Menu
Busca quarta, 03 de junho de 2020
(67) 99659-5905
FISCALIZAÇÃO

Ministério do Trabalho fiscaliza postos de combustíveis de Campo Grande

06 setembro 2017 - 17h05

O Ministério do Trabalho e Emprego está fiscalizando postos de combustíveis de Campo Grande para verificar, entre outras questões, não só o cumprimento dos direitos trabalhistas de frentistas e demais empregados, bem como as questões de segurança e medicina do trabalho.

Os cuidados com o benzeno, componente cancerígeno que está presente em todos os combustíveis é uma das preocupações e atuação dos auditores fiscais.

A multa para aqueles estabelecimentos que estiverem em desacordo com as legislações pode chegar até a R$ 8 mil por infração.

"Nossa fiscalização é de rotina e vamos verificar as condições de todos os postos de combustíveis de Campo Grande", afirmou o auditor fiscal Kléber Silva, da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul.

Os trabalhos estão sendo realizados simultaneamente em Campo Grande e Dourados, informa Kleber Silva.

Depois, segundo ele, os fiscais vão fazer as demais cidades do Estado, sempre verificando o cumprimento de registro em carteira, recolhimento dos direitos trabalhistas e também a questão de saúde do trabalhador.

Na tarde desta quarta-feira, um posto da Petrobras na Avenida Afonso Pena recebeu a visita de quatro auditores fiscais que conversaram com trabalhadores, diretores da empresa e verificaram também documentos a respeito das questões trabalhistas da empresa. As próximas visitas serão feitas das mesma forma, de surpresa nos estabelecimentos.

O Sinpospetro/MS (Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Mato Grosso do Sul) aplaude esse trabalho do MTE.

"Nós não só apoiamos como aplaudimos, pois somente a fiscalização rigorosa dos auditores pode fazer com que todas as empresas cumpram com suas obrigações trabalhistas e de saúde e segurança do trabalhador", afirma José Hélio da Silva, presidente do sindicato.

A diretoria do Sinpospetro/MS pede que a fiscalização seja de fato rotineira e constante nesse mercado de trabalho, principalmente pelo fato de ser uma atividade de alto risco à saúde não só dos trabalhadores nos postos como também dos próprios consumidores.

Gilson da Silva Sá, secretário adjunto de saúde, segurança e medicina do trabalho na Fenepospetro (federação nacional dos trabalhadores em postos de combustíveis) afirma que nem todos os empresários, donos de postos, cumprem com as leis federais relativas à saúde do trabalhador. "Nós, sindicalistas é que temos que ficar constantemente brigando para que o trabalhador seja protegido, quando a empresa deveria fazer normalmente porque é lei", critica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÁFICO
PRF apreende 1,2 tonelada de maconha e 20 Kg de skunk na BR-267
SENADO
Aprovado congelamento de preços de medicamentos e de planos de saúde
COSTA RICA
Filho acusado de agredir pai de 91 anos é preso descumprindo medida judicial
ÁUDIO VAZADO
Presidente da Fundação Palmares chama movimento negro de 'escória'
CAPITAL
Condenado por estupro de vulnerável, homem é preso em encontro religioso
POLÍTICA
Senado aprova em definitivo projeto de doação de refeições não vendida
PORTO MURTINHO
Técnico de laboratório suspeito de aborto consegue habeas corpus
JUSTIÇA
Banco deve indenizar por inserir gravame a terceiros sem consentimento
MARACAJU
Mulheres denunciam tarado que se tocava em terminal rodoviário
COVID-19
'Lamento todos os mortos, mas é o destino de todo mundo', diz Bolsonaro

Mais Lidas

6ª VARA CÍVEL
Empresário vai à Justiça contra toque de recolher em Dourados
PANDEMIA
Com mais 27 casos, Dourados ultrapassa 300 confirmações de coronavírus
PANDEMIA
Novo epicentro, Dourados é a cidade com mais casos de coronavírus em MS
PED
Policiais penais frustram tentativa de fuga na Penitenciária de Dourados