Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021
(67) 99659-5905
RIO BRILHANTE

MPE investiga irregularidades e prefeito diz que denúncias são "intriga da oposição"

11 janeiro 2016 - 18h05

O MPE (Ministério Público Estadual) publicou no Diário Oficial do órgão nesta segunda-feira (11), a abertura de dois inquéritos civis para investigar denúncias de irregularidades envolvendo a Prefeitura de Rio Brilhante e empresas. Entre as acusações estão superfaturamento, fraude e dispensa ilegal de licitação.

A apuração é feita pela promotora Rosalina Cruz Cavagnolli. São dois inquéritos diferentes e ambos tratam da apuração de ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário e atenta contra os princípios da administração pública.

No inquérito civil nº 007/2015, o denúncia é de que o suposto crime teria sido praticado pelas empresas “Lopes & Cordeiro Ltda. EPP, Construtora Macopel Ltda. e M C – Construções e Serviços Ltda. EPP e por servidores e/ou agentes políticos a apurar”, ou seja, ainda não identificados.

A promotoria apura suposta fraude em procedimentos licitatórios nos anos de 2013 a 2015, com o objetivo de favorecer as três empresas nos certames realizados para execução de obras e serviços de engenharia em Rio Brilhante.

Já o outro inquérito, de nº 008/2015, apura a suposta prática de superfaturamento nos gastos com carnavais, referentes aos anos de 2014 e 2015 em Rio Brilhante, além da possível dispensa ilegal de licitação favorecendo as empresas “J. P. Sorrilha – ME, Eliano Silva de Souza – ME, Sebastião Evangelista de Carvalho & Cia Ltda. – ME e E A de Assis Constantino Eventos – ME e por servidores e/ou agentes políticos a apurar”.

O prefeito de Rio Brilhante, Sidney Foroni (PMDB) disse que está ciente da abertura dos inquéritos e que a prefeitura já apresentou defesa nos dois casos.

Segundo ele, as denúncias feitas ao MPE são anônimas, realizadas por integrantes de outro grupo político que faz oposição a ele, mas “não tem coragem de mostrar a cara”, afirmou. Foroni alega que já foram feitas pelo menos 50 denúncias até o final do ano passado com intuito político e que todas foram arquivadas.

“Para você ter uma ideia, a empresa Macopel, por exemplo, só ganhou duas licitações das 31 que foram feitas. A Lopes & Cordeiro só cinco ou seis”, relatou o prefeito. Segundo ele, o Carnaval também foi realizado dentro da legalidade, com prestação de contas feita e aceita. “Eles [denunciantes] é que vão ter que provar que o processo foi ilegal”, relatou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TERENOS
Homem é encontrado morto em varanda de residência
MS terá "pacote" de obras de R$ 376 milhões para pavimentação e restauração de estradas
INVESTIMENTO
MS terá "pacote" de obras de R$ 376 milhões para pavimentação e restauração de estradas
DEFINIÇÃO
Inep abre novo prazo para candidatos com Covid pedirem reaplicação do Enem 2020
MINISTRO DA SAÚDE
Pazuello diz que começa a distribuir vacinas às 7h de segunda-feira para todos os estados
CORONAVÍRUS
Distribuição de vacina será acompanhada pelas forças de segurança federais e estadual
MEDIDA
Proibição de corte no fornecimento de água segue até o fim de janeiro na capital
SEU BOLSO
Órgãos de proteção alertam consumidor sobre compra de material escolar
DOURADOS
Morto por descarga elétrica pode ter tentado consertar portão
PANDEMIA
Permanece alta taxa de ocupação de leitos UTI Covid-19 em Dourados
ACIDENTE
Homem morre após sofrer descarga elétrica em Dourados

Mais Lidas

DOURADOS 
Jovem cai de moto e pede ajuda após levar facada
PANDEMIA 
Dourados tem oito mortes por Covid em 24 horas  
OPERAÇÃO
Polícia fecha "boca de fumo" comandada por família no Canaã IV
DOURADOS 
Prefeitura anula 75 das exonerações anunciadas no meio da semana