Menu
Busca segunda, 10 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
AMBIENTAL

Fim do tráfico de animais silvestres depende da consciência ambiental da população

24 novembro 2019 - 10h45Por Da Redação

Desde agosto até o fim de outubro, fiscais do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) e policiais militares ambientais desenvolveram a Operação Bocaiuva na região do Vale do Rio Ivinhema para reprimir o tráfico de animais silvestres. Foram apreendidos cerca de 170 filhotes de papagaios em três ocorrências e trazidos para o CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), onde recebem os cuidados para que sobrevivam e depois sejam devolvidos à natureza.

Apesar do aparato repressivo, o fim do tráfico de animais silvestres depende muito mais da consciência ambiental das pessoas, alerta a zootecnista Ana Paula Felício, coordenadora da Unidade de Fauna da Gerência de Recursos Pesqueiros e Fauna do Imasul. “Enquanto tiver gente que compre, vai ter quem se arrisque a traficar”, observa.

Existem criadores autorizados que comercializam papagaios verdadeiros, a espécie mais cobiçada porque imita com bastante perfeição a voz humana. Não há necessidade de violar os ninhos para ter um animal de estimação. Mas não é isso o que acontece. Dados do Projeto Papagaio Verdadeiro mostram que em 2018, 85% dos ninhos dessas aves foram violados na região do Vale do Rio Ivinhema, onde há maior ocorrência da espécie no Estado e também é o local preferido dos traficantes pela proximidade com São Paulo, o mercado consumidor.

A zootecnista Gláucia Helena Fernandes Seixa, Mestre e Doutora em Ecologia e Conservação da Natureza e idealizadora do projeto Papagaio Verdadeiro, considera importante a ampliação das ações de fiscalização contra o tráfico de papagaios-verdadeiros, como é o caso da Operação Bocaiuva. “Porém, ações como essas devem se repetir todos os anos, no período reprodutivo da espécie (agosto a novembro), nesta e outras regiões do bioma Mata Atlântica e Cerrado”, completa.

Ela entende que no próximo ano a Operação deva chegar aos municípios de Bataguassu, Batayporã, Itaquiraí, Nova Andradina, Naviraí e Taquarussu, áreas onde há ocorrências de apreensão de filhotes, conforme dados da PMA.  Nesse ano a Operação se concentrou nos municípios de Novo Horizonte do Sul, Jateí e Ivinhema.

Desde 2014 o papagaio-verdadeiro está classificado como “quase ameaçado” pelo Ministério do Meio Ambiente, prossegue Gláucia. Isso acontece por culpa do tráfico de animais silvestres. É importante o envolvimento de toda população nessa luta para coibir e combater o crime. Qualquer suspeita deve ser comunicada às Polícias Militar Ambiental, Militar, Federal, Rodoviária Federal ou Civil, ou ainda aos fiscais ambientais. O Ibama disponibilizou um telefone para denúncias, basta ligar para o número 0800 618080. É de graça e é anônimo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TACURU
Motorista morre prensado após bater em trator na rodovia MS-295
DANOS MORAIS
Justiça manda União indenizar Dallagnol por ofensas de Gilmar Mendes
CAPITAL
Servidor da Saúde morre de covid-19 e colegas lamentam "descaso"
EMPREGO
País tem 95 concursos públicos abertos para mais de 10 mil vagas
BRASILEIRAO
CBF anuncia mudanças no protocolo de testes para a Covid-19
RACHADINHA
Defesa de Fabrício Queiroz entra com pedido de liberdade no Supremo
CAMPO GRANDE
‘Preferia morrer ali do que ir com eles’, desabafa mulher vítima de sequestro
INTERNACIONAL
Discurso de Trump é interrompido após tiro do lado de fora da Casa Branca
CORONAVÍRUS
Técnico de enfermagem é o 4º profissional da Saúde morto em Corumbá
JUSTIÇA
Consumidor tem direito de troca imediata de bem essencial ao trabalho

Mais Lidas

DOURADOS
Homicídio ocorreu após madrugada de farra e confusões na Jaguapiru
REGIÃO
Professora morre ao ter moto atingida por carro
PANDEMIA
Paciente internado em Dourados morre de coronavírus
DOURADOS
Acidente entre carro e moto deixa homem em estado gravíssimo