Menu
Busca segunda, 21 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Indústria de MS projeta expansão de 28% nos próximos quatro anos

16 dezembro 2019 - 13h50Por Da Redação

Após crescer 249,44% no período de 2009 a 2019, o setor industrial encerra o ano com alta de 6,37% e projeta expansão de 6,45% em 2020 e de 28,10% até 2023. Os números são do Radar Industrial da Fiems e foram apresentados pelo presidente Sérgio Longen durante entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (16/12), no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), com a presença do secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck.

No comparativo de 2009 a 2019, o PIB Industrial saltou de R$ 6,21 bilhões para R$ 21,7 bilhões (249,44%), enquanto de 2018 a 2019 a elevação foi de R$ 20,4 bilhões para R$ 21,7 bilhões (6,37%), de 2019 para 2020 vai sair de R$ 21,7 bilhões para R$ 23,1 bilhões (6,45%) e de 2019 a 2023 sairá de R$ 21,7 bilhões para R$ 27,8 bilhões (28,10%). “A atividade industrial vem mostrando números satisfatórios que merecem não só serem visualizados, mas também comemorados”, disse o presidente da Fiems.

Ele completa que a indústria vem se consolidando de maneira muito positiva e, cada vez mais, conseguimos apoiar as ações do setor, quer com o Sistema Indústria, por meio do Sesi, Senai e IEL, quer por meio do Governo do Estado, que trabalha diretamente nessa linha de trazer a indústria como mola propulsora do Estado. “Os bons números refletem a implementação da Indústria 4.0 pelas empresas do Estado, que possibilita uma melhoria na competitividade dos produtos, mas ainda é tímida”, disse.

Sérgio Longen ressalta que a modernização do setor industrial e um grande desafio. “O Senai vem mudando todo o seu perfil de atendimento para as empresas e de certa forma as indústrias precisam se adaptar para a competitividade de seus produtos, mas entendo como positiva nossas ações e estamos preparados para atender os números de 2020”, completou.

Ainda conforme o líder industrial, a expectativa é que ao fim de 2020 os números sejam ainda melhores do que os que foram projetados. “Tecnicamente, precisamos transferir para a sociedade números consolidados e esses números trazem confiança porque temos um histórico de avaliação do Radar Industrial da Fiems, mas o que ficou muito claro é que a indústria hoje é uma grande força na economia de Mato Grosso do Sul, responsável por 22% do PIB de Mato Grosso do Sul, que hoje está em R$ 109,6 bilhões”, destacou.

Nesse cenário, o secretário Jaime Verruck destacou a importância do Fadefe (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado), desenvolvido em conjunto entre o setor industrial e o Governo do Estado. “O que temos consolidado hoje são que mais de 497 empresas aderiram, assinaram seus termos de acordo com o Estado e assumiram a partir daí uma série de compromissos. Esses compromissos, hoje, sinalizam R$ 16 bilhões de investimentos até 2032 e, adicionalmente em relação à situação apresentada em 2018, mais 12 mil empregos na economia sul-mato-grossense”, ressaltou.

Para Jaime Verruck, foi um projeto extremamente positivo tanto para o Estado como para o empresário. “O Fadefe representa a sinalização de novos investimentos, novos empregos e nova arrecadação. E acho que esse tipo de projeto permite criar uma pauta econômica e reforçar o desenvolvimento industrial do Estado. E aí temos as perspectivas de novos empreendimentos no Estado”, finalizou.

Década de ouro

Em sua apresentação, Sérgio Longen ainda destacou o crescimento vertiginoso da indústria nos últimos dez anos, que pode ser considerada uma década de ouro para o setor em Mato Grosso do Sul. De acordo com levantamento do Radar Industrial de Fiems, na última década, além de o PIB Industrial de Mato Grosso do Sul ter apresentado um extraordinário aumento de 249,44%, as exportações de industrializados cresceram 143,33%, saindo de US$ 1,50 bilhões para US$ 3,65 bilhões.

O número de estabelecimentos indústria também cresceu 41,53% na década, indo de 4.226 para 5.981, enquanto a quantidade de trabalhadores aumentou em 22,07%, saindo de 103.302 para 126.100. No comparativo de 2018 com 2019, além do PIB Industrial crescer 6,37%, as exportações, no mesmo período, tiveram aumento de 2,82%, elevando-se de US$ 3,55 bilhões para US$ 3,65 bilhões, enquanto a quantidade de trabalhadores teve salto de 1,32%, indo de 124.452 para 126.100 e o número de estabelecimentos industriais cresceu 1,10%, aumentando de 5.916 para 5.981.

Já de 2019 para 2020, além de o PIB Industrial estar previsto crescer 6,45%, as exportações terão alta de 2,47%, saindo de US$ 3,65 bilhões para US$ 3,74 bilhões, enquanto os estabelecimentos industriais aumentarão 1,55%, saindo dos atuais 5.981 para 6.074 e o número de trabalhadores crescerá 1,0%, indo de 126.100 para 127.170. Para os próximos quatro anos, ou seja, de 2019 a 2023, além de o PIB Industrial crescer 28,10%, as exportações no período terão alta de 9,86%, pulando de US$ 3,65 bilhões para US$ 4,01 bilhões, o de estabelecimentos industriais crescerão 5,05%, indo de 5.981 para 6.283, e o número de trabalhadores terá aumento de 2,97%, saltando de 126.100 para 129.850.

Para o presidente Sérgio Longen, os dados só demonstram que Mato Grosso do Sul vem se destacando na consolidação da indústria. “A industrialização do Estado está sendo muito bem construída, a diversidade da matriz industrial está muito bem distribuída nos municípios. Nosso principal segmento hoje é dos frigoríficos e carnes, com 27.213 trabalhadores, e aí não entram só bovinos, mas uma grande diversificação, como aves, suínos, peixes e jacaré. Em seguida temos a indústria sucroenergética, com 20.500 trabalhadores, e indústria do papel e celulose, com 6.374 trabalhadores”, detalhou.

Ele reforça que os últimos 10 anos foram muito importantes para a consolidação da atividade industrial. “Entendo que os números estão aí e é importante destacar o trabalho do Sistema Fiems para um setor de extrema importância para o desenvolvimento do Estado. Quando se fala em mudança na geração de empregos e mudança na geração da base da economia, a indústria veio para ficar e ela está se consolidando ano a ano, quer na geração de empregos, quer no aumento de empresas, quer no PIB, porque 249,44% em 10 anos é um número muito significativo, praticamente um índice de crescimento de países asiáticos”, finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Polícia encontra carro abandonado com mais de meia tonelada de maconha
POLÍTICA
Com pauta cheia, comissões do Senado fazem sessões semipresenciais
POLÍCIA MILITAR
Homem é preso por disparo em via pública e porte ilegal de arma de fogo
PANDEMIA
Dos mais de 64 mil casos de coronavírus em MS, 90% já estão recuperados
BRASIL
Barroso: ceticismo com mudança climática é obstáculo a ser superado
JARDIM
Mulher é autuada por derrubar árvores em área protegida de mata ciliar de córrego
DOURADOS
Tenda instalada no HV para auxílio durante a pandemia é usada de abrigo por morador de rua
SÃO PAULO
Trio que saiu de MS com 160 filhotes de papagaio é multado
DOURADOS
Prefeitura formaliza contratos de meio milhão de reais com construtoras
CAMPO GRANDE
Homicídio em conveniência pode ter ocorrido após briga por cerveja

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita