Menu
Busca quarta, 01 de dezembro de 2021
Dourados
34°max
19°min
Campo Grande
32°max
19°min
Três Lagoas
35°max
21°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
COVID-19

MPF questiona governo federal e Anvisa sobre escolha de vacinas

26 outubro 2020 - 19h50Por G 1

O MPF (Ministério Público Federal) abriu um procedimento para acompanhar o processo de escolha de possíveis vacinas contra a Covid-19 e o planejamento para a vacinação da população brasileira.

As procuradorias de São Paulo, Rio Grande do Sul e Pernambuco questionam o governo federal, que fechou acordo apenas para a compra das vacinas produzidas pela COVAX Facility, liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e desenvolvida por AstraZeneca/Oxford.

A abertura do procedimento se dá por conta da disputa política travada entre o governador João Doria (PSDB) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em torno da CoronaVac. A compra da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e Instituto Butantan, chegou a ser anunciada, mas foi suspensa após declarações contrárias do presidente.

Foram enviados pedidos de esclarecimento ao Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao Instituto Butantan e à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. As procuradoras questionam o posicionamento inicial do Ministério da Saúde de não considerar demais imunizantes que estão em desenvolvimento.

O MPF também mandou ofício ao Instituto Butantan, em razão da afirmação de seu diretor Dimas Covas de que a Anvisa estaria retardando autorização para importação de matéria-prima da farmacêutica Sinovac. O órgão solicitou informações à instituição sobre as etapas do processo de testes da vacina. Foi questionado ainda se a demora na liberação das importações de insumos para produção da vacina foi justificada.

Na última sexta-feira, dia 23 de outubro, a Anvisa liberou a importação de 6 milhões de doses prontas da CoronaVac vindas da China, mas os insumos para o processamento no Brasil de outras 40 milhões da vacina no Brasil ainda não tiveram a importação liberada pelo órgão.

A Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo também recebeu pedido do MPF para que apresente quais seriam os termos do acordo firmado com o Ministério da Saúde sobre a intenção de compra das 46 milhões de doses da CoronaVac, anunciado pelo ministro Eduardo Pazuello por ofício e também em reunião com governadores.

Embora Bolsonaro tenha afirmado expressamente que "vacina chinesa" não será adquirida, a Secretaria Estadual de Saúde afirmou que não foi comunicada oficialmente sobre a desistência do acordo.

Todos os órgãos têm 15 dias para responder os pedidos do MPF.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANAC certifica Aeroclube de Dourados e doa aeronaves e simulador
AVIAÇÃO CIVIL
ANAC certifica Aeroclube de Dourados e doa aeronaves e simulador
BRASIL
Veja o calendário do ciclo de pagamentos do Auxílio Brasil em dezembro
BR-267
Trio é flagrado com quase R$ 10 mil e com carro que "sumiu" de locadora
LEGISLATIVO DE MS
Redação final de projeto de reajuste de 10% para os servidores deve ser votado hoje
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 12 milhões nesta quarta-feira
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 12 milhões nesta quarta-feira
CLIMA
Dourados registra novembro mais seco em 42 anos
DOURADOS
Jovem é flagrado na BR-163 trafegando pela contramão com carro roubado
SIDROLÂNDIA
Enteada acusa padrasto de abuso por seis anos
EMPREGO
Autorizados concursos públicos para Iagro e Sedhast com 180 vagas
CAGED
Em média, Dourados cria quase 400 novos postos de trabalho por mês em 2021

Mais Lidas

ITAPORÃ
Ciclista morta após ser atropelada por carreta é identificada
DOURADOS
Família procura por jovem que saiu de casa há mais de um mês e não retornou
CAPITAL
PRF que atirou em homem no interior de motel é encontrado morto
ITAPORÃ
Vítima de acidente seguia para o trabalho quando foi atropelada e morta