em relação ao projeto de lei de socorro financeiro às unidades federativas e municípios pelo governo federal.

Escolhido como porta-voz dos demais governadores, Reinaldo Azambuja fez uma defesa contundente da sanção imediata do projeto de lei aprovado pelo Congresso. Também cobrou a liberação da primeira parcela dos recursos ainda neste mês de maio, para que os estados e municípios possam cumprir seus compromissos financeiros, em especial o pagamento da folha de pessoal.

“A sanção é fundamental, pois estamos vivendo um momento de perda brutal das nossas receitas. A crise atingiu a dona de casa, os trabalhadores, empresários, municípios e a própria União. Sabemos que neste momento precisamos de unidade”, afirmou, durante a videoconferência.

Azambuja também foi enfático ao dizer ao presidente, respeitando suas prerrogativas, que é consenso de todos os governadores o veto ao artigo que permite reajuste ao funcionalismo e a sanção integral do dispositivo que diz respeito ao aditamento contratual da dívida de estados e municípios com bancos públicos e privados e instituições multilaterais de crédito.

Construção coletiva

Ao defender a suspensão dos reajustes salariais em nome dos estados como uma das medidas de enfrentamento da crise e saneamento das finanças, o governador sul-mato-grossense disse que nesse momento a cota de sacrifício é de todos. “É impossível projetarmos qualquer aumento de salário, precisamos agora de cuidar da saúde da nossa população como um todo”, sustentou.

Reinaldo Azambuja apresentou dados segundo os quais nos últimos três anos a média de crescimento das folhas de pessoal nos estados foi de 3,9%, e dos municípios, em 6,9%. Apontou ainda que, segundo projeção econômica do governo federal, as despesas dos estados e municípios com pessoal em 2020/2021, mantidas as médias de reajuste salarial, seriam de R$ 69 bilhões e R$ 62 bilhões.

“Portanto, o veto ao reajuste do funcionalismo é o entendimento da maioria dois estados, e em assim o fazendo, senhor presidente, o senhor estará fazendo um bem ao país e à sociedade”, ponderou o governador.

Em sua fala, em nome dos 27 governadores, Reinaldo Azambuja disse que a reunião virtual era um momento histórico e realçou a posição do presidente da República de debater e dialogar com os estados as medidas fundamentais para manter o equilíbrio financeiro das unidades federativas, de forma a reduzir os impactos econômicos gerados pela pandemia do coronavírus.

“Quero agradecer em nome de todos os governadores, ao senhor presidente, a sua equipe econômica e aos nossos congressistas, a construção coletiva dos poderes, que souberam discutir e chegar a um texto de consenso desse projeto de lei”, disse 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
PGR pede suspensão de inquérito que apura divulgação de fake news
CAMPO GRANDE
Polícia procura por segundo envolvido em assalto a delegado
CARTÃO DE CRÉDITO
Polícia alerta para golpe aplicado em idosos em Dourados
JUSTIÇA
Corretor deve devolver sinal dado em negócio não concretizado
POLÍCIA
Garota de programa que levaria droga para capital é presa na MS-164
DOURADOS
Após brigar com a ex e decidir dormir na rua, homem é assaltado e agredido
TRANSPORTE AÉREO
Dourados vai continuar sem voos comerciais por mais um mês
ECONOMIA
Dólar fecha em queda e cai abaixo de R$ 5,30
MEDIDA
Comissão de Ética manda Mandetta cumprir seis meses de "quarentena"
FACE SHIELD
Voluntários doarão 30 mil máscaras para profissionais de saúde em Dourados e região

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher