Menu
Busca sábado, 31 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
JUSTIÇA

Falta de promotor adia júri de réus por morte em tribunal do crime do PCC

18 setembro 2020 - 09h20Por Da Redação

A falta de Promotor de Justiça causou o adiamento do júri de Paulo Henrique da Silva Lemes, que estava agendada para esta sexta-feira, dia 18 de setembro, pela execução de Edgar Nunes da Silva, num “tribunal do crime” imposto pelo PCC (Primeiro Comando da Capital).

Por integrar o grupo de risco da covid-19 devido à asma o promotor Douglas Oldegardo Cavalheiro dos Santos, solicitou à Procuradoria Geral de Justiça do Ministério Público, a designação de outros promotores para atuar nos júris dos dias 18 e 25 de setembro.

Segundo o site Campo Grande News, nenhuns dos 27 promotores consultados pela instituição se dispuseram a participar do júri de amanhã. Diante da situação o juiz Aluizio Pereira dos Santos da 2ª Vara do Tribunal do Júri, se viu obrigado a cancelar o júri e lamentou o ocorrido.

“Minha indignação é que faz seis meses que os júris de presos estão suspensos por causa da pandemia e quando se consegue voltar à normalidade, mesmo no período da pandemia com esforço de todos para agendar os julgamentos, não o Dr. Douglas, mas a instituição do Ministério Público, não obstante inúmeros promotores na Capital, sem contar no interior, informa que não pode socorrer o promotor”, pontuou o juiz no despacho. Aluizio também sugeriu ao poder judiciário que tome providências para que o mesmo não se repita.

Desde a retomada dos julgamentos no tribunal do júri, há apenas dois dias, esta já é a segunda vez que um julgamento é adiado. “Não tem outra alternativa a este Juiz senão acolher as justificativas acima, deferindo lamentavelmente o pedido de adiamento”, completa. Ainda não há uma nova data para o julgamento de  Paulo Henrique da Silva Lemes.

Tribunal do Crime

Edgar Nunes foi mais uma das vítimas das guerras entre facções na Capital. Ele foi torturado até a morte a mando do PCC em uma casa no Parque Tarsila do Amaral. O seu corpo foi encontrado carbonizado dentro de um Fiat Uno, na manhã de 18 de novembro de 2018 em estrada vicinal, que fica no prolongamento da Rua Elias Catan, no Jardim Anache, em Campo Grande. Além de Paulo Henrique também será julgado pelo crime o comparsa do acusado, Fernando Barbosa da Silva.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

STJ
Ministro Humberto Martins presta homenagem ao jurista Paulo Bonavides
STF
Provas obtidas por interceptação telefônica baseada apenas em denúncia anônima são ilícitas
ESPORTE
Com três de Falcão, Grêmio goleia em estreia na Liga Fut7 Nacional
CRIME AMBIENTAL
Flagrado com jacaré abatido terá que pagar multa de R$ 5 mil
STJ
Primeira Seção admite renúncia a valores para demandar em juizado especial federal e evitar fila de precatórios
REGIÃO
PM recupera bicicletas e motos furtadas em aldeia
ESTADO
Interior de MS volta a receber carreta da Justiça no próximo dia 5
STF
Ministro suspende penhora de verbas públicas para satisfação de crédito de terceiro
ESTADO
Pescadores são flagrados e presos com 30 redes, petrechos e 20 kg de pescado
TRANSTORNOS
Pesquisa revela aumento da ansiedade entre brasileiros na pandemia

Mais Lidas

JÚRI
Assassinos de jovem após "tribunal do crime" em Dourados são condenados
VILA VARGAS
Hotéis em distrito de Dourados eram utilizados como entreposto do contrabando
DOURADOS
Homem suspeito de estuprar criança que saiu para comprar doce é colocado em liberdade
AVENIDA PRESIDENTE VARGAS
Titan com quase R$ 400 mil em multas é apreendida em Dourados