Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
POLÍCIA

Guarda não se entregou porque esperou salário para depositar para a filha

06 março 2020 - 22h05Por Da Redação

A defesa do guarda municipal Valtenir Pereira da Silva alegou que o suspeito só se apresentou às autoridades seis dias depois do crime porque estava esperando receber seu salário para depositar uma quantia para um tratamento que a filha faz. Segundo o jornal Correio do Estado, ele matou a ex-namorada Maxelline da Silva dos Santos e Steferson Batista de Souza, além de ferir a amiga Kamila Teles Bispo, esposa de Steferson, no último domingo, em Campo Grande.

Segundo o advogado Wagner Batista de Souza, o guarda tem uma filha com problemas de saúde - não foi informado qual - e precisava enviar uma espécie de pensão. “Ele estava com medo de se entregar [...] Ele esperou cair o salário, que foi ontem, para poder depositar o dinheiro; ele disse que não aguentava mais ficar fugindo”, contou.

Valtenir entrou em contato com o profissional para combinar a apresentação à polícia e que queria que fosse às 8h15 desta sexta-feira. O ponto de encontro marcado entre os dois foi o estacionamento do Hospital Regional Rosa Pedrossian, no Bairro Aero Rancho, mesma região em que houve a operação policial, na manhã de ontem, para encontrá-lo, após denúncias anônimas. 

Então, o guarda e o advogado procuraram a base da corporação em que ele trabalhava, ainda no Aero Rancho, para se entregar. Posteriormente, ele foi encaminhado pelos próprios ‘parceiros de farda’ para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

DEPOIMENTO

Segundo informou a delegada responsável pelas diligências, Sueyli Araújo, ele afirmou, em depoimento, que ficou em estacionamento de mercados e de hospitais, sendo locais que ele poderia tomar banho, se alimentar e dormir no carro. Apesar de negar que se encontrou ou se abrigou com familiares, a polícia acredita que isto aconteceu. 

“Inclusive na residência, onde foram apreendidos objetos pessoais dele, ele fala que morou ali sim, mas depois do crime não voltou para lá, mas diverge com outros pontos da investigação, que a gente tem certeza que ele esteve ali sim”, explicou a delegada da Deam. 

A residência em citada por Araújo foi alvo, na manhã de ontem (5), de operação de equipes da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros (Garras), Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), além de policiais à paisana e um helicóptero para tentar prender o autor do duplo homicídio.

De acordo com denúncia anônima, Valtenir estava na casa de um primo, na região do bairro Aero Rancho. Nas buscas pela residência foram apreendidos uniformes da Guarda Municipal, a carteira funcional do autor e outros pertences pessoais. A polícia acredita que ele fugiu momentos antes da chegada deles. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Major da reserva da PM morre em decorrência do novo coronavírus
REPARAÇÃO HISTÓRICA
Volks faz acordo para reparar violações dos direitos humanos na ditadura
CAMPO GRANDE
Homem invade casa da ex e agride atual com socos e golpe de marreta
BRASIL
Caixa Econômica lança a "Super Sete" nova modalidade de loteria
POLÍCIA
Homem morre ao tentar invadir delegacia de Glória de Dourados
RIO DE JANEIRO
Alerj autoriza continuidade do processo de impeachment contra Witzel
DESCAMINHO
Polícia apreende carreta com cigarros e causa prejuízo de dois milhões
JUSTIÇA
Loja deve trocar produto que apresentar defeito até 6 meses de uso
PRESIDENTE INVESTIGADO
Julgamento no STF sobre depoimento de Bolsonaro será em plenário virtual
ITAQUIRAÍ
Ação conjunta prende traficante e apreende duas toneladas de drogas

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
DOURADOS
Após bebedeira, homem é assassinado por “dar em cima” de esposa do acusado
DOURADOS
Motorista que fez 'strike' e atropelou cinco no Novo Horizonte é levado à PED
DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida