Menu
Busca terça, 11 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
CASSILÂNDIA

Justiça aumenta pena-base de condenado por estelionato

11 julho 2020 - 12h00Por Da Redação

Os magistrados da 2ª Câmara Criminal, por unanimidade, deram parcial provimento ao recurso interposto pelo Ministério Público contra a sentença que condenou um homem à pena de um ano de reclusão, no regime inicial aberto, e 10 dias-multa, por estelionato, crime previsto no artigo 171 do Código Penal.
 
O Ministério Público requereu a condenação do apelante pelos delitos previstos no artigo 171, § 4º, e artigo 297 combinados com os artigos 70 e 71, todos do Código Penal, e buscou também a elevação da pena-base, bem como o reconhecimento da causa de aumento do artigo 171, § 4º, do CP, e a continuidade delitiva.

O réu também interpôs recurso buscando a absolvição, sob alegação de que as provas apresentadas são frágeis, uma vez que o caso se tratou de mero desacordo contratual. Argumentou que o meio ardil utilizado não seria capaz de enganar o homem médio. Alternativamente, requereu a suspensão condicional do processo.
 
De acordo com o processo, no dia 6 de agosto de 2016, em Cassilândia, o réu foi contratado por uma família para realizar o inventário de um falecido, objetivando a partilha dos bens entre os herdeiros.
 
Em contrato, foi estipulado que o acusado receberia 3% do valor dos bens deixados, a título de honorários. Após o acordo, o réu começou a solicitar determinadas quantias em dinheiro, argumentando que seriam para pagamentos de impostos, dentre outras despesas.

Quando solicitava os valores às vítimas, utilizava guias de impostos falsificadas para aplicar o golpe. O valor total repassado para a conta da mãe do réu foi de R$ 85.481,00.

Com a demora no processo e os valores repassados, a família começou a questionar o réu acerca da conclusão do inventário. Quando as vítimas constataram que o réu não havia ingressado com o pedido de alvará judicial para receber os valores das rescisões ao qual teria direito, solicitaram uma prestação de contas sobre o andamento do processo e dos valores gastos até aquele momento.
 
Apresentando as guias falsificadas, as vítimas perceberam que o réu estava induzindo-os em erro, a fim de obter vantagem. Foi descoberto também que este sequer era advogado e utilizava registro da OAB de outro profissional.
 
No entender do relator do processo, Des. Jonas Hass Silva Jr, o julgador fará a análise do crime e do criminoso devendo, apesar da sua discricionariedade, fundamentar o aumento da pena-base ante a existência de conjecturas desfavoráveis, além da necessidade de reprovação do delito praticado e, neste caso, o valor vultoso do prejuízo causado pela conduta delituosa ultrapassa os limites do tipo penal em comento, o que justifica a elevação da reprimenda base.

Assim, considerando a negativação da circunstância judicial das consequências do crime, o magistrado fixou a pena-base em um ano e seis meses de reclusão, e 15 dias-multa.

Quanto ao reconhecimento da causa de aumento do artigo 171, § 4º, do Código Penal, em razão de a vítima ser idosa na época dos fatos, o relator ponderou ser inviável o acolhimento do pedido ministerial, pois não houve descrição na denúncia de que a vítima se tratava de pessoa idosa, sendo incabível o reconhecimento nessa fase recursal sob pena de incorrer em cerceamento de defesa.

Para o pedido de reconhecimento da continuidade delitiva pelo apelado, o relator ressaltou que também pela ausência de descrição na denúncia da ocorrência do crime continuado, é incabível o reconhecimento, sob pena de se incorrer novamente em cerceamento de defesa.

“Portanto, dou parcial provimento ao recurso ministerial para elevar a pena-base do réu, ficando definitivamente condenado à pena de um ano e seis meses de reclusão, mantido o regime inicial aberto, e 15 dias-multa, sendo a pena privativa de liberdade substituída por duas restritivas de direitos a serem fixadas pelo juízo da execução penal”, concluiu.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESCAMINHO
Após furar barreira sanitária, homem abandona carro com produtos irregulares
POLÍTICA
Júnior Rodrigues retoma liderança de Délia na Câmara após passagem 'relâmpago' de Maurício Lemes
SISTEMA DE SAÚDE
Governo atualiza ‘mapa’ com 10 novos leitos de UTI para casos de Covid em Dourados
INTERNACIONAL
Senador Nelsinho Trad participa de comitiva oficial de ajuda humanitária ao Líbano
PANDEMIA
Jogo da Série B do Brasileirão é adiado após 18 atletas testarem positivo para o coronavírus
LICITAÇÃO
Empresa ganha contrato de R$ 71 mil para confecção de letreiro turístico em Dourados
PANDEMIA
Taxa de letalidade sobe para 1,7% em Mato Grosso do Sul
CAMPO GRANDE
Instalações precárias fazem TRE-MS mudar local de votação na Capital
MATO GROSSO DO SUL
Deputado Marçal destina recursos para Hospital do Amor de Nova Andradina
REGIÃO
PM encontra carga de maconha durante ocorrência por violência doméstica

Mais Lidas

REGIÃO
Professora morre ao ter moto atingida por carro
DOURADOS
Suspeito de atropelar motociclista durante racha na BR-163 se apresenta à polícia
DOURADOS
Acidente entre carro e moto deixa homem em estado gravíssimo
FRONTEIRA
Ex-lutador de MMA é executado a tiros em confraternização