Menu
Busca sábado, 18 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
CONFRONTO

Indígenas ateiam fogo em casas após boato de sequestro

29 agosto 2014 - 10h06

Um grupo de aproximadamente 200 índios terena das aldeias Olha D’água e Água Azul, em Dois Irmãos do Buriti, foram na noite de quinta-feira (28) à Fazenda Santa Clara e deixaram um rastro de destruição, ateando fogo em todas as casas da sede da propriedade.

O motivo da ação, segundo o Região News, seria o boato de que uma das lideranças do local, Arcênio Duarte, teria sido sequestrado por capangas contratados por proprietários rurais.

Na quinta-feira, representantes da Funai conseguiram convencer o grupo a deixar a propriedade e voltar à Fazenda Cambará, ocupada por eles há mais de um ano. As lideranças indígenas que estiveram na delegacia de polícia acompanhando Arcênio explicaram toda a situação.

Segundo o site, o indígena acabou preso por porte ilegal de arma por policiais militares a paisana. Ao presenciar a detenção do terena por homens em roupas civis, os índios deduziram que se tratava de pistoleiros. Arcênio foi colocado em liberdade ainda na noite de quarta-feira, depois de pagar fiança, arbitrada em dois salários mínimos.

Os PMs do Batalhão de Choque estiveram na propriedade onde fizeram o planejamento da reintegração de posse determinada pela Justiça em favor da procuradora de uma das herdeiras, Glória Alcunha Ortiz mãe de Maria do Carmo, a herdeira. Ela conseguiu assumir o comando do inventário do espólio, substituindo Afrânio Celso Pereira Martins Filho.

Foram presos na propriedade quatro funcionários do fazendeiro (sendo dois menores). Com os funcionários, Olívio Franco e Idiomar Natalício dos Santos, além de 600 gramas de maconha, foram encontradas três espingardas calibre 32 e um revólver calibre 38. Eles permanecem presos e serão indiciados por tráfico de drogas, porte de arma e milícia privada.

Um dos menores apreendidos, A.A.S, de 14 anos, com passagem pela Polícia por roubo, estava com um revólver calibre 38. Ele estava em companhia de S.J.C.R, também de 14 anos. A Santa Clara era uma das poucas fazendas que os índios ainda não tinham entrado, aguardando o desfecho do processo de compra de todas as propriedades reivindicadas como terra indígena.

A propriedade pertencente ao espólio de Afrânio Pereira Martins, tem 522 hectares, com mais de 900 bois na pastagem. Há mais de um ano se arrasta a negociação entre Governo e fazendeiros para compra dos 15 mil hectares reivindicados como parte da Reserva Indígena Buriti.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jovem de 19 anos morre em acidente com motocicleta
CAPITAL
Jovem de 19 anos morre em acidente com motocicleta
TELEFONIA
Governo edita decretos para tentar destravar licitação do 5G
Casal é preso por golpe ao vender carro alugado e alegar "furto"
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
OPORTUNIDADE
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
CAMPINAS
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
DOURADOS
Faculdade Intercultural Indígena publica moção contra o marco temporal
FOGO AMIGO
Militar baleado ao defender mulher na rua recebe alta de hospital
ESPORTE
Dourados enfrenta Miranda na semifinal da Copa Morena neste sábado
PARAGUAI
Com mandado de prisão em abertos, brasileiro é expulso do Paraguai
EDUCAÇÃO
UEMS regulamenta retomada gradual das atividades presenciais

Mais Lidas

DOURADOS
Após denúncias, casal é preso por tráfico no Jardim Guaicurus
24 HORAS DE VACINA
Dourados terá 'viradão' da vacina para aplicar doses em cinco grupos
DOURADOS
'Trevo do DOF' terá viaduto de 40m e ficará pronto em oito meses
DOURADOS
Homem morre no hospital depois de ser atropelado na área central