Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
CAPITAL

Bilhete mostra que jovem matou homem e ateou fogo em casa

04 junho 2015 - 10h45

A Polícia Civil esclareceu o homicídio ocorrido em uma casa incendiada na madrugada desta quinta (4) no Bairro Taquarussu, em Campo Grande depois um bilhete foi encontrado na agenda da vítima.

Segundo a Polícia, Gabriel Gonçalves Barros de Araújo, de 20 anos, conhecido como “Remela”, matou o cuidador de idosos de 48 anos por causa de uma briga de um hidrômetro. Após a polícia ser acionada para atender a ocorrência de incêndio encontraram o corpo Roberto Carlos Duarte Estigarribia com duas perfurações no pescoço.

Conforme o jornal Midiamax, policiais fizeram levantamentos no local e encontraram uma agenda com um bilhete dentro dizendo que se algo acontecesse com ele o responsável seria o Gabriel. No bilhete também estava escrito que eles haviam brigado por causa de um hidrômetro que o jovem usava para guardar capacetes. A polícia também acredita que também guardasse drogas.

Por causa do desentendimento, Gabriel tentou arrombar a porta da casa da vítima dias antes. Roberto foi tirar satisfação com o rapaz, eles discutiram e a mãe de Gabriel teve que intervir na briga.

Ainda segundo a polícia, a vítima estava devendo R$ 30 para o rapaz. Na madrugada desta quinta-feira (4), por volta da 1 hora, eles tiveram nova discussão e Gabriel acabou esfaqueando a vítima.

Após cometer o crime, Gabriel ateou fogo na casa e fugiu. A vítima ainda tentou escapar e teve parte da perna carbonizada. Segundo o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), Reginaldo Salomão, o jovem foi encontrado em uma casa nas proximidades do local do crime.

A residência que ele estava escondido é de propriedade de uma mulher que está viajando e deixou as chaves com um adolescente cuidar. O menino deu as chaves para o Gabriel se esconder.

O delegado disse que no imóvel foram encontradas duas facas que tinha acabado de serem lavadas em cima do tanque. A polícia acredita que sejam as mesmas utilizadas por Gabriel para esfaquear a vítima.

Os objetos foram apreendidos e encaminhados para a perícia e submetidas a testes com reagentes para constatar se tem vestígios de sangue. Enquanto a polícia estava na residência chegaram dois adolescentes, de 15 e 16 anos.

Os vizinhos disseram para o delegado que já viram Gabriel com garotos e um deles foi quem entregou a chave do imóvel para ele. Todos foram levados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), da Vila Piratininga.

Durante depoimento o jovem confessou o crime em alguns momentos e em outros negou. Gabriel também não souber explicar o que as facas faziam na casa. Os adolescentes deram versões contraditórias durante o depoimento.

Os dois foram ouvidos e liberados. Agora a polícia investiga a participação deles no crime.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO
Encontro vai discutir soluções contra queimadas no Pantanal
DOURADOS
Populares divergem sobre flexibilização dos parques, fechados há seis meses
ECONOMIA
Taxa média de juros para famílias cai, diz Banco Central
SEGURANÇA
Agepan intensifica fiscalização contra transporte clandestino
DOURADOS
Entidades que desejam participar da revisão do Plano Diretor devem se inscrever até dia 5
FUTEBOL
Partida única encerra rodada do Brasileirão nesta segunda
INCÊNDIO
Operação Pantanal II adota nova estratégia para impedir avanço do fogo
PANDEMIA
MS se aproxima de 69 mil casos de coronavírus e soma mais 15 óbitos
PRATICIDADE
Sul-mato-grossenses já podem pagar multas com desconto no aplicativo Carteira Digital de Trânsito
PANDEMIA
Presidente de clube de futebol de Campo Grande morre de coronavírus

Mais Lidas

ATO DE FÉ
Após vigílias em frente a hospital, família celebra 'milagre' por homem que caiu do telhado
CAMPO GRANDE
Gêmeos são executados dentro de quitinete
POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
DEODÁPOLIS
Homem morre ao bater moto de frente com caminhonete da patroa