Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
CAPITAL

Justiça nega liberdade a lutador que matou hóspede

04 junho 2015 - 10h15

Justiça negou o pedido de revogação da prisão preventiva do lutador Rafael Martinelli Queiroz, de 27 anos, acusado de matar um hóspede em um hotel da capital sul-mato-grossense na noite de 18 de abril. A decisão foi divulgada na quarta-feira (3) no site do Tribunal de Justiça (TJ-MS).

Segundo o G1/MS, a defesa do lutador alegou no pedido que o acusado não necessita permanecer preso por exercer atividade lícita, ter residência fixa e não possui antecedentes criminais. O parecer do Ministério Público Estadual (MP-MS) foi pelo indeferimento do pedido.

O G1 entrou em contato com a defesa do lutador, mas até a publicação desta reportagem não obteve retorno.

O juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete de Almeida, afirmou na decisão que até o momento não ocorreu qualquer mudança nos fatos que justifique a colocação do acusado em liberdade. Almeida destacou que o crime foi “extremamente grave e possui repercussão social muito ampla”. De acordo com o magistrado, a liberdade poderia colocar em risco a ordem pública.

Almeida ressaltou que o lutador teria praticado o crime com extrema brutalidade contra uma pessoa desconhecida. Além disso, o juiz disse que o lutador demonstrou perigo no momento da prisão quando a Polícia Militar pediu reforço policial.

O crime aconteceu em um hotel na avenida Afonso Pena, no bairro Amambaí, depois de uma discussão entre Rafael e a namorada Carla Medeiros Dias, 24 anos. Segundo a Polícia Civil, o engenheiro era vizinho de quarto, não conhecia o casal e estava na capital de Mato Grosso do Sul a trabalho.

Ainda segundo a polícia, o hóspede foi morto "de graça" pelo lutador, que entrou no apartamento da vítima a procura da namorada, que tinha fugido do quarto do casal depois de ser agredida. A defesa diz que o comportamento agressivo do lutador surpreendeu a família e amigos dele.

O lutador é acusado pelo crime de lesão corporal dolosa em relação a namorada, em situação de violência doméstica, e de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e por recurso que dificultou a defesa da vítima e crime de resistência à prisão.

A denúncia foi recebida pela Justiça no dia 14 de maio. O lutador está preso desde o dia 19 de abril, dia seguinte ao fato, e foram feitos exames psicológicos e toxicológico no acusado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Condenada por tráfico em SP é presa na Capital
EDUCAÇÃO
Retorno das aulas presenciais na rede estadual em MS pode ficar para 2021
POLÍTICA
Azambuja encerra quarentena e volta a despachar da governadoria após Covid-19
DOURADOS
Perto do fim do mandato de Délia, decreto estabelece contenção de despesas
ECONOMIA
Em novo recorde, eleições municipais tem mais 545 mil candidatos
DOURADOS
Decreto muda horário de atendimento na Central do Cidadão
CAMPO GRANDE
Busca e apreensão veicular indevida geram danos morais
PANDEMIA
Dourados registra 94º óbito por Covid e atinge média de 53 novos casos por dia
DOURADOS
PRF receberá terreno do Município para construir delegacia
BRASIL
Prova de vida de servidores aposentados é suspensa até 31 de outubro

Mais Lidas

ATO DE FÉ
Após vigílias em frente a hospital, família celebra 'milagre' por homem que caiu do telhado
CAMPO GRANDE
Gêmeos são executados dentro de quitinete
POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
DEODÁPOLIS
Homem morre ao bater moto de frente com caminhonete da patroa