Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020
(67) 99659-5905
COXIM

Médicos insistem em dengue e bebê de 1 ano morre de pneumonia

10 fevereiro 2020 - 21h35Por Da Redação

Um bebê de um ano morreu a caminho de Campo Grande, depois de cinco dias de indas e vindas ao Hospital Regional de Coxim, na região Norte do Estado. A mãe, a acadêmica de Pedagogia, Rosiane Cassimiro Silva, 26 anos, critica a demora no diagnóstico, já que os médicos insistiam em dengue e descobriram tardiamente se tratar de pneumonia.

Rosiane disse que o filho, Arthur Cassimiro de Jesus, começou a ficar com febre no dia 29 de janeiro. Como a criança não melhorou depois de ser medicada com dipirona ela e o marido levaram a criança ao Hospital Regional de Coxim no dia 30. Os médicos não fecharam diagnóstico e disseram que ela poderia continuar com remédio e, caso não melhorasse, deveria retornar.

A febre não cedeu e Rosiane levou Arthur novamente ao hospital no dia seguinte (31), data de aniversário do bebê. Embora o hemograma não tivesse apontado anormalidade, o médico disse a ela que deveria ser dengue. “Eu perguntava da respiração, ele falou que estava tudo bem, não precisava fazer exame de raios-X”, lembra.

O médico manteve o mesmo medicamento, dizendo que poderia ser dengue, pois os sintomas demoram alguns dias para se manifestar. No sábado, 1º de fevereiro, o mal estar da criança piorou e os pais o levaram ao pronto-socorro do hospital.

Rosiane disse que repetiram o hemograma que, novamente, não apresentou alteração e, mesmo assim, a plantonista disse acreditar ser um caso de dengue. “Deu até carteirinha de dengue, falou que ia notificar e mandou voltar depois de 24h”. Segundo a mãe da criança, não foi feito qualquer exame para verificar o pulmão, pois a respiração, segundo a clínica, “estava ok”.

Antes do prazo de 24 horas, no dia seguinte (2), Rosiane contou que o filho piorou e voltaram para o pronto-socorro. “Os médicos perceberam que a respiração estava fraca de um lado do pulmão e os batimentos estavam altos”. Somente aí, segundo ela, a equipe entrou em contato com pediatra para tirar dúvidas sobre o caso. “Ele perguntou se tinham feito raio-X, ela disse que não, ele mandou fazer”. Somente aí veio o diagnóstico de pneumonia.

Arthur foi internado e permaneceu no hospital de Coxim até o dia seguinte (3), quando piorou no fim da manhã, sendo decidida a transferência dele para Campo Grande. À tarde, no trajeto, o menino ficou agitado, gemia, chorava, deixando a mãe desesperada. “Eu falava que meu filho tava morrendo, a enfermeira falando que era ‘impressão minha’, para eu me acalmar”.

Próximo de Jaraguari, a ambulância parou e Rosiane desceu, enquanto o médico que acompanhava a transferência atendia Arthur. “Acho que ficaram uns 15, 20 minutos lá dentro, aí dele saiu e disse que tudo que podia fazer ele tentou, mas que não conseguiram reanimar meu filho”.

No atestado de óbito consta que Arthur morreu de pneumonia com derrame pleural, insuficiência respiratória e parada cardiorrespiratória. Rosiane questionou a demora no atendimento, em que chegou a ficar seis horas no hospital, à espera da consulta, e do diagnóstico que, mesmo sem ter qualquer indicação, era sempre dengue. “Estavam tratando como se fosse dengue e deixaram o meu filho morrer”. Arthur foi sepultado na terça-feira. 

Rosiane resolveu divulgar o que aconteceu nas redes sociais e a história já teve cerca de 470 compartilhamentos e mais de 500 comentários, muitos, reclamando de situações semelhantes que viveram na cidade. A acadêmica disse que contou o que passou na tentativa de alertar outras famílias. "Porque não internaram quando acharam que era dengue?, eu fiz o que pude, mas não consegui, não quero que ninguém passe pelo que passei".

Ela disse que a família tinha contato com o secretário Municipal de Saúde, Franciel Oliveira e, por isso, o marido dela mandou mensagem relatando o que tinha acontecido. “Ele visualizou e não respondeu”. Informalmente, soube que reunião seria realizada pela secretaria e o hospital para verificar se houve negligência ou erro no diagnóstico, mas, até agora, não recebeu qualquer retorno.

Com informações do site Campo Grande News.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
TJMS condena réu de tentativa de furto por resistência e desacato
ECONOMIA
Petrobras bate recorde na produção de diesel menos poluente
PANDEMIA
Secretarias municipais devem encaminhar resultados de testes rápidos da Covid-19 à SES
CALIFÓRNIA
Corpo de atriz de Glee é encontrado por oficiais
REGIÃO
Adolescente é apreendido pela PM pela décima vez em 2020
BRASIL
Mourão diz que desmatamento foi além do aceitável na região amazônica
EDUCAÇÃO
Feira científica de MS abre inscrições para alunos da rede pública e privada de todo o Brasil
REGIÃO
Quatro são autuados pela PMA por pesca ilegal no rio Sucuriú
COTAÇÃO
Dólar fecha em alta atento a cenário externo
REGIÃO
Barraca de atendimento a suspeitos de Covid-19 é rasgada por vândalos

Mais Lidas

DOURADOS
‘Deus no comando amem’: antes de crimes, atirador postou pregação religiosa
BARBÁRIE
Homem assassina ex, atira em crianças e se mata no altar de igreja em Dourados
DOURADOS
Atirador baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
DOURADOS
Atirador chegou em igreja na hora da comunhão e entrou dizendo ter feito bobagem