Menu
Busca domingo, 28 de fevereiro de 2021
(67) 99257-3397
MATO GROSSO DO SUL

No presídio de MS, reeducandos estão confeccionando o próprio uniforme

27 janeiro 2021 - 19h10Por Da Redação

A uniformização na vestimenta de custodiados promove igualdade e melhora a segurança em presídios, além de tornar o ambiente prisional mais salubre e limpo, já que evita o acúmulo de roupas nas celas. Com essa proposta, o uso de uniformes é realidade no Estabelecimento Penal de Bataguassu (EPB) e, agora, são os reeducandos do local que estão responsáveis pela confecção das peças.

O trabalho ainda está iniciando, sob a coordenação do servidor penitenciário Percival Góes Júnior, juntamente com a direção do presídio, utilizando máquinas doadas pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), por meio do Programa de Capacitação Profissional e Implementação de Oficinas Permanentes (Procap).

Costureiro profissional e mecânico de máquina de costura, Júnior está auxiliando na capacitação de dois reeducandos, responsáveis pela costura das peças. Até o momento, já foram confeccionados 19 jogos que são compostos por 1 calça, 1 bermuda e 1 camiseta. Além disso, já foram costuradas 40 bermudas e 40 calças.

De acordo com o diretor do EPB, Luiz Fernando da Silva Jesus, idealizador da iniciativa, essa é a primeira vez que os uniformes são confeccionados no próprio presídio. "Atuam desde o corte, costura e até a parte de serigrafia", informa o dirigente.

As peças atualmente utilizadas pelos detentos foram feitas na Penitenciária de Naviraí, com a disponibilização, na época de 200 kits com camiseta, bermuda e calça. "Como temos as máquinas e o servidor se dispôs a capacitá-los, decidimos iniciar aqui nossa própria produção, para garantir a reposição, ao mesmo tempo em que proporcionamos ocupação produtiva e qualificação profissional aos custodiados", ressalta.

Pelo trabalho, os internos recebem remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal.

Para o diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Aud de Oliveira Chaves, a iniciativa gera economia aos cofres públicos e oportunidade de ocupação laboral aos reeducandos. A confecção própria de uniformes também ocorre em outras unidades prisionais do estado, como o Estabelecimento penal feminino Irmã Irma Zozi, Unidade Penal Ricardo Brandão,  Penitenciária de Naviraí, entre outras.

O oferecimento de ocupação produtiva dentro das unidades penais e assistenciais de Mato Grosso do Sul é coordenado pela Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen, por meio da Divisão de Trabalho Prisional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Contribuinte não pode mudar declaração de IR simplificada para completa após prazo de entrega
JUSTIÇA FEDERAL
Contribuinte não pode mudar declaração de IR simplificada para completa após prazo de entrega
Ceará lança lista inédita de animais encontrados no estado
BRASIL
Ceará lança lista inédita de animais encontrados no estado
Ampliados setores que vão abrir durante lockdown no Distrito Federal
PANDEMIA
Ampliados setores que vão abrir durante lockdown no Distrito Federal
Liminar impede uso da tese de legitima defesa da honra em processos criminais
STF
Liminar impede uso da tese de legitima defesa da honra em processos criminais
Bia Ferreira é campeã no Torneio de Strandja, na Bulgária
BOXE
Bia Ferreira é campeã no Torneio de Strandja, na Bulgária
DOURADOS
MPE e Defensoria não se opõem a júri para assassino de ex-secretário
STJ
Sexta Turma nega habeas corpus a réu condenado por estupro de vulnerável mesmo sem contato físico
BRASIL
Fábricas de Cultura investem em tecnologia de inteligência artificia
MS
Preso com agrotóxicos é autuado em R$ 180 mil pela PMA
FUTSAL
Minas vence Dois irmãos e encara Magnus na final da Supercopa

Mais Lidas

DOURADOS 
Mulher é esfaqueada na região central e encaminhada ao HV em estado grave
DOURADOS 
Mulher que esfaqueou rival é autuada em flagrante por tentativa de homicídio
DOURADOS 
Mulher é presa após furtar residência no Altos do Indaiá
ITAQUIRAÍ
Acusado de matar homem com tiro na nuca diz que vítima ameaçava ex