Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
CONTRÁRIO

Fiems divulga nota de repúdio contra articulação para volta da CPMF

15 junho 2015 - 16h00

A Fiems saiu em defesa do setor industrial e da sociedade em geral contra as movimentações do Governo Federal para o retorno da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras), que foi criada em 13 de julho de 1993 e extinta no dia 13 de dezembro de 2007.

A diretoria da Federação divulgou, no sábado (13), uma nota de repúdio contra a articulação ocorrida nos últimos dias para o retorno do conhecido “Imposto do Cheque” ou a criação de um novo imposto similar.

“A Fiems é contra a criação de qualquer novo imposto, tributo ou contribuição, em qualquer esfera governamental. Essa tentativa é uma ação do Governo Federal, que, mais uma vez, coloca na conta do setor empresarial e da sociedade como um todo o seu descontrole e falta de organização das contas públicas”, analisou o presidente Sérgio Longen.

De acordo com ele, depois de reeleito, o governo da presidente Dilma Roussef (PT) mostra, a cada dia, que tudo o que foi dito durante a campanha eleitoral em 2014 sobre política econômica não passou de falácia para enganar a população, sobretudo, o setor produtivo do País, que, a cada dia, se surpreende com novos aumentos de impostos e propostas como esta, da volta da CPMF, que estão levando os empresários ao desespero.

“O governo federal parece ainda não entender que, enquanto as contas de custeio do próprio governo não forem cortadas, o país não recuperará credibilidade e tampouco competitividade com seus produtos. A crise econômica está levando o Brasil ao fundo do poço dada à incapacidade demonstrada pelo governo em contornar essa crise”, analisou o presidente da Fiems.

Ele destaca que cortar investimentos, criar novos tributos e impostos, alterar leis que elevam as contribuições só penalizam o setor produtivo, sobretudo o industrial. “Por isso, reiteramos que o setor industrial é totalmente contra todo e qualquer movimento para criar novos impostos, o que penaliza ainda mais o setor produtivo e toda a sociedade brasileira, já tão castigada desde o início do ano por medidas arbitrárias batizadas de ajuste fiscal”, finalizou.

Confira abaixo a nota na íntegra:

NOTA DE MANIFESTAÇÃO E REPÚDIO

A FIEMS vem a público manifestar sua posição contra a articulação ocorrida nos últimos dias para o retorno da CPMF ou a criação de um novo imposto similar. A FIEMS é contra a criação de qualquer novo imposto, tributo ou contribuição, em qualquer esfera governamental.

Para a FIEMS, essa tentativa é uma ação do Governo Federal, que, mais uma vez, coloca na conta do setor empresarial e da sociedade como um todo o seu descontrole e falta de organização das contas públicas. Depois de reeleito, o Governo da Presidente Dilma Rousseff mostra, a cada dia, que tudo o que foi dito durante a campanha eleitoral em 2014 sobre política econômica não passou de falácia para enganar a população, sobretudo, o setor produtivo do País, que, a cada dia, se surpreende com novos aumentos de impostos e propostas como esta, da volta da CPMF, que estão levando os empresários ao desespero.

O Governo Federal parece ainda não entender que, enquanto as contas de custeio do próprio Governo não forem cortadas, o País não recuperará credibilidade e tampouco competitividade com seus produtos. A crise econômica está levando o Brasil para o fundo do poço, dada a incapacidade demonstrada pelo Governo em contornar essa crise. Cortar investimentos, criar novos tributos e impostos, alterar leis que elevam as contribuições só penalizam o setor produtivo, sobretudo o industrial.

Por isso, reiteramos nosso repúdio e manifestação contra todo e qualquer movimento para criar novos impostos, o que penaliza ainda mais o setor produtivo e toda a sociedade brasileira, já tão castigada desde o início do ano por medidas arbitrárias batizadas de ajuste fiscal.

Campo Grande, 13 de junho de 2015.

FIEMS - Indústria Resistente

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Major da reserva da PM morre em decorrência do novo coronavírus
REPARAÇÃO HISTÓRICA
Volks faz acordo para reparar violações dos direitos humanos na ditadura
CAMPO GRANDE
Homem invade casa da ex e agride atual com socos e golpe de marreta
BRASIL
Caixa Econômica lança a "Super Sete" nova modalidade de loteria
POLÍCIA
Homem morre ao tentar invadir delegacia de Glória de Dourados
RIO DE JANEIRO
Alerj autoriza continuidade do processo de impeachment contra Witzel
DESCAMINHO
Polícia apreende carreta com cigarros e causa prejuízo de dois milhões
JUSTIÇA
Loja deve trocar produto que apresentar defeito até 6 meses de uso
PRESIDENTE INVESTIGADO
Julgamento no STF sobre depoimento de Bolsonaro será em plenário virtual
ITAQUIRAÍ
Ação conjunta prende traficante e apreende duas toneladas de drogas

Mais Lidas

DOURADOS
Carro carregado com calhas capota após colisão e mulher fica ferida
PARANÁ
Traficante Elias Maluco é encontrado morto em presídio federal
PEDRO JUAN
Terror na fronteira: três veículos de luxo são incendiados em pontos distintos
PANDEMIA
Prefeitura e MPE entram em acordo para retorno das aulas presenciais na rede privada