Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020
(67) 99659-5905
ESTADO

Policiais penais são treinados para vigilância de muralhas e escolta

21 janeiro 2020 - 08h47Por Redação

Policiais penais de Mato Grosso do Sul participam do Curso de Armamento e Tiro, Vigilância e Escolta (1º CAVE), promovido em parceria entre a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) e o Depen (Departamento Penitenciário Nacional) por meio da Penitenciária Federal de Campo Grande.

De acordo com o Governo do Estado, a qualificação é ministrada pela Escola Penitenciária da Agepen (Espen), em conjunto com o Comando de Operações Penitenciárias (COPE), e envolve atividades teóricas e práticas, que capacitam a manusear bem como entender o mecanismo, tipos, classificação e o funcionamento das armas de fogo; aplicar e entender as regras de segurança e a legislação; fundamentos e posições de tiro policial; tipos de munições e Stopping Power.

“Além disso, os alunos são capacitados a conhecer os funcionamentos e filosofia da escolta a pé e embarcado, entender o posicionamento e função de cada membro da equipe na escolta, estabelecer critérios de vigilância e segurança nas muralhas das unidades prisionais, bem como os aspectos éticos e legais inerentes tanto à escolta prisional quanto à vigilância de muralhas”, detalha.

A publicação oficial do Estado cita o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, segundo quem os primeiros capacitados são policiais penais que irão atuar no Estabelecimento Penal Masculino de Regime Fechado da Gameleira, em Campo Grande, descrita como a primeira unidade que será totalmente operacionalizada por servidores do sistema penitenciário, o que inclui a segurança interna e externa do presídio.

O dirigente acrescentou que nas duas primeiras etapas estão sendo qualificados cerca de 80 servidores. “Mas a capacitação será contínua e nossa meta é qualificar todos os policiais penais de Mato Grosso do Sul”, informou.

Aud de Oliveira Chaves explicou que a intenção é o sistema prisional estar preparado para sua própria e total gestão, em todas as suas áreas de atuação, liberando a Polícia Militar – com o tempo e dentro das possibilidades – de atuarem na vigilância de muralhas e escoltas de presos, processo que, conforme ele, teve início com a criação do COPE, que hoje já realiza escoltas entre municípios, algumas escoltas de saúde, bem como atuam em ações de contenção durante operações pente-fino. (Com informações da Agepen)

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO DE MS
Atividades presenciais na Assembleia continuam até o final de agosto
EDUCAÇÃO
MEC deve divulgar resultado do SISU nesta terça
CAMPO GRANDE
TJMS condena réu de tentativa de furto por resistência e desacato
ECONOMIA
Petrobras bate recorde na produção de diesel menos poluente
PANDEMIA
Secretarias municipais devem encaminhar resultados de testes rápidos da Covid-19 à SES
CALIFÓRNIA
Corpo de atriz de Glee é encontrado por oficiais
REGIÃO
Adolescente é apreendido pela PM pela décima vez em 2020
BRASIL
Mourão diz que desmatamento foi além do aceitável na região amazônica
EDUCAÇÃO
Feira científica de MS abre inscrições para alunos da rede pública e privada de todo o Brasil
REGIÃO
Quatro são autuados pela PMA por pesca ilegal no rio Sucuriú

Mais Lidas

DOURADOS
‘Deus no comando amem’: antes de crimes, atirador postou pregação religiosa
BARBÁRIE
Homem assassina ex, atira em crianças e se mata no altar de igreja em Dourados
DOURADOS
Atirador baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
DOURADOS
Atirador chegou em igreja na hora da comunhão e entrou dizendo ter feito bobagem