Menu
Busca sexta, 15 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
PANTANAL

Exames de ultrassom e raios-x em onça pintada são realizados; quadro do animal é estável

06 novembro 2020 - 17h05Por Da Redação

Sob os cuidados do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), no Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS), a onça pintada resgatada no Pantanal com queimaduras nas patas foi submetida no final da manhã desta sexta-feira (6) a exames de ultrassom e raios-x no próprio CRAS.

A equipe de médicos veterinários que acompanha o tratamento do animal contou com o apoio de técnicos e profissionais da UFMS, para a realização do ultrassom e da Cavalaria da Polícia Militar, para os exames de raios x. Foram verificadas as condições dos pulmões e outros órgãos do felino, bem como alguma possível fratura. Os resultados dos exames devem ser apresentados na próxima semana.

“Fizemos a sedação no animal e realizamos todos os exames necessários em parceria com a UFMS e com a Cavalaria da PM. O estado de saúde dessa onça pintada, a priori, é estável. O animal já está se alimentando e apresenta ‘comportamentos de defesa’, o que já representa uma evolução no tratamento que estamos realizando nesse animal e nos dá uma boa expectativa de recuperação”, informou o veterinário do Imasul Lucas Cazati, responsável técnico do CRAS.

A onça pintada macho, de aproximadamente dois anos de idade, estava em companhia de outra onça macho numa região da Serra do Amolar, próximo ao rio Paraguai, aparentando severa debilidade e com dificuldades para andar devido aos ferimentos causados pelo incêndio que voltou a atingir aquela localidade. Socorridas por equipes que atuam no Pantanal, as onças foram sedadas, tiveram os ferimentos tratados e depois transportadas para Campo Grande em uma aeronave da Força Aérea Brasileira.

Os animais chegaram ao CRAS em 3 de novembro, foram medicados, examinados e colocados em recintos separados para se recuperarem dos ferimentos. Um animal, entretanto, não resistiu e morreu cerca de duas horas depois. O corpo está passando por exame de necropsia para determinar a causa da morte. Segundo adiantou ontem o veterinário Lucas Cazati, o maior problema nesses animais nem são as queimaduras, porém a grande quantidade de fumaça que inalam durante a tentativa de se livrar do incêndio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

'LOREM IPSUM'
Governo Bolsonaro faz post sem conteúdo sobre mil dias de gestão
PMA recolhe filhotes de beija-flor que caíram com ninho durante ventania
MEIO AMBIENTE
PMA recolhe filhotes de beija-flor que caíram com ninho durante ventania
CORTE DE VERBA
Bolsonaro sanciona lei que retira mais de R$ 600 milhões da ciência
Prefeitura de Naviraí interdita ponte por conta de risco de desabamento
REGIÃO
Prefeitura de Naviraí interdita ponte por conta de risco de desabamento
CULTURA
Festival de dança valoriza a melhor idade e promove a confraternização
VIOLÊNCIA
Diretor-adjunto é condenado por estuprar criança de 10 anos em escola
DOURADOS
Incubadoras da UFGD selecionam propostas de novos empreendimentos
CAPITAL
Ao se negar entregar celular a ladrão, menina de 12 anos é esganada
VACINA
Saúde reduz intervalo da AstraZeneca de 12 para 8 semanas
LADÁRIO
Polícia prende irmãos acusados de matar jovem a tiros em bar

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia indicia três e recupera R$ 32 milhões de golpe milionário em empresa
FRONTEIRA
"Olheiro" de vítimas da chacina em Pedro Juan é preso
VIOLÊNCIA
Ataque na fronteira deixa um morto e dois feridos, entre eles vereador
CLIMA
Chuva e ventos fortes derrubam árvores em Dourados e causam estragos em posto da PRF