Menu
Busca segunda, 21 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
POLÍCIA

Preso por vender esteroides, militar tem 9 passagens por violência doméstica

05 março 2020 - 20h50Por Da Redação

Preso em flagrante no fim da tarde da última terça-feira, dia 05 de março, por tráfico de anabolizantes e medicamentos, o subtenente de Infantaria do Exército, Alexandre Santos Amaral, de 46 anos, é conhecido da polícia por protagonizar episódios de violência doméstica. Contra dele, pesam pelo menos nove acusações judiciais, feitas por ao menos três vítimas diferentes.

As denúncias de ameaças e injúria foram formalizadas entre 2016 e 2019, e a última delas, por perturbação da tranquilidade, no dia 14 de janeiro deste ano, todas em Campo Grande. Em três casos, há pedidos de medida protetiva.

Num dos processos, ele foi absolvido e em outro, teve extinta a punibilidade, mas como o processo tramita em segredo de Justiça não é possível encontrar o motivo. Aliás, todas as ações são sigilosas.

Amaral também chegou a ser acusado pelo crime previsto no artigo 218 do Código Penal – “praticar, na presença de alguém menor de 14 anos, ou induzi-lo a presenciar, conjunção carnal ou outro ato libidinoso, a fim de satisfazer lascívia própria ou de outrem”. A pena é de 2 a 4 anos de reclusão. A ação criminal, porém, foi arquivada em dezembro do ano passado.

Flagrante

Depois de meses de investigação, equipe da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) prendeu o militar em flagrante no momento que entregava para cliente 5 caixas de testosterona - hormônio sexual masculino usado para o ganho de músculos.

Segundo a polícia, Amaral fazia o "serviço completo". Também "prescrevia" de sibutramina, medicamento para emagrecer, avaliava os clientes e até aplicava os esteroides anabolizantes. No apartamento dele, localizado na Vila Bandeirantes, policiais encontraram injeções pronta, máscaras cirúrgicas e luvas, “típico de uma farmácia artesanal”, anotaram no flagrante.

O delegado titular da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), Hoffman D’Ávila Cândido e Souza, apontou que o subtenente fazia um tipo de avaliação fisiológica e indicava o tipo de "ciclo indicado" para cada cliente. "Ele praticava ações como se fosse um farmacêutico".

O esquema de tráfico de substâncias como hormônio do crescimento e testosterona, de acordo as investigações, começou há cerca de cinco anos.

Consta ainda no registro do flagrante que informalmente o subtenente alegou que passava por problemas financeiros e por isso, começou a comprar os produtos no Paraguai para revender.

Para fazer a venda, ainda conforme a Denar, o militar organizava os clientes por grupos no Whatsapp, "atendia" várias pessoas por dia e tinha até máquina para passar cartões. De acordo com o delegado, ele aceitava crédito e débito. Nas últimas transações do aparelho foram registrados pagamentos de R$ 65,00, R$ 135,00, R$ 750,00 e até R$ 1.051,00.

Alexandre Santos Amaral passou por audiência de custódia na manhã desta quinta-feira (5) e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva (por tempo indeterminado). A Justiça não informou onde ele ficará preso.

Com informações do site Campo Grande News.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Polícia encontra carro abandonado com mais de meia tonelada de maconha
POLÍTICA
Com pauta cheia, comissões do Senado fazem sessões semipresenciais
POLÍCIA MILITAR
Homem é preso por disparo em via pública e porte ilegal de arma de fogo
PANDEMIA
Dos mais de 64 mil casos de coronavírus em MS, 90% já estão recuperados
BRASIL
Barroso: ceticismo com mudança climática é obstáculo a ser superado
JARDIM
Mulher é autuada por derrubar árvores em área protegida de mata ciliar de córrego
DOURADOS
Tenda instalada no HV para auxílio durante a pandemia é usada de abrigo por morador de rua
SÃO PAULO
Trio que saiu de MS com 160 filhotes de papagaio é multado
DOURADOS
Prefeitura formaliza contratos de meio milhão de reais com construtoras
CAMPO GRANDE
Homicídio em conveniência pode ter ocorrido após briga por cerveja

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita