Menu
Busca quarta, 25 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
DETERMINAÇÃO

Justiça manda retirar do ar vídeo que mostra execução em MS

12 fevereiro 2020 - 17h50Por Da Redação

Sentença proferida pela 11ª Vara Cível de Campo Grande julgou procedente a ação movida pela mãe de um jovem assassinado, cujo vídeo da execução foi disponibilizado em plataforma de compartilhamento de vídeos.

A sentença tornou definitiva a tutela concedida, determinando que a ré retire do ar o vídeo em questão, determinando ainda que informe os dados do usuário que fez a postagem, a fim de permitir à autora adotar as providências cabíveis.

Segundo a autora, seu filho foi brutalmente assassinado no dia 14 de fevereiro de 2017 e os acusados do crime filmaram a cena e o vídeo foi divulgado na internet em plataforma de vídeos pertencente à empresa ré.

Sustenta que tentou tirar o vídeo de ar, porém sem sucesso, sendo necessário o ajuizamento da ação para retirar o vídeo em caráter de urgência. A tutela de urgência foi concedida.

Em contestação, a empresa ré alegou que, para a retirada de conteúdo do provedor, é necessária a expedição de ordem judicial e sua responsabilidade civil somente pode ser analisada em caso de descumprimento de ordem judicial.

Além disso, defende que os provedores de internet não possuem obrigação de fiscalizar previamente o conteúdo produzido pelos usuários em suas plataformas, sob pena de exercer censura.

“Em que pese a alegação da requerida de que não é responsável pelo conteúdo dos sites que hospeda, os autos revelam que a requerida tem poder de ingerência técnica para exercer o controle sobre os vídeos disponibilizados pelos sites que hospeda. Tanto é assim que, com a determinação judicial, a requerida promoveu a retirada do suposto vídeo ofensivo”, analisou o juiz Marcel Henry Batista de Arruda.

O magistrado citou que causas semelhantes já foram apreciadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que destacou a responsabilidade do provedor, o qual tem a obrigação de zelar pelos conteúdos publicados no site que hospeda, o que demanda a procedência da ação, para confirmar a liminar concedida.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROVA
Vestibulares da UFGD inscrevem para cursos noturnos e cursos a distância
RECORDE
Dívida Pública Federal sobe 2,47% em outubro
Dourados confirma 73 casos e internações por Covid sobe 39% em cinco dias
PANDEMIA
Dourados confirma 73 casos e internações por Covid sobe 39% em cinco dias
Três são presos com caminhonete furtada na capital
FLAGRANTE
Três são presos com caminhonete furtada na capital
Obra criada por pesquisadores da Uems concorre ao prêmio Jabuti
COLETÂNEA DE LIVROS
Obra criada por pesquisadores da Uems concorre ao prêmio Jabuti
BRASIL
Pessoas que contraíram covid-19 podem doar sangue após 30 dias
CONTRABANDO
Carga com 450 pacotes de cigarros paraguaios é apreendida em distrito
MULTA DE R$ 124 MIL
Atividade agrícola deixa parte do rio Formoso em Bonito com cor vermelha
DOURADOS
A um mês do Natal, comércio aguarda resposta da prefeitura sobre horário estendido
SEM CHUVA
'Calorão' em Dourados terá máximas de 37°C até o final de semana

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
ENTERPRISE
Operação contra tráfico internacional de cocaína cumpre mandado de prisão em Dourados
CAPITAL
Funcionária de restaurante é presa em flagrante após furtar dinheiro do caixa
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia