segunda, 27 de maio de 2024
Dourados
13ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
RESSOCIALIZAÇÃO

Projeto Reintegr'Arte chega a mais de 50 detentos atendidos com oficinas de argila

14 maio 2024 - 16h41Por Da Redação

Com o objetivo de qualificação de detentos que se encontram nos estabelecimentos penais de MS, o projeto Reintegr’Arte chegou a 5 cidades e qualificou mais de 50 detentos e detentas. Com financiamento do Fundo de Investimentos Culturais - FIC/MS, a iniciativa prevê 8 encontros em 7 cidades diferentes de fevereiro a julho deste ano: Aquidauana, Campo Grande, Rio Brilhante, Jardim e Caarapó já receberam as oficinas e ainda faltam Ponta Porã e Jateí. A oficina no 6º Estabelecimento Penal Masculino de Regime Fechado de Caarapó vai até dia 15 de maio com a formação de mais uma turma de futuros artesãos.

As oficinas ministrada pelas duplas compostas pelo mestre Rodrigo Avalhaes e a Instrutora Léia Cristina da Silva Souza Marçal, e pelo mestre Cleber Ferreira de Britto e Instrutora Fabiane Avalhaes Marçal tem aulas teóricas e práticas, com instrução coletiva e atendimento individual dos instrutores, para despertar o processo criativo e o interesse pelo trabalho. Cada turma tem a participação de 10 alunos e em cada ciclo são produzidas pelos detentos cerca de 60 peças em argila.

Como forma de estimular o trabalho, a Lei de Execução Penal permite a remissão de um dia de pena para cada três trabalhados, recentemente o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul admitiu a remição de pena em razão da produção de artesanato, o projeto visa inserir essa arte nos estabelecimentos penais como forma de oportunizar uma busca de novas perspectivas de homens e mulheres em processo de ressocialização.

As oficinas contribuem com a capacitação profissional e visam colaborar com a emancipação socioeconômica e a construção da cidadania, permitindo ao reeducando, ao regressar na sociedade tornem-se autônomos e adquiram condições de atuar no mercado de trabalho. Os beneficiários indiretos serão as famílias dos participantes dos cursos com a geração de renda que virá da produção artesanal.

Para o mestre artesão Rodrigo Avalhaes, “cada oficina é uma experiência única, onde passamos os conhecimentos e os alunos já vão com a mão na argila, aprendendo a modelar, entendendo que não é difícil e que esse conhecimento pode ser a porta de uma ressocialização, uma geração de renda para ele e sua família que o espera lá fora”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Moraes nega recurso de Bolsonaro contra inelegibilidade

Moraes nega recurso de Bolsonaro contra inelegibilidade

DIREITOS HUMANOS

Brasília recebe primeira Parada do Orgulho da Pessoa com Deficiência

CAMPO GRANDE

Homem é espancado e jogado em buraco durante roubo de carro

Polícia aprende quase 2t de maconha após perseguição
ITAQUIRAÍ

Polícia aprende quase 2t de maconha após perseguição

Caixa Econômica Federal abre edital com vagas para estagiários em MS
OPORTUNIDADE

Caixa Econômica Federal abre edital com vagas para estagiários em MS

TÊNIS DE MESA

Hugo Calderano conquista título do WTT Contender Rio

ALERTA

Com fim de semana de trégua, chuva deve voltar ao RS nesta segunda

ENCHENTES

MS Pela Vida: doações ao povo gaúcho aproximam sul-mato-grossenses de quem perdeu tudo

ESPORTE

Brasil enfrenta Cuba, Croácia e Tailândia na primeira fase da Copa do Mundo de Futsal

MS-164

DOF apreende Renault Sandero com 1.250 pacotes de cigarros contrabandeados

Mais Lidas

DOURADOS

Homem é preso por importunação sexual após acariciar mulheres

TENTATIVA DE FEMINICÍDIO

Morador de Dourados atira contra esposa durante discussão

EVENTO

Costelão Jurídico da OAB Dourados será neste sábado no CTG

REGIÃO 

Empresários são detidos por desvio de energia elétrica após operação do SIG