Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
AGRONEGÓCIO

Mais de 5 mil assentados têm até dia 30 para liquidarem dívidas

05 junho 2015 - 14h15

Cerca de 5.060 famílias de assentados de Mato Grosso do Sul têm até o dia 30 de junho deste ano para liquidarem suas dívidas das linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) A (destinado ao investimento e custeio) e A/C (voltada para o custeio), com abatimento de 80% do saldo devedor. Caso percam o prazo, eles terão os nomes inscritos na Dívida Ativa da União e não terão mais acesso a linhas oficiais de crédito.

Segundo a Delegacia Federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário em Mato Grosso do Sul (Dfda-MS), podem se beneficiar, trabalhadores rurais assentados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário (Pncf), que têm dívidas contratadas até 31 de dezembro de 2010 e que estavam em situação de inadimplência em 30 de dezembro de 2013.

De acordo com o Correio do Estado, até o dia 21 de abril deste ano, o Banco do Brasil, instituição que opera com os recursos do Pronaf, contabilizava 8.142 famílias do estado que se enquadravam nos critérios estabelecidos pela resolução 4.298 do Banco Central para se beneficiarem com as condições especiais para a quitação das dívidas.

Desse total, conforme a delegacia federal, 2.394 famílias quitaram os débitos, 2 renegociaram as dívidas e 686 já emitiram o boleto para fazer o pagamento. O restante, que representa 62,14% do universo de inadimplentes, tem apenas 25 dias para aproveitar o benefício. O procedimento pode ser feito tanto presencialmente nas agências do Banco do Brasil, nas unidades da Agência Estadual de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) e no Incra, ou pela internet na página da sala da cidadania, do Incra.

Ainda de acordo com o site, em média cada família inadimplente que pode se beneficiar da medida, tem uma dívida de aproximadamente R$ 11 mil e com pagamento de cerca de R$ 2,2 mil pode quitar o débito.

O valor do saldo devedor, já com o abatimento, pode ser parcelado, desde que a família inadimplente pague pelo menos 5% do valor devido. O restante pode ser parcelado em até dez anos com parcelas anuais, sobre as quais o assentado pagará juros de 0,5% ao ano. A primeira parcela, entretanto, vence ainda em 2015.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREVENÇÃO
Bombas flutuantes são ativadas para garantir abastecimento de água em Corumbá
ECONOMIA
Economistas defendem investimentos públicos e taxação de ricos
INCENTIVO
Em segunda edição do programa, UEMS concede 711 auxílios para acesso à internet
POLÍCIA
Idoso é encontrado morto em valeta na região central de Itaporã
DOURADOS
Em MS, interessados em adquirir imóvel podem ter desconto no valor da entrada
ESPORTE
Vasco empata com Bragantino e entra, provisoriamente, no G4
PANDEMIA
Governo aposta que ‘Rastrear’ vai diminuir taxa de contaminação do coronavírus em MS
CONSUMIDOR
Após denúncias, Procon autua seis agências bancárias
PANDEMIA
Em um mês, mais de 5 mil aulas para primeira habilitação foram realizadas de forma online em MS
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Comissão mista se reúne para ouvir formuladores das propostas de reforma tributária

Mais Lidas

POLÍCIA
Caminhoneiro de Dourados morre ao capotar na serra de Maracaju
ATO DE FÉ
Após vigílias em frente a hospital, família celebra 'milagre' por homem que caiu do telhado
PONTA PORÃ
Polícia apreende comboio com contrabando avaliado em R$ 1 milhão
CAMPO GRANDE
Gêmeos são executados dentro de quitinete